a entropia tende ao infinito.

O que seria a ordem sem o caos?

Luciano Leonel Mendes

Se você está há muito tempo sem sentir aquele frio na barriga, então você está fazendo alguma coisa de errado...

Islândia - Muito mais do que gelo e fogo

A Islândia é uma terra de contrastes. Os extremos entram em confronto por toda a ilha: vento, gelo, fogo, mar e terra transformam a paisagem com brutalidade e, no topo disso tudo, o homem se adapta para achar o seu lugar.


DSC_7390.jpg

A Islândia é uma pequena ilha localizada no mar do norte que entrou no mapa de muita gente em 2008, quando foi o palco da catastrófica quebra do sistema bancário, acompanhada pouco depois pela crise imobiliária nos EUA. Em 2010, a nuvem de poeira emitida pela erupção do Eyjafjallajökull provocou um caos no sistema aéreo europeu e colocou a Islândia nos noticiários de todo o mundo. O filme “A Vida Secreta de Walter Mitty”, lançado em 2013, trouxe um pouquinho mais da Islândia para o mundo, embora de uma forma um tanto imprecisa e hollywoodiana. Mas apesar de toda essa atenção, a Islândia ainda é um lugar remoto que deixa até os mais experientes viajantes de queixo caído.

Quem viaja para a Islândia está em busca de aventura, paz, isolamento e, acima de tudo, da beleza natural. E tudo isso é encontrado em doses cavalares. Lagoas termais de um azul paradisíaco, vulcões com cumes crescentes e fumegantes, crateras com água borbulhante, geysers que explodem numa bolha azul a cada 5 minutos, geleiras escavadas pela água com centenas de tons de azul, vilas encravadas em fiordes, cujas águas espelham montanhas magníficas, centenas de cachoeiras, vida animal exuberante (no verão), ventos com velocidades típicas de 70 km/h, tempestades de gelo repentinas, estradas congeladas e isoladas… e a lista só cresce.

É muito difícil descrever a Islândia apenas com palavras, então eu espero que as imagens abaixo possam ajudar a dar uma ideia melhor do que esse lugar mágico esconde.

BlueLagoon-ice.jpg A Islândia é um verdadeiro caldeirão. Toda vila, por menor que seja, possui sua fonte de águas quentes em torno da qual gira a vida pública. Os islandeses se encontram nos banhos públicos para relaxar e colocar a conversa em dia. A Lagoa Azul na foto é a mais famosa fonte da Islândia e é voltada para turistas. Talvez seja um pouco turística demais, como a Disney em Orlando, mas é um lugar que merece ser visitado.

Thigevellir.jpg þingvellir é um lugar especial por duas razões. É o único lugar na Terra onde é possível observar a divisão entre as placas tectônicas da América do Norte e da Eurásia sem ter que se preocupar com oxigênio. A falha divide a Islândia ao meio, fazendo com que a ilha cresça a medida que as placas se afastam. Em segundo lugar, foi em þingvellir que os líderes dos clãs na Islândia fundaram o Alþingi - primeiro parlamento nacional da história da humanidade - em 930.

isolado.jpg A imensa maioria dos 300 mil habitantes da Islândia vivem na península em torno da capital, Reykjavik. Akureyri é a segunda maior cidade da Islândia com aproximadamente 18 mil habitantes. Fora destas áreas, há apenas vilas cujo número de habitantes variam de algumas dezenas a alguns milhares. Skógar, no sul da ilha, possui 25 habitantes.

geysir.jpg O Strokkur é um dos gêiseres mais ativos e periódicos da Islândia. Os visitantes não precisam esperar mais do que alguns minutos para ver uma bolha bem azul se formar em sua boca, para então explodir num jato de 20 metros de altura. Ao lado de Strokkur está Geysir, a nascente eruptiva cujo nome derivou a palavra gêiser. Infelizmente, hoje as erupções de Geysir são raras e aperiódicas. Segundo um guia local, os turistas costumavam atirar pedras dentro da boca do gêiser com o intuito de deflagrar uma erupção. O de entulho impede que água se acumule e os gases escapam para a atmosfera sem uma erupção.

vulcao.jpg Vulcões fazem parte da paisagem na Islândia. Eles estão em todos os lugares. De 2010 até hoje houveram três grandes erupções: Eyjafjallajökull (2010), Grímsvötn (2011) e Bárðarbunga (2014 - 2015). A atual grande preocupação dos islandeses é o Katla. Historicamente, este vulcão localizado 750 metros abaixo da geleira de Mýrdalsjökull, entra em erupção duas vezes por século. A última grande erupção ocorreu em 1918, mas houve pequenas erupções em 1955, 1999 e 2011 que não chegaram a romper a camada de gelo. O monitoramento deste vulcão é minucioso e a população treina sistematicamente os procedimentos de evacuação de emergência. Grande explosões do Katla derretem um elevado volume de gelo, resultando em inundações épicas. Só para citar, o Eyjafjallajökull, que causou tantos problemas para a aviação e cobriu o sul da ilha de cinzas, é considerado pequeno perto do Katla. Mas a ilha também possui vários vulcões mais "amigáveis" que são possíveis de serem visitados após de uma caminhada. O vulcão da foto é o Hverfjall, que entrou em erupção 2300 anos atrás e hoje oferece uma vista magnífica da bacia de Myvatn.

myvatn.jpg A bacia de Myvatn é o lugar na Islândia que merece o clichê de "Terra do Fogo e Gelo". Esse lago com aproximadamente 40 km de perímetro possui as mais contrastantes paisagens que se pode imaginar. Vulcões, fontes termais, crateras e campos de lava revelam o passado violento que formou essa paisagem magnífica.

baleia.jpg Húsavík, no norte da Islândia, é conhecida como capital do avistamento de baleias. Entre abril e outubro, centenas destes gigantes dos mares vêm para esta baia para se alimentarem e acasalarem. Diversas espécies são vistas corriqueiramente por lá. As jubartes (da foto) e minkes são as mais comuns, mas é possível avistar até 11 espécies diferentes de baleias nestas águas, dentre as quais a baleia azul merece destaque. Curiosas, as baleias deixam os barcos se aproximarem sem medo. Observar estes animais nadando por baixo dos barcos e respirando tão perto que é possível sentir seu cheiro inspiram admiração e respeito por esses gigantes gentis.

vilarejo.jpg Seyðisfjörður é um pequeno vilarejo encravado num dos fiordes no leste da Islândia. As casas coloridas e a bela paisagem podem nos fazer pensar que este é um ótimo lugar para envelhecer em paz. No entanto, a vida não é simples em Seyðisfjörður. A atividade profissional se resume a algumas fazendas esparsas, no porto que recebe o navio que faz ligação com o continente europeu e uma fábrica de processamento de peixes. A Islândia não é um país ártico, mas as montanhas em volta do fiorde impedem que os 750 habitantes de Seyðisfjörður vejam o sol brilhar entre os meses de novembro e fevereiro. Segue o relato e um local sobre este assunto: "Em novembro, não temos mais sol aqui. Temos um pouco de claridade, mas sol mesmo, só em meados de março. Sentir o calor do sol na face depois de vários meses nos faz sentir eufóricos. É uma alegria imensa e dá vontade de fazer tudo ao mesmo tempo, menos de ficar dentro de casa. Vocês que vêm o sol todos os dias não sabem como é este sentimento. É algo muito especial".

montanhadupla.jpg Seyðisfjörður é dona de umas das mais belas paisagens da Islândia. No filme "A vida secreta de Walter Mitty", a personagem principal chega aqui de skate, serpenteando pela estonteante estrada que dá acesso ao vilarejo, pouco antes do Eyjafjallajökull entrar em erupção. O único problema é que este vulcão está a 500 km de distância de Seyðisfjörður. Mas para Hollywood, esse tipo de detalhe parece não importar.

aurora.jpg A Aurora Boreal é a principal atração da Islândia nos meses de inverno. Esse magnífico espetáculo pode ser visto em qualquer lugar da ilha nas noites sem nuvens. É difícil assimilar este fenômeno. É como se o céu estivesse em chamas, cujas labaredas mudam de cor e dançam num ritmo frenético. E tudo isso no mais completo silêncio. O contraste entre a a dinâmica dos movimentos coloridos e o completo silêncio intensifica ainda mais esse espetáculo.

icebergs.jpg Nós sempre ouvimos sobre aquecimento global, mas em Jökulsárlon é possível ver seus efeitos. Este lago cheio de icebergs que se desprendem da geleira Breiðamerkurjökull não existia há 80 anos atrás. Em 1920 a geleira chegava praticamente na praia e hoje ela está vários quilômetros de distância dentro da ilha, recuando na média 300 metros por ano. Esse lago de águas calmas é o mais profundo da Islândia, com cerca de 200 metros de profundidade. Jökulsárlon também trouxe a Islândia para as telas do cinema. Aqui foi o palco da perseguição de automóveis em 007- Um Novo Dia para Morrer. O som dos icebergs chocando-se entre si e estalando ao Sol transmite uma enorme tranquilidade.

nuvemlaranja.jpg A Islândia é um lugar para se descobrir cores e formas. Quando as nuvens ficam menos densas, o céu se torna uma pintura. O formato das nuvens, dos blocos de gelo e dos campos de lava nos fazem imaginar as mais diversas coisas. É um verdadeiro teste de Rorschach ao ar livre.

glaciers.jpg Explorar uma geleira é uma das aventuras mais intensas que se pode ter na Islândia. Andar sobre o gelo e visitar suas cavernas escavadas pela água é uma experiência sem igual.

P1030281.jpg As geleiras escondem diversas armadilhas. Os vários tons de azul prendem a atenção e, para os menos experientes, é fácil deixar de ver os buracos cobertos por uma fina camada de neve. Esses buracos podem possuir vários metros de profundidade e normalmente terminam em corredeiras de água sob a geleira. Logo, somente explore esses lugares com guias experientes.

A Islândia oferece muito mais do que é possível expor aqui. Essa ilha, um tanto misteriosa, abriga uma população endurecida por um clima extremo, mas que ainda assim é alegre, prestativa e solidária. Embora a natureza seja a majestade absoluta na Islândia, a cultura local também merece algum espaço na agenda dos visitantes. As Sagas, que contam estórias de heróis explorando este canto tão remoto, fazem frente aos contos de cavaleiros e princesas da Europa medieval. A mitologia de elfos, fadas e gnomos ajudam a deixar as brumas de mistérios mais espessas. Enfim, há tantas coisas a serem experimentadas na Islândia que todo mundo vai embora para casa com aquela sensação de que vai voltar um dia.


Luciano Leonel Mendes

Se você está há muito tempo sem sentir aquele frio na barriga, então você está fazendo alguma coisa de errado....
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/fotografia// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Luciano Leonel Mendes