Anna Anjos

Anna Anjos é ilustradora e artista visual. Apaixonada por música, mitologia, folclore e antropologia cultural. | www.annaanjos.com

O futuro retrô de Villemard

Em 1910, o ilustrador francês Villemard criou a Utopia, uma série de postais nos quais retratou sua visão sobre como seria a vida cotidiana de Paris no ano 2000. Curiosamente, muitas de suas antevisões tornaram-se realidade, como os monotrilhos, a teleconferência, máquinas de guerra e a robótica.


3367567475_83a7c1a242_o.jpg"Leominster no futuro" - série "Utopia", de Villemard, 1900

Alguns anos antes do novo milênio, houve uma intensa especulação sobre como seriam os anos 2000. Escritores de ficção científica manifestavam suas visões do futuro: HG Wells publicava, em 1895, a primeira versão de seu romance de ficção científica A Máquina do Tempo, enquanto George Orwell previa um futuro bem mais distópico em “1984”. Menos conhecido – porém tão inspirado quanto estes autores – foi o artista francês Villemard que, em 1910, teria criado uma série de ilustrações representando a vida parisiense em 2000.

3367570019_2bdf6067c1_o.jpg"Fonotelégrafo" - série "Utopia", de Villemard, 1900

Intitulada Utopie ("Utopia"), a série criada por Villemard evoca a visão do artista sobre como seria a vida no final do século 20. Os cartões postais colecionáveis são parte do acervo permanente da Biblioteca Nacional da França. Impressos em cromolitografia (método da litografia através da qual os desenhos são impressos em cores), as ilustrações seriam brindes das embalagens de produtos alimentícios. As invenções destinadas a melhorar a vida cotidiana são vistas lado a lado com alusões mais eruditas. Curiosamente, a moda do vestuário retratada é da Belle Époque.

3367568863_83e9d536db_o.jpg"Aeronave de longo alcance" - série "Utopia", de Villemard, 1900

3_95a2.jpg"Canteiro de obras elétrico" - série "Utopia", de Villemard, 1900

3_95b1.jpg"Na escola" - série "Utopia", de Villemard, 1910

Villemard previa um mundo cujo cotidiano assemelha-se ao que vivemos, com monotrilhos, teleconferência e trens elétricos fazendo grandes e rápidas viagens, como na ilustração O trem elétrico Paris-Pequim. Villemard também teria imaginado um tipo de interação digital do conhecimento ao ilustrar um professor alimentando com livros uma espécie de moedor de carne, cujas informações seriam transmitidas aos alunos através de fios conectados diretamente em suas cabeças. Seria essa, talvez, uma antevisão do computador e da internet?

3368392862_eed49503f7_o.jpg"Festival das Flores" - série "Utopia", de Villemard, 1910

3_95a8.jpg"Escoteiros ciclistas" - série "Utopia", de Villemard, 1910

Obcecado por máquinas voadoras – até então em estágio embrionário –, Villemard projetou o “cliente-aviador”, o “navio-zepelim” e os helicópteros de vigia. Segundo o artista, as metrópoles se estenderiam pelas alturas com modernos sistemas de transporte. Em War Machines, Villemard imaginou uma das máquinas de guerra mais modernas do século 21: o F-22 Raptor, criada em 1997.

3368393422_bd06c1163e_o.jpg"Resgate" - série "Utopia", de Villemard, 1910

3367569317_45b8b6b854_o.jpg"Patins de rodas elétrico" - série "Utopia", de Villemard, 1910

3368397450_d80c5c0dce_o.jpg"O agente aviador" - série "Utopia", de Villemard, 1910

Algumas das visões mais curiosas de Utopia seriam os policiais voadores (ainda não existentes no mundo real, mas já presentes em filmes como Minority Report) e os patins movidos a gás. Capazes de atingir a velocidade de 20 milhas por segundo, os patins que Villemard imaginou teriam sido apreendidos em 2007 pelas autoridades britânicas, pois poderiam expor os velocistas a quedas, riscos de incêndio e paradas repentinas que os arremessariam para a frente.

Na visão de Utopia (um steampunk em grande estilo, apesar de adiantar este movimento artístico em pelo menos 50 anos) muitos conceitos e tecnologias que hoje nos são familiares (como a conversão da informação no livro para áudio - audiobook, podcast -, máquinas de guerra, teleconferência, miniaturização e robótica) estavam limitados pelo conhecimento científico daquela época e que, por este motivo, renderam fascinantes realidades especulativas - provando que o futuro da tecnologia sempre estará na imaginação humana.


Anna Anjos

Anna Anjos é ilustradora e artista visual. Apaixonada por música, mitologia, folclore e antropologia cultural. | www.annaanjos.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/artes e ideias// @destaque, @obvious //Anna Anjos
Site Meter