Ágora

Construções verbais de colunas abstrativas

Alícia Madrid

Somos todos universos ambulantes com almas metamórficas.

Hygge: o aconchego da alma

Entender o que é Hygge faz brotar um calorzinho dentro da gente e um sorriso involuntário nos lábios. É uma sensação que todos conhecemos, mas que provavelmente nunca definimos com exatidão.


Esbarrei na explicação de “Hygge” em um artigo sobre palavras intraduzíveis pelo mundo - no qual “saudade” também estava presente. Acredito, de fato, que - embora tenham significados bem diferentes - assim como saudade, Hygge não é um termo feito para ser traduzido e sim sentido.

hygge3.jpg

A versão de Hygge que é hoje difundida mundialmente tem raízes na Dinarmarca. Sua pronúncia é algo como “hue-gah”. Contudo, originalmente, Hygge era uma palavra norueguesa utilizada para denominar o sentimento de bem-estar. A partir do século 19, ela foi se transformando e transcendendo seu próprio significado, para então se tornar uma postura de gentileza interior, manifestada nos detalhes da cotidianidade.

Hygge existe na companhia ou na solitude, no prazer contido em cada vez que realizamos um ato de amor - para com os outros e para com nós mesmos.

Dormir ouvindo o barulho da chuva, rir até a barriga doer, usar seu moletom favorito, encontrar amigos queridos, pisar descalço na areia, ler um livro maravilhoso, abraçar alguém longamente, beber água de coco em um dia de verão, segurar a mão de quem você ama, fazer café quentinho em uma manhã de domingo... esses são só alguns exemplos de experiências nas quais podemos nos sentir dessa forma.

hygge1.jpg

Autor do livro “The little book of Hygge: the Danish way to live well”, Meik Wiking acredita que os elementos chave da manifestação de Hygge são: conexão, relaxamento, sensação de conforto e segurança, gratidão, anti-materialismo e prazeres simples.

Das definições que já li a respeito do termo, a que acho mais fácil de compreender é que Hygge representa “o aconchego da alma”.

Hygge pode existir a qualquer momento, em qualquer lugar. Hygge nos mostra que a felicidade não é necessariamente compatível com a riqueza e que podemos preencher nossos vazios existenciais com pequenos cuidados, olhares atentos e corações gratos.

Mais do que um conceito, Hygge é uma atitude perante a vida. É notar a beleza sutil de momentos especiais, mas principalmente, daqueles mais singelos.


Alícia Madrid

Somos todos universos ambulantes com almas metamórficas..
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Alícia Madrid
Site Meter