abismo

Uma crítica profunda

Edivan Santtos

Colunista, poeta, escritor. Já basta.
http://edivansanttos.com/biografia/

O trágico fim da família Clutter

Uma trágica história pode não ter a mesma emoção de um final feliz, mas deve ser contada. Não para exercício de escrita, mas para atormentar seus leitores, para que as pessoas vejam as várias faces de um mesmo ser. E mais que isso. É vital para lembrarmos que o homem, esse animal racional, é o mais perigoso dentre todos os existentes.


Clutter_Family.jpg Família Clutter

A pacata cidade de Holcomb, no interior do Kansas, foi o cenário de uma das mais tristes histórias de chacina na época. A família foi amarrada e morta a tiros e golpes de machado. Os dois criminosos Perry e Dick se uniram depois de se conhecerem na prisão. Um ex empregado da família, contou muitos detalhes sobre a propriedade dos Clutter e um possível cofre cheio de dinheiro. Essa foi a frustração dos criminosos. Pois ao chegarem não encontraram o cofre que esperavam achar.

A família era composta por quatro pessoas, Herbert Clutter, sua esposa Bonnie Fox, Nancy, Kenyon. Os quatro eram pessoas queridas pela comunidade, segundo relatos. Nancy tinha vontade de estudar artes, e naquela época era considerada uma das mais belas meninas da cidade. Um dos motivos que chocam os interessados no caso, é o fato de Herbert Clutter ter 77 anos na época e não resistir ao assalto, seus filhos muito menos.

Herber, Bonnie, Nancy e Kenyon.jpg Herber, Bonnie, Nancy e Kenyon

A chacina chocou o estado naquele período. Mas ficou, de certa forma, mais conhecida devido a um polêmico jornalista que se interessou pelo caso e acompanhou todos os detalhes da investigação sobre o assassinato. Truman Capote é um dos nomes mais conhecidos no jornalismo, não só no estadunidense, mas também mundialmente.

Truman Capote

498px-TrumanCapote1959.jpg

Capote passou seis anos coletando informações com os vizinhos de propriedade, com os investigadores do caso, e com as pessoas da cidade em geral. Grande parte das conversas foram feitas sem o auxílio de gravadores, o jornalista apenas utilizou sua memória como fonte de arquivamento. Ele utilizava os detalhes colhidos para escrever um trabalho para a revista The New Yorker.

Os seis anos de pesquisa e renderam a publicação de quatro volumes seguidos na revista The New Yorker. Esse trabalho foi lançado com o título: A sangue frio. Um dos títulos mais conhecidos no mundo. Capote ficou conhecido como um excelente jornalista depois desse trabalho. Trabalho esse que virou um grande livro conhecido em todo o mundo. O polêmico escritor se intitulou o criador do gênero “romance de não ficção”. Mesmo sendo criticado por muito outros jornalistas mais consagrados, a excelência nas palavras de Capote não podem ser negadas. Mesmo sendo um relato de um crime aparentemente comum, o livro prende a atenção do leitor a cada momento, seja pelos detalhes minuciosos, seja pelo poder de segurar o leitor pela linguagem flúida e penetrante da obra.

Perry e Dick

a-sangue-f0rio1.jpg

Capote teve acesso à prisão em que os dois assassinos estavam. Isso foi decisivo para uma melhor elaboração da trama, com detalhes mais precisos sobre o crime que chocou o estado do Kansas e posteriormente o mundo, através de A sangue frio.

Perry e Dick forma presos e recebiam constantes visitas do jornalista. Capote que era conhecido por um comportamento “afeminado” foi acusado de ter um caso com Perry e ter modificado detalhes de como o crime aconteceu. Perry que tinha sérios problemas psicológicos. Os psiquiatras da época não conseguiram, no relatório apresentado ao júri, definir se o criminoso sofria ou não de distúrbios. Gostava de escrever e em uma das cartas que enviou Capote continha um poema escrito por ele. Dick tinha um comportamento mais agressivo e fervoroso. Os dois permaneceram presos até a data do enforcamento, 14 de abril de 1965.

a-sangue-frio1.jpg

Uma grande questão sobre a obra é uma das partes mais emocionante do livro, uma conversa entre agente Dewey, responsável pelo caso, e Susan, melhor amiga de Nancy no cemitério de Garden City ter sido inventada segundo o próprio escritor.

Entretanto, não é questionável o grau de literalidade em um caso que parecia ser só mais uma matéria jornalística, mas em vez disso ganhou o universo da literatura de uma forma jamais esquecida. Poema de Perry enviado a Trumam Capote:

“Para além das colinas distantes, Os sons plangentes dos curiangos, Reverberam em rochas e regatos, Esse gemido tão plangente! É o tordo tantas vezes ouvido, Pretendendo fazer de si um absurdo, Ou apenas um pássaro melancólico, Na verdade, triste como eu.”

Leia a conversa entre o agente Dewey responsável pelo caso e a melhor amiga de Nancy retirada do livro A sangue frio:

"-Já se não lembra de mim, Mr. Dewey? Sou Susan Kidwell. Ele riu-se e a rapariga aproximou-se: - Sue Kidwell! Diabos me levem! - Não voltara a vê-la desde o julgamento, era ela ainda uma criança. - Como tens passado? E atua mãe? - Bem, obrigada. Continua a ensinar música no liceu de Holcomb. - Não tenho ido para esses lados. Há por lá alguma novidade? - Oh, fala-se em pavimentar as ruas. Mas sabe como é Holcomb. Na verdade paro lá pouco tempo. Estou caloira na Universidade- declarou ela, referindo-se à Universidade do Kansas. - Vim passar uns dias a casa. - Muito bem, Sue. E que vais estudar? - Tudo. Principalmente arte. É do que mais gosto. Sinto-me realmente segura nessa matéria.-Alongou a vista para os campos: - Eu e a Nancy tínhamos projectado ir juntas para a Universidade. Ficaríamos no mesmo quarto. Penso nisso muitas vezes. De repente, quando estou a sentir-me satisfeita, recordo todos os planos que havíamos feito ambas. Dewey fitou a pedra escura com os quatro nomes gravados e a data das mortes: 15 de Novembro de 1959. - Vens aqui muitas vezes? - De vez em quando. Bolas! O sol está forte! - Protegeu os olhos com uns óculos escuros. -Lembra-se do Bobby Rupp? Casou-se com uma linda rapariga. - Também ouvi dizer. - Chama-se Colleen Whitehurst. É bonita a valer. E também muito simpática. - Ainda bem, coitado do Bobby. - E, para a arreliar, Dewey acrescentou: - E tu? Deves ter muitos apaixonados. - Oh, nenhum a sério. Mas ainda bem que fala nisso: Diz-me as horas, por favor? Oh! - exclamou ao ver que passava das quatro. - Tenho de ir embora a correr. Mas gostei muito de o ver, Mr.Dewey! - Também gostei muito de te ver, Sue. Felicidades! - acrescentou ainda, enquanto a rapariga se afastava pela alameda abaixo, uma jovem bonita, de cabelos ao vento, a brilhar, uma mulher bela como Nancy teria podido vir a ser. E depois, de regresso a casa, ao encaminhar-se na direcção das árvores, passou por baixo destas, deixando para trás o vasto céu e o murmúrio das vozes do vento que inclinava as hastes do trigo."

Existem dois filmes sobre a tragédia, um em 1967 e outro de 2005. Segue o trailer da versão de 1967:

A família Clutter foi assassinada na madrugada do dia 15 de novembro de 1959, a quantia encontrada com os ladrões foi 40 dólares. O preço que a família pagou pela ambição e perfídia humana.

Acompanhem mais publicações em : Edivan Santtos


Edivan Santtos

Colunista, poeta, escritor. Já basta. http://edivansanttos.com/biografia/.
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @destaque, @obvious //Edivan Santtos