artefacto artefoto

O olhar perplexo de um Poeta diante da Vida

João Carlos Figueiredo

Um escritor e uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: arte e foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte...

Tempos Estranhos

"Antes que os olhos possam ver, devem sem incapazes de lágrimas;
Antes que o ouvido possa ouvir, deve ter perdido a sensibilidade;
Antes que a voz possa falar em presença dos Mestres;
Devem ter perdido a possibilidade de ferir;
Antes que a Alma possa erguer-se na presença dos Mestres...
É necessário que seus pés tenham sido lavados no sangue do coração."


No Universo interior de cada ser existem duas realidades: A que se vê, onde se vive, com quem se relacionam os seres... E outra realidade, mais intensa, mais sutil e, portanto, inacessível Aos olhos e sentidos de quase todos nós.

Essa presença óbvia e permanente ofusca a outra, etérea e difusa... Seres abstratos se movem lentamente na imensidão de tudo, Interpenetrando espaços e certezas, desapercebidos e silentes... A eles pouco importa essa realidade crua, dura, material. Apenas energia, pura, leve, impermanente e luzidia, Vibrando em intensidades imperceptíveis neste mundo, Realidade e ficção: apenas duas faces da mesma eternidade.

Incompatíveis, irreconciliáveis, noite e dia, dia e noite, Clarão e escuridão, multidão e solidão, paz e violência... Aos que vivem apenas da realidade pura, material. Não existe PAZ... e o AMOR se restringe a efêmeros instantes... Não existe LUZ, exceto aquela visível, pálida e monótona. Não existe ETERNIDADE, e todos estão sujeitos à morte em vida.

Aos Seres Iluminados, contudo, lhes é dada a percepção de tudo: PAZ, AMOR, PERMANÊNCIA, ETERNIDADE, INFINITUDE... Aos Terrenos, a curta permanência, a dor e o sofrimento; Aos Etéreos, a Compreensão e Harmonia Universal! Porém, para atingir tal percepção, não basta viver... É preciso sofrer e morrer... é necessário abdicar de TUDO!

É imperativo o DESAPEGO... e como é difícil desapegar... O caminho do aprendizado é longo e tenebroso... A poucos é dado o Conhecimento... não basta querer... As duas realidades estão diante de nós, mas poucos podem vê-las.

A esses é dada a opção: voltar ao mundo real ou enfrentar o MITO! O Mito é um ser gigante, impiedoso e forte. Imbatível! Mas, se é imbatível, como enfrentá-lo? Esse é o Caminho: a Mitologia mostra esse dilema.

Mas poucos conseguiram ler os pergaminhos da Sabedoria... E mesmo àqueles que o compreenderam, poucos sobreviveram... Pois a imagem do OUTRO LADO é apavorante, para os não iniciados... Para compreendê-la é imprescindível abrir mão de TUDO!

Talvez ninguém que lê esse texto compreenda o que significa TUDO... Todos estamos imersos em um Universo dual: CERTO ou ERRADO. Mas o CAMINHO não é o do Certo ou Errado... é o da VERDADE!

Poucos podem olhar para ele! Poucos podem "queimar seus navios"... Interessante como a Literatura oculta sinaliza esse Caminho... Apesar de ÓBVIA, poucos a compreenderam, E criaram diferentes interpretações primárias, singulares... Mas a SABEDORIA está muito além de nossa compreensão...

"Quando o Discípulo está preparado, o Mestre aparece", diziam os mestres budistas... Mas como é difícil perceber a figura do MESTRE na infinitude dos seres terrenos... Pois ele não está entre nós... O Mestre está oculto nas palavras...

Mas por que ele não se apresenta claramente aos buscadores? Porque, mesmo entre aqueles que estão no Caminho, Poucos são capazes de compreender as Verdades Eternas... Você está preparado? Pode se desfazer de suas vestes?

Pode se oferecer ao sacrifício no Altar dos Templos? Muitos interpretaram essa indagação como uma verdade, Mas não existe Verdade nas palavras de qualquer idioma... A verdade está além... muito além das palavras...

E mesmo que vivas muitas reencarnações, Pode ser que jamais compreendas o Significado! E aqui Reproduzo as palavras mais sábias, mais absolutas, mais completas que um Mestre poderia dizer aos que não alcançaram a Iluminação.

São palavras de Mabel Collins, discípula de Helena Petrovna Blavatski, A grande mestra da Teosofia! A Mestra das Mestras...

"Antes que os olhos possam ver, devem sem incapazes de lágrimas; Antes que o ouvido possa ouvir, deve ter perdido a sensibilidade; Antes que a voz possa falar em presença dos Mestres; Devem ter perdido a possibilidade de ferir; Antes que a Alma possa erguer-se na presença dos Mestres... É necessário que seus pés tenham sido lavados no sangue do coração."


João Carlos Figueiredo

Um escritor e uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: arte e foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte....
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/Filosofia// //João Carlos Figueiredo