ai tia chica

aleatoriedades randômicas

jic

Do tempo em que éramos chamados de micreiros, passando por fuçadores e agora genericamente de nerd/geeks.

Isto irá revolucionar a educação

Como funciona o aprender? Como ajudar a ensinar? Quais ferramentas e recursos ajudam a otimizar? O que é importante na sala de aula? Quem participa e atua no processo?


"Isto vai revolucionar a educação".

Nenhuma previsão foi feita tantas vezes e foi incorreta como esta.

Captura-This_Will_Revolutionize_Education-1.mp4-1.pngDerek Muller veritasium.com

Em 1922, Thomas Edison declarou que “A foto em movimento está destinada a revolucionar o nosso sistema educacional e em poucos anos irá largamente substituir, senão por completo, o uso de livros didáticos”.

Certo... E sabem o que aconteceu, né?

Captura-This_Will_Revolutionize_Education-1.mp4-3.png

Nos anos 30 foi rádio. A ideia era que podia enviar especialistas diretamente nas salas de aula, melhorando a qualidade da educação para mais estudantes e por um custo menor. E isto significa que precisaria menos professores formados. Um tema comum a todas as revoluções educacionais. Como a de televisão educacional nos anos 50 e 60. Foram feitas pesquisas para determinar se estudantes preferiam assistir a uma aula ao vivo, ou sentar em uma sala ao lado onde a mesma aula era mostrada ao vivo na televisão. O que você preferia?

Nos anos 80 nem houve debate. Computadores eram a solução revolucionária de todas os nossos problemas educacionais. Eram com áudio e vídeo, interativos e podiam ser programados para fazer quase qualquer coisa. Bem, na época podiam rodar Oregon Trail. Mas o potencial era óbvio.

Pesquisadores pensaram que se podiam ensinar crianças a programar, digamos como mover uma tartaruga na tela (linguagem LOGO), então os seus habilidades de raciocínio também iriam melhorar.

E o que aconteceu?

Bem, os alunos ficaram bons em programar a tartaruga, mas a capacidade de raciocinar não foi afetada.

Mesmo nos anos 90 não tínhamos aprendido nada dos fracassos das previsões anteriores. E cito: “O uso de videodiscos em sala de aula está aumentando a cada ano e promete revolucionar a sala de aula de amanhã” ( Semrau & Boyer, Using interactive video in education, 1994). Videodiscos? Sim, aqueles discos gigantes tipo CD.

Lembram como revolucionaram a educação?

Hoje em dia um monte de coisas supostamente vão revolucionar educação, como lousas eletrônicas, smartfones, tablets, MOOCS. Esses Cursos Online Abertos e Massivos. E alguns acreditam que estamos perto de uma máquina universal de ensinar, um computador tão poderoso que é essencialmente como ter seu próprio tutor pessoal numa máquina. Um estudante faria lições bem-estruturadas no seu próprio ritmo, recebendo retornos imediatos e personalizados, e tudo isto sem a necessidade destes professores intrometidos e caros.

Parece familiar?

Nos últimos 100 anos, houve uma revolução em muitas áreas. Mas a educação não foi uma delas. Em geral, os estudantes ainda são ensinados em grupos, por um único professor. E isto não parece ser uma revolução. Alguns colocam a culpa desta situação na inércia das nossas instituições de ensino. É muito difícil mudar uma burocracia tão grande.

Mas acho que o motivo porque a tecnologia não revolucionou educação é outro. Algo sobre o que realmente é educação.

Vamos considerar o processo de aprendizagem. Digamos que quer ensinar alguém como a coração humano bombeia sangue. Qual recurso educacional pensa que seria mais eficaz, uma animação com narração ou esta imagem estática com texto?

Captura-This_Will_Revolutionize_Education-1.mp4-8.png

Óbvio que a animação é melhor. Para começar, mostra exatamente o que a coração faz. Por décadas, pesquisa educacional focou em questões como esta. Um vídeo promove aprendizagem melhor que livros? Aulas ao vivo são mais eficazes do que aulas pela TV? Animações são melhores que imagens estáticas?

Em todos os estudos bem-controlados o resultado é que não há diferença significativa. Isto é, desde que o conteúdo seja equivalente entre os dois tratamentos, os resultados de aprendizagem são os mesmos para todas as mídias diferentes. Como isto é possível? Como algo que parece tão poderoso, como uma animação, pode ser não mais eficaz que uma imagem estática?. Bem, para começar, animações são rápidas e se pode perder algo quando passam.

E, já que as partes são animados para você, não é preciso imaginar mentalmente como as partes estão se movendo. Desta maneira não precisa investir muito esforço mental, o que deixaria a animação mais memorizável. De fato, às vezes imagens estáticas funcionam melhor que animações.

E acho que isto aponta para um aspecto realmente fundamental de educação, que é que não importa o que acontece em volta do aprendiz. Não somos limitados pelas experiências dadas aos estudantes. O que limita o processo de aprendizagem é o que acontece na cabeça do aluno.

É lá que a parte importante do processo de aprendizagem acontece. Nenhuma tecnologia é intrinsecamente superior a nenhuma outra. Pesquisadores gastaram tanto tempo comparando a eficácia de tipos de mídia ou tecnologias que deixaram de investigar exatamente como usar a tecnologia para que promove processos de aprendizagem significativos. A questão na verdade é quais experiências promovem a maneira de pensar requisito para aprender.

Recentemente, este tipo de pesquisa está sendo feita e descobrimos coisas importantes. Parece óbvio, mas acontece que aprender com palavras e imagens juntos, seja em forma de animação narrada ou seja com imagens estáticas e texto, funciona melhor que somente palavras. Também, coisas supérfluas devem ser eliminadas de uma lição. Por exemplo, texto na tela compete no visual e alunos aprendem melhor quando é eliminado.

Captura-This_Will_Revolutionize_Education-1.mp4-9.pngMesmo que o texto duplique a narração exibida ele interfere no aprendizado por partir a atenção da informação exibida na tela.

Agora que sabemos como fazer vídeos educacionais e agora que qualquer experimento pode ser simulado por meio de vídeo, a vídeos online devem ser a plataforma que vai revolucionar educação.

O número de vídeos educacionais na internet está aumentando a cada dia. Então porque precisamos de professores? Bem, se você pensa que o papel fundamental de um professor é transmitir informação da sua cabeça para a cabeça dos seus estudantes, então sim, tem razão, são obsoletos.

Provavelmente está imaginado uma sala de aula onde este professor vomita fatos numa taxa apropriado para um aluno, rápido demais para a metade e devagar demais para o resto.

Captura-This_Will_Revolutionize_Education-1.mp4-10.png

Felizmente, o papel fundamental de professores não é entregar informação.

É orientar o processo social de aprendizagem. A função do professor é inspirar, desafiar, incitar os seus estudantes para que querem aprender. Sim, explicam e demonstram e mostram coisas, mas fundamentalmente isto são coisas que importam menos. A coisa mais importante um professores faz é deixar todos os alunos se sentirem importantes, fazer eles se sentir responsável pela sua aprendizagem.

Tudo isso não quer dizer que tecnologia não houve impacto na educação. Alunos e professores trabalhem juntos e se comunicam usando computadores. Vídeos são usado dentro e fora da sala de aula.

Mas tudo isso é melhor caracterizada como evolução, não revolução. O fundamento da educação ainda é a interação social entre professores e alunos.

Por mais transformativa uma tecnologia possa parecer, como cinema ou computadores ou lousas eletrônicas, o que realmente importa é o que acontece dentro da cabeça do aluno.

E para fazer um estudante pensar parece ser essencial um ambiente social com outros estudantes e um professor que se importa.

____________________________________

Transcrição do vídeo This Will Revolutionize Education do canal Veritasium.


jic

Do tempo em que éramos chamados de micreiros, passando por fuçadores e agora genericamente de nerd/geeks..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Educação// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //jic