animus movendi

Relativizando o movimento e o referencial

LuhanaSP

Palavras libertam sentimentos - movimento contínuo

Lixo espacial

Produzimos lixo: aquilo que se varre para tentar esquecer que o produto da obra não foi totalmente aproveitado. São restos, dejetos, descartáveis sobras...


Mais uma ameaça?!

Tivemos a recente notícia, que pela terceira vez em doze anos, a Estação Espacial Internacional (ISS) enfrentou o risco iminente de ser atingida por lixo espacial. Desta vez, segundo a agência espacial russa, um pedaço de foguete passou a uma distância de 23 quilômetros da estação, em alta velocidade. Por isso, a tripulação teve que se refugiar nas cápsulas Soyuz - veículos de fuga em caso de problemas.

Estação-Espacial-Internacional-ISS.jpg

Desde o lançamento do Sputnik, em 1957, o espaço vem sendo explorado por objetos colocados em órbita. Naves, foguetes e satélites, após perderem a utilidade, permanecem no espaço com o status de poluidores. A NASA já rastreou cerca de 22 mil objetos (destroços acima de 10 cm) percorrendo a órbita terrestre.

Lixo espacial.jpg

Não há legislação que regulamente sobre as responsabilidades dos países ou instituições que lançam objetos ao espaço, nem sobre a permanência destes quando obsoletos, a produção e transformação deste tipo de lixo.

Apocalípticos temem a Síndrome de Kessler. De acordo com este físico da Nasa, haverá um momento em que o espaço terá tantos detritos que será impossível utilizá-lo. E a explicação plausível é que quando dois objetos se chocam, geram mais fragmentos e multiplicam o número de elementos em órbita, ampliando a probabilidade de novos choques. Uma desculpa perfeita para as operadoras de telefonia celular, acredito.

sonda.jpg

Produzimos lixo: aquilo que se varre para tentar esquecer que o produto da obra não foi totalmente aproveitado. São restos, dejetos, descartáveis sobras...

Um dos paradoxos essenciais do bicho homem.

O BICHO VI ONTEM um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa, Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem. (Manuel Bandeira)


LuhanaSP

Palavras libertam sentimentos - movimento contínuo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/tecnologia// //LuhanaSP