a realidade transfigurada

Crítica e análise da sétima arte

Bruno Duarte

Escrever alivia a alma

  • Ava.png
    “Sin city: a dama fatal”, de Frank Miller e Robert Rodriguez

    A continuação no cinema do universo dos quadrinhos "Sin city", de Frank Miller, novamente aposta no seu visual expressionista. Além disso, homenageia pela linguagem cinematográfica e estrutura narrativa os principais elementos dos filmes noir.

  • Elenco.jpg
    Dupla identidade, de Glória Perez: episódio "piloto"

    Crítica e comentários a respeito do episódio “Piloto” da série “Dupla identidade”, escrita por Glória Perez.

  • Eric 1.jpg
    "The rover – A caçada", de David Michôd

    “The rover” é um filme árido, brutal, melancólico, que apresenta mais uma das possíveis previsões de como a humanidade vivenciará seu futuro, caso a ordem e o sistema político-econômico estabelecido entrem em colapso.

  • Thumbnail image for Claire e Virgil.jpg
    “O melhor lance”, de Giuseppe Tornatore

    Ao conceber um universo cinematográfico composto pela pintura, escultura, música clássica, e ainda questionando o que é genuíno ou falso, o filme de Giuseppe Tornatore é admirável em apresentar um roteiro atraente, quase literário, que sutilmente desvela os caminhos da trama.

  • Espelho 1.jpg
    “O espelho”, de Mike Flanagan

    O cineasta Mike Flanagan, diretor, roteirista e editor de “O espelho”, apresenta uma narrativa de terror eficaz, visto que torna absolutamente interessante uma estória comum do gênero. Leia aqui porque o diretor soube criar artisticamente um filme seminal de horror.

  • Evelyn Caster.jpg
    “Transcendence – A revolução”, de Wally Pfister

    O filme “Transcendence – A revolução” apresenta um elenco de dar inveja a qualquer cineasta. Em contrapartida, a estreia de Wally Pfister na direção não transcende e nem revoluciona os elementos básicos da sétima arte.

  • Mulher fogo.jpg
    “Sob a pele”, de Jonathan Glazer

    A ficção científica “Sob a pele”, de Jonathan Glazer, é um filme insólito que emprega de forma eficiente a linguagem cinematográfica e a trilha sonora para contar uma história lacunar, permeada de metáforas, símbolos e alegorias.

  • Cage e Rita 2.jpg
    “No limite do amanhã”, de Doug Liman

    “No limite do amanhã” é uma ótima ficção científica que concebe de forma exemplar os temas de viagem no tempo, invasão alienígena, batalhas espetaculares e a jornada de desenvolvimento do protagonista.

  • Magneto.jpg
    “X-Men: Dias de um futuro esquecido”, de Bryan Singer

    Baseado na HQ homônima, (X-Men: Days of future past, 2014) abre com uma premissa excelente, mas naufraga da metade para o final por apresentar um roteiro inconsistente e repetir o que já vimos nos filmes anteriores da franquia.

  • Adam na escola 1.jpg
    “O homem duplicado”, de Denis Villeneuve

    O filme “O homem duplicado” é uma adaptação que surpreende os fãs do cinema, bem como respeita a inteligência do telespectador. Além de apresentar uma narrativa permeada de referências simbólicas, o longa emprega de forma eficiente a linguagem cinematográfica.