artefacto artefoto

O olhar perplexo de um Poeta diante da Vida

João Carlos Figueiredo

Um escritor e uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: arte e foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte...

República Bolsonariana do Alentejo

Estamos em uma encruzilhada: ou nos livramos dessas figuras primitivas e nefastas (enquanto é tempo), ou veremos nossas liberdades democráticas se esvaírem em fogo pela transformação do Brasil em uma República Bolsonariana diante de nossos olhos... as milícias já estão sendo formadas: mudanças na legislação que legalizam porte de armas, permitindo a compra de até quatro armas por cidadão e para cada moradia que possua, e adquirir até duzentas munições por ano para cada arma de fogo.


Bolsonarianos.jpg

No princípio, acreditamos que ele era apenas mais um simplório com ideias imbecis e um público de preconceituosos, que alimentava o sonho de resgatar a ditadura militar, fortalecer o machismo nacional, execrar as mulheres, os negros, os indígenas e os homossexuais e assemelhados. Suas manifestações na Câmara dos Deputados eram hilárias e desprezíveis, tal como a homenagem ao torturador Brilhante Ulstra, algoz de Dilma Rousseff, mas ninguém acreditava que esse arremedo de fantoche representava algum risco à soberania nacional, à Democracia brasileira, às estruturas sociais desenvolvidas nos últimos trinta anos, frutos da Constituição de 1988 e do resgate da cidadania depois de 21 anos de Ditadura Militar.

Vieram as manifestações gigantes contra Dilma, a Louca, os protestos de 2013 contra um aumento de vinte centavos nas passagens de ônibus do Rio de Janeiro, os Blackblocs quebrando tudo por onde passavam, misturados na multidão... seguiu-se o impeachment, a posse de Temer e o projeto para o Brasil, assinado pelo PMDB, fazendo uma guinada radical para o Liberalismo Econômico. Era o alarme que ninguém viu! As eleições viriam a seguir, passando pelas turbulências da Operação Lava Jato, a crucificação de Lula e o exorcismo do PT, como a origem de todos os males do Brasil, ainda que os partidos do Centrão fossem os maiores beneficiados pelas falcatruas do Partido dos Trabalhadores.

Em meio à tempestade, Bolsonaro surgiu das trevas de seu inferno particular, trazendo consigo seus três filhotes amestrados e um Guru travestido de filósofo, tendo em seu currículo o título de Astrólogo, e dono de uma plêiade de seguidores fanáticos, que acreditavam na Terra Plana, na "Teoria" do Creacionismo e em tantos outros mitos medievais trazidos das profundezas do inferno dantesco das religiões pentecostais. De sua postura radical e violenta, surgiu o BOLSONARIANISMO! Inicialmente discreto, um movimento obscuro alimentava o ódio e a vingança de seus seguidores, cada vez mais audaciosos, usando as redes sociais como mídia eleita para apoiar o novo MITO que se destacava para as eleições que se aproximavam. Em meio às denúncias de corrupção, o PT se dissolvia e Lula foi, finalmente, PRESO!

As eleições foram permeadas de uma enxurrada de FAKE NEWS, alimentada pelo que seria depois sacramentado como o GABINETE DO ÓDIO, capitaneado pelo NÚMERO DOIS, dos três filhotes de Bolsonaro. Enquanto isso, os candidatos ocupavam a mídia tradicional, disparando um tiroteio que desqualificou todos os opositores ao Petismo e ao Lulismo dos anos 2002 a 2016. Da cadeia, Lula não abria mão do comando de seu partido, determinando até o que o seu candidato, Fernando Haddad, falaria em seus comícios, ditado pelo Pai dos Pobres, o LULA! Haddad chegou a usar uma máscara com a figura do grande líder do Partido dos Trabalhadores, dando a entender ao seu eleitorado que, sendo eleito, quem governaria, de sua cela na Polícia Federal, seria Luiz Inácio "Lula" da SIlva, e não o acadêmico do PT.

O efeito da primeira campanha presidencial através das mídias eletrônicas foi devastador: BOTS e POSTS, produzidos para o candidato fascista, disseminavam as mentiras e as teorias conspiratórias patrocinadas por grandes empresários brasileiros, donos de empresas como Centauro, Coco Bambu, Polishop, BBeyauty'in e HAVAN. Piratas da internet, a partir de sites do exterior e da chamada DEEP WEB invadiram a privacidade dos grupos de WhatsApp, do Facebook, do Twitter e do Instagram, propagando a maior campanha de todos os tempos, e neutralizando os investimentos milionários das campanhas tradicionais dos demais candidatos. A consequência foi a chegada ao segundo turno de HADDAD x BOLSONARO.

Foi um massacre! na etapa final das eleições estava formada a TROPA DE CHOQUE do BOLSONARIANSMO, a versão tupiniquim do CHAVISMO e do Bolivarianismo que reina na Venezuela desde 1999 e prossegue até os dias atuais na figura de seu sucessor, Nicolás Maduro. Estes, em seus mandatos, montaram a mais poderosa força de defesa de um ditador depois de ADOLF HITLER, e baseado nos mesmos princípios do NAZIFASCISMO que dominou o mundo durante a transição da Primeira para a Segunda Guerra Mundial, deixando para trás um rastro de seis milhões de judeus assassinados nos fornos crematórios dos campos de concentração europeus, concebidos por Heinrich Himmler, e de setenta milhões de mortos nos campos de guerra da Europa, da Ásia e do resto do mundo.

Em que consiste esse modelo de dominação e para onde estamos sendo levados?

Em seu primeiro ano de governo, Bolsonaro conseguiu neutralizar os partidos políticos de oposição, a imprensa liberal e a opinião pública, graças a três escolhas para seu ministério: Sérgio Moro, ministro da Justiça e da Segurança Pública, Paulo Guedes, Ministro da Economia e Tereza Cristina, ministra da Agricultura. Essas três personalidades cativaram os principais segmentos da Sociedade: os apoiadores da Operação Lava Jato (incluindo a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o povo que apoiou essa investigação dos crimes de corrupção cometidos durante os governos petistas), os empresários do Agronegócio e da Indústria paulista e os evangélicos, que viam nesse "MITO" a oportunidade de prosperar em seu processo de transformação da sociedade em um mundo imaginário de conservadorismo extremo, contra as ideias socialistas ("quem não é de direita, é comunista"!), contra o aborto e contra "tudo isso que está aí", como costuma dizer esse arremedo de tirano chamado Jair Messias Bolsonaro. Apoiando e dando suporte da Força Militar a esse governo, em apenas um ano e meio foram colocados em cargos estratégicos de toda estrutura da Administração Pública Federal, mais de três mil militares das Forças Armadas, dando sinal verde para tudo o que fosse concebido por essa mente doentia.

Contrapondo-se às "estrelas" dos ministérios, algumas aberrações intelectuais preencheram o vazio desse espaço de experimentações radicais de direita, como o General Augusto Heleno, da Segurança Institucional, dando força ao extremismo armamentista; o "diplomata" Ernesto Araújo, do Itamaraty, rompendo com as principais alianças internacionais do Brasil e colocando em xeque a brilhante história da Diplomacia nacional; o incendiário Ricardo Sales, prometendo desfazer doze anos de políticas públicas de defesa do Meio Ambiente e da proteção de nossos Biomas da Amazônia, do Cerrado, do Pantanal e da Mata Atlântica; a patética figura de Damares Alves, a Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, figura ridícula e simplória, cuja única característica (ou "qualidade") consiste em suas manifestações medíocres, até mesmo para uma criança; e, finalmente, o nazista Abraham Weintraub, ministro da Educação, um psicopata que diz odiar os Povos Indígenas, que promete uma revolução às avessas da Educação pública, que pretende eliminar a memória de um dos maiores educadores de todos os tempos Paulo Freire, e outras tantas façanhas incompreensíveis!

Estamos em uma encruzilhada: ou nos livramos dessas figuras primitivas e nefastas (enquanto é tempo), ou veremos nossas liberdades democráticas se esvaírem em fogo pela transformação do Brasil em uma República Bolsonariana diante de nossos olhos... as milícias já estão sendo formadas: mudanças na legislação que legalizam porte de armas, permitindo a compra de até quatro armas por cidadão e para cada moradia que possua, e adquirir até duzentas munições por ano para cada arma de fogo. Outro aspecto preocupante é o fascínio que esse ser aloprado exerce sobre os militares de qualquer nível, mas principalmente sobre soldados rasos, cabos, sargentos, tenentes e generais da reserva. As polícias militares estaduais estão cada vez mais próximas do presidente.

Foi de modo análogo que o Nazismo e o Fascismo se instalaram na Alemanha e na Itália, respectivamente, nos anos que antecederam a deflagração da Segunda Guerra Mundial. No filme "O Ovo da Serpente", o grande cineasta sueco Ernst Ingmar Bergman relata o processo social que resultou no crescimento do nazismo e na ocupação de todos os postos políticos, eliminando o regime anterior e substituindo-o por um estado totalitário e desprezível. Assim se manifesta o jornalista Fernando Gabeira, no jornal "O Estado de São Paulo", em sua análise: "O Ovo da Serpente é o nome de um filme de Ingmar Bergman que mostra os conflitos e a desordem que antecederam a ascensão do nazismo. Vivemos um momento complicado de violência, deboche, em que quase todos os conflitos degeneram em agressões, incêndios: a democracia não anda bem em nosso país. Ainda assim, acho inadequada a expressão 'ovo da serpente'. Não vejo na conjuntura internacional uma brecha para regimes autoritários com o nível de inserção econômica e política do Brasil. Mesmo porque a visão de Bergman do ovo da serpente pode não ser a única para descrever a situação brasileira." - escrito em 2014 (1)

Discordo da conclusão do grande jornalista e político, pois os alemães tanbém não acreditavam que Hitler se tornasse aquela figura desprezível, um tirano comparável a Nero, dos Romanos, capaz de incendiar toda a Europa e expandir a guerra por quase todos os países do mundo durante seus dez anos no poder. Se Bolsonaro conseguir terminar seu mandato, a probabilidade de ser reeleito, mesmo com tantos absurdos inconsequentes que fala e produz, é muito grande. Afinal, somos um povo ignorante, mal instruído, ingênuo e despreparado para discernir entre um bom candidato e um "déspota não esclarecido". Até hoje, muitos que votaram nele se justificam ao afirmar que "não sabiam", que acreditavam que ele iria acabar com a corrupção e eliminar os maus políticos. Agora vemos os MESMOS POLÍTICOS do CENTRÃO assumirem postos importantes do governo; vemos dois ministros serem trocados em menos do um mês na pasta da Saúde, durante a pior epidemia das últimas cinco décadas; vemos nossas florestas queimarem pela ação criminosa de latifundiários, sendo que a maior parte de suas propriedades ainda poderia produzir muito mais, sem desmatar e sem desrespeitar o Código Florestal e a legislação ambiental produzidas conforme seus interesses; vemos o desprezo desse cidadão de quinta categoria vilipendiar dos pobres, dos indígenas, dos quilombolas, das mulheres e de todas as minorias desprotegidas, com sua arrogância e estupidez!

Acautelem-se, pois o demônio que foi despertado nesse monstro ainda incendiará nossas famílias e nossos ideais!

(1) https://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,o-ovo-da-serpente-imp-,1130219 Fernando Gabeira*, O Estado de S.Paulo - 14 de fevereiro de 2014


João Carlos Figueiredo

Um escritor e uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: arte e foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte....
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Política// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //João Carlos Figueiredo