artefacto artefoto

O olhar perplexo de um Poeta diante da Vida

João Carlos Figueiredo

Um escritor, uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: Arte e Foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte...

A maior democracia do mundo

Diante dos olhares do mundo, dois mitos foram demolidos: TRUMP é uma FARSA, assim como seu país não é a "maior democracia do mundo". A invasão do Capitólio por bárbaros contemporâneos jogou por terra a farsa da Democracia norte-americana... Depois das cenas que chocaram o mundo, cabe-nos desvendar a cortina da hipocrisia do povo americano.


Bandeira Confederada.jpg Bandeira Confederada, utilizada pelos sulistas durante a Guerra de Secessão

Há tempos quero escrever sobre esse MITO: Os Estados Unidos da América (do Norte) jamais foram a pátria da democracia... para desfazer essa mentira e resgatar os valores da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade, vamos retroceder na História e descerrar a cortina da falsidade que o mundo engoliu, diante da farsa do "gigante do norte".

Liberté Egalité Fraternité.jpg Slogan dos revolucionários que derrubaram a monarquia francesa em 1789

As treze colônias

"Também chamadas de treze colônias britânicas ou treze colônias americanas, as treze colônias eram formadas pelos seguintes estados: Carolina do Norte, Carolina do Sul, Connecticut, Delaware, Geórgia, Rhode Island, Massachusetts, Mayland, New Hampshire, Nova York, Nova Jersey, Pensilvânia e Virginia. Mayflower (em português: "flor de maio") foi o famoso navio que, em 1620, transportou os chamados Peregrinos, do porto de Southampton, Inglaterra, para o Novo Mundo, que viriam a unificar o país." [Wikipedia]

A Corrida do Ouro, ou a Corrida para o Oeste

Cerca de dois séculos depois da chegada de Colombo às Américas, na disputa entre franceses e ingleses, os colonizadores britânicos levaram a melhor e declararam sua independência, dando início à ocupação do território. A chamada "corrida do ouro", ou a ocupação do oeste continental ocorreu com o massacre dos povos indígenas que habitavam aquele continente, assim como fizeram os espanhóis na América Central e oeste da América do Sul, e os portugueses (e seus missionários, antes Jesuítas e Salesianos, agora Evangélicos) em nosso país.

A colonização do território norte-americano se deu pelos descendentes de protestantes ingleses, conhecidos como "Pais Peregrinos" ou PILGRIMS, de formação religiosa puritana, usando vestes e chapéus negros, com suas longas barba e hábitos extremamente conservadores. As contradições desse povo se evidenciaram ao longo de sua história, não apenas pela ocupação do território às custas de seus habitantes tradicionais, massacrados pelos aventureiros, ávidos de riqueza e desprovidos de escrúpulos com relação aos ameríndios, mas também pelos conflitos de interesses entre sulistas e o restante do país, o que resultou em uma guerra civil sangrenta e cruel.

O Sistema Escravocrata

Desde suas origens, assim como em toda América, a escravidão foi o recurso primordial utilizado pelos europeus para seu enriquecimento fácil, às custas de milhões de vidas humanas. Igualmente cruel foi o tratamento violento dado a esses escravos, submetidos às mais terríveis condições sub-humanas pelos seus "senhores" brancos. No entanto, paradoxalmente, esse racismo exacerbado se estende até os dias de hoje, mesmo depois da luta de Malcolm X e de Martin Luther King em defesa da igualdade de direitos, como se verificou nos violentos protestos do ano passado, cuja causa foi o cruel e sádico assassinato de um negro por um policial branco, que o asfixiou publicamente diante das pessoas que se encontravam no local de seu martírio.

No Brasil, um dos últimos países do mundo a abolir a escravidão, ainda hoje se encontram resquícios dessas práticas abomináveis. No sertão, nas pequenas cidades do interior do país, onde nem a polícia está presente, e as leis não são conhecidas nem cumpridas, não raras vezes, fiscais do Ministério do Trabalho (hoje apenas uma secretaria do Ministério da Economia) ainda encontram trabalhadores em situação de escravidão, em moradias coletivas e sem qualquer conforto ou higiene, subjugados por fazendeiros sem escrúpulos. Até mesmo em São Paulo, a 9ª cidade do mundo em população, com cerca de 21 milhões de habitantes, encontra-se refugiados asiáticos morando em cubículos, amontoados em beliches em total promiscuidade, e trabalhando em fabriquetas de roupas para serem vendidas na região central da cidade, no Brás, antigo bairro da época da imigração italiana.

escravos de hoje.jpg Trabalhadores negros amarrados pelo pescoço por um policial militar branco...

A participação em guerras contemporâneas

Depois de tomar parte decisiva na Segunda Guerra Mundial, e se beneficiar com a reconstrução da Europa e do Japão (Plano Marshall), os Estados Unidos encontraram, nas guerras, um meio de enriquecimento fácil e de afirmação de seu poder bélico e econômico em todo o mundo, deixando suas bases militares incrustadas nos países derrotados. Foi assim nas Guerras da Coréia, do Vietnam, do Iraque e do Golfo, na Guerra Civil da Síria, na Operação Odisseia ao Amanhecer (intervenção militar na Líbia) e em quase todos os golpes militares ocorridos nos países latinoamericanos depois dos anos 1950.

A Guerra do Vietnam, que se estendeu para o Camboja em 1970, durou mais de vinte anos, e se caracterizou pela participação dos Estados Unidos na luta contra a guerrilha Vietcong, pelos combates na selva, pelo uso de armas químicas e biológicas dos norteamericanos contra a população civil, e pelo uso de bombas de napalm que assassinaram (incendiaram) crianças, idosos e familias inteiras nas aldeias vietnamitas do sul do país. "Além do napalm, o exército norte-americano despejou sobre o Vietnã, desde 1961 (com a aprovação do presidente John Kennedy) até 1971, cerca de 80 milhões de litros de herbicidas. Entre eles, o mais utilizado, devido à sua terrível eficácia, foi o agente laranja, que é uma combinação de dois herbicidas: o 2,4-D e o 2,4,5-T, sendo que a síntese deste último gera um subproduto cancerígeno, a tetracloro-dibenzodioxina, considerada uma das substâncias mais perigosas do mundo." [Wikipedia]

"O impacto ecológico do uso dessas armas químicas foi catastrófico para a cobertura vegetal do Sudeste Asiático e para a população que habitava a região. Mais de 40 anos depois da guerra, a dioxina produzida pelo agente laranja continuava biologicamente ativa. E, atualmente, as concentrações encontradas em várias regiões do Vietnã superam em 400 vezes o limiar de toxicidade, conforme evidenciado pela Canada Hatfield Consultants. A dioxina foi culpada pela alta incidência de doenças de pele, malformações genéticas, câncer, incapacidades mentais e outros problemas que afetam a população vietnamita (e ex-militares dos EUA). Milhares de crianças nasceram com problemas de pais que não foram expostos ao herbicida durante a guerra, mas que comeram alimentos contaminados por ele. A maioria das vítimas pertenciam a famílias mais pobres." [Wikipedia]

A presença norte-americana nos golpes militares da América Central e do Sul

Sob o pretexto de enviar "conselheiros militares" para apoiar os seus "aliados", os Estados Unidos foram corresponsáveis pelos golpes militares e pelas ditaduras do Brasil (1964-1985), do Chile, de Pinochet (1973-1990), da Argentina (1962, 1966 e 1976 a 1983), do Uruguai (1973-1985), da Bolívia (1964-1982), do Paraguai, de Stroessner (1954-1989) e em quase todos os demais países da América Latina. Em Cuba, os Estados Unidos chegaram a tentar invadir a ilha para derrubar o revolucionário Fidel Castro (episódio conhecido como a invasão da Baía dos Porcos); Fidel havia derrubado o ditador Fulgêncio Batista em 1959. Até hoje os norte-americanos mantêm uma prisão na sua base militar de Guantánamo, dentro da ilha de Cuba, onde há décadas ocorrem torturas inimagináveis e assassinatos cruéis de presos políticos de diferentes partes do mundo, sem que a comunidade internacional faça nada para impedir que essa infâmia continue. "As condições dos presos mantidos no campo de Guantánamo foram motivo de indignação internacional e alvo de duras críticas, tanto por parte de governos como de organizações humanitárias internacionais. As denúncias chegaram até a Suprema Corte dos Estados Unidos. Desde janeiro de 2002, depois dos ataques terroristas de 11 de setembro às torres gêmeas, estão encarcerados, nesta base militar, prisioneiros – muitos deles afegãos e iraquianos – acusados de ligação aos grupos Taliban e Al-Qaeda, em área excluída do controle internacional no que concerne às condições de detenção dos mesmos. Segundo a Cruz Vermelha Internacional, estes prisioneiros são vítimas de tortura, em desrespeito aos direitos humanos e à convenção de Genebra."" [Wikipedia]

cale-se.jpg Cale-se... cálice...

No Brasil, antes e durante a ditadura militar, os Estados Unidos mantiveram estreito relacionamento com todos os generais-presidentes (Castelo Branco, Costa e Silva, Junta Militar, Garrastazu Médici, Ernesto Geisel e João Batista Figueiredo). Existe farta documentação confidencial (tornada pública pela Comissão da Verdade) que comprova a participação dos EUA no Golpe Militar e durante a fase mais violenta dessa ditadura, que manchou, de forma indelével, a nosso história, pelos crimes bárbaros (torturas e assassinatos), muitos deles praticados dentro dos quartéis do Exército (DOI-CODI - 2º Exército), no DOPS - Departamento de Ordem Política e Social (SP), da Marinha (CENIMAR) e da Aeronáutica. Ao todo, no Brasil, havia 82 centros de tortura, sendo 13 no Rio de Janeiro, 8 em Belo Horizonte, entre eles, locais clandestinos, como a Casa da Morte, em Petrópolis, e o Sítio 31 de Março.

Herzog (2).jpg Wladimir Herzog, diretor da TV Cultura, em seu sacrifício final: nenhuma acusação contra ele!

"As torturas utilizadas no Brasil durante a ditadura militar, têm uma estreita ligação com técnicas desenvolvidas através de experimentos como os do Projeto Mkultra. (MKULTRA foi o nome de código dado a um programa ilegal e clandestino de experiências em seres humanos, feito pela CIA – o Serviço de Inteligência dos Estados Unidos da América. As experiências em seres humanos visavam identificar e desenvolver drogas e procedimentos a serem usados em interrogatórios e tortura, visando debilitar o indivíduo para forçar confissões por meio de controle de mente) Essas técnicas foram trazidas para o Brasil pelos militares e agentes policiais que frequentaram a Escola das Américas (School of the Americas), que é um instituto do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, fundado em 1946. Em 1961, seu objetivo oficial passou a ser o de ensinar a "formação de militares para lutar contra insurgência comunista". Vários membros da força policial brasileira e militares foram treinados por especialistas em tortura que vieram para o Brasil com o objetivo de difundir os métodos e meios de interrogatório compilados pela CIA. Foi o caso do conhecido Dan Mitrione (Daniel Anthony Mitrione foi um policial estadunidense, agente do FBI e conselheiro de governos da América Latina, onde atuou na década de 1960, colaborando com as ditaduras que governaram o Brasil e o Uruguai)." [Wikipedia]

Origens da DEMOCRACIA [Wikipedia]

"A democracia ateniense (no grego: δεμοκρατιk) foi uma forma de governo que surgiu na Grécia em meados do séc. V a.C. A experiência democrática ateniense dava-se em todo território da Ática de forma direta, contudo, envolvia pequena parcela da população. Tinham o direito de participar homens com terras, maiores de 19 anos e filho de pai ateniense e, a partir de 451 a.C., aqueles que fossem filhos de pai e mãe atenienses. Escravos, mulheres e estrangeiros não poderiam participar das instituições democráticas. Em geral, acredita-se que apenas 30% da população adulta de Atenas era elegível para participar do processo eleitoral."

Atenas.jpg

"Sócrates afirma que as sociedades têm uma estrutura de classe tripartida correspondente à estrutura de apetite / espírito / razão da alma individual. O apetite / espírito / razão é análogo às castas da sociedade:

  • Produtores (trabalhadores): os artesãos, carpinteiros, encanadores, pedreiros, comerciantes, fazendeiros etc. Correspondem ao "apetite" da alma.
  • Guardiães (protetores ou guerreiros): aqueles que são aventureiros, fortes e corajosos, as forças armadas, são encarregados de proteger. Correspondem à parte "espiritual" da alma.
  • Governantes (governantes ou reis, filósofos): aqueles que são inteligentes, racionais, autocontrolados, apaixonados pela sabedoria, adequados para tomar decisões pela comunidade. Correspondem à parte "racional" da alma e são muito poucos.

"A utopia platônica da República é igualitarista; para Sócrates, deve haver a igualdade absoluta entre homens e mulheres, ambos devem ter a mesma educação e as mesmas oportunidades de chegar a ser guardiães ou governantes. Guardiães e governantes não devem constituir família ou manter propriedade privada, ambos permitidos somente aos produtores."

"Democracia é um regime político em que todos os cidadãos elegíveis participam igualmente — diretamente ou através de representantes eleitos — na proposta, no desenvolvimento e na criação de leis, exercendo o poder da governação através do sufrágio universal. Ela abrange as condições sociais, econômicas e culturais que permitem o exercício livre e igual da autodeterminação política."

A farsa da "maior democracia do mundo"

Essas referências aos gregos, berço da Democracia, nos permitem afirmar que o conceito de DEMOCRACIA, de LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE, são UTÓPICOS, e não sobrevivem à visão pragmática da sociedade CAPITALISTA. Outros pensadores, Karl Marx e Friedrich Engels, conceberam uma sociedade ideal, uma UTOPIA, materializada na grande obra "O CAPITAL", que propunha um sistema de governo e de organização social onde não haveria propriedades privadas, não se concebia a riqueza pessoal, e o ESTADO proveria TODOS OS CIDADÃOS de suas necessidades primárias: SAÚDE, TRANSPORTE, TRABALHO, EDUCAÇÃO, MORADIA e ALIMENTAÇÃO.

"A metáfora da base e da superestrutura (ou infraestrutura e superestrutura) é de fundamental importância para o método do materialismo histórico do marxismo. Nas suas obras, Karl Marx e Friedrich Engels recorreram à metáfora do edifício para explicar a sociedade humana. A sua base ou infraestrutura seria o conjunto das relações de produção, ou seja, as relações de classes estabelecidas em determinada sociedade. Sobre esta estrutura econômica se ergueria a superestrutura, que corresponde às formas de consciência social em geral, como a política, a filosofia, a cultura, as ciências, as religiões, as artes, etc. A superestrutura compreende também os modos de pensar, as visões de mundo e demais componentes ideológicos de uma classe social. A ideologia é chamada de superestrutura ideológica e o Estado é chamado de superestrutura legal ou política, incluindo aí a polícia, o exército, as leis, os tribunais e a burocracia." [Infoescola: https://www.infoescola.com/sociologia/superestrutura-e-infraestrutura/]

Como, então, imaginar que o país mais rico, mais arrogante e mais poderoso do mundo possa ser um exemplo de DEMOCRACIA, nossa referência de um SISTEMA DEMOCRÁTICO de governo? O RACISMO naquele país é doentio, cruel e desumano, mesmo se comparado ao racismo que existe na maioria dos países do resto do mundo. O conceito de SUPREMACISTAS BRANCOS é medieval, indecente, imoral... e, no entanto, 70 milhões de norte-americanos votaram em DONALD TRUMP! A arrogância desse país os fez conceber os SUPER-HERÓIS do cinema, seres brancos, dotados de superpoderes e responsáveis por combater o MAL da sociedade, cujas forças policiais sempre foram impotentes para vencer. Só mesmo um país tão poderoso e tão odiado poderia conceber tais personagens... lá, nos Estados Unidos da América (do Norte), os conflitos raciais sobreviveram ao tempo, mas não podemos nos esquecer da famigerada KU-KLUX-KLAN, com suas túnicas brancas, seu chapéu em forma de cone, suas cruzes incendiárias, plantadas na frente das igregas frequentadas por cidadãos negros antes dos assassinatos em massa perpetrados por esses SUPREMACISTAS BRANCOS! Melhor chamá-los de NAZISTAS!

FLOYD assassinado.jpg FLOYD ASSASSINADO

bolso_trump.jpg

troglodita.jpeg

Poderíamos afirmar que JAIR MESSIAS BOLSONARO, O MITO, não deixa nada a desejar a seu GURU DO NORTE, a não ser por sua figura patética, minúscula, insignificante; poderíamos afirmar que o racismo aqui também é pavoroso, assim como as desigualdades sociais, que o crime organizado nessa República das Bananas é disseminado entre as camadas mais pobres e negras da população. Mas constatar a realidade não é pactuar com ela! Se esse energúmeno que ocupa o Palácio da Alvorada e o Palácio do Planalto é a cria maldita do Demônio do Norte, se seus seguidores são uma HORDA de bandidos irracionais, se a população brasileira o escolheu para presidente da república em uma eleição "livre e democrática" (54 milhões de imbecis votaram nele), apesar de todos os BOTS e FAKE NEWS propagadas pelas redes sociais comandadas pelo Número 02 (Carlos Bolsonaro), isso não o torna melhor, legítimo ou compatível com a mediocridade de nossa população. Nossas fraquezas e defeitos são a herança perversa desse processo histórico de colonização, trazida pelas naus portuguesas, e "enriquecidas" pelos imigrantes depois da escravidão.

O fato é que o mundo de hoje não é melhor do que havia nos séculos passados, pois, de nossos antepassados, herdamos nossas qualidades ou defeitos, nossa sabedoria ou ignorância, nossa generosidade ou mesquinhez, nossa ética ou safadeza, e o povo continua sendo moldado e amestrado pelas religiões medievais e pelos conceitos retrógrados ensinados pelas escolas da vida, e isso não mudará nos próximos séculos (ou milênios), até que a própria HUMANIDADE se extinga por excesso de consumismo e pelo seu desprezo à NATUREZA. Pois nunca haverá DEMOCRACIA sem que os VALORES sociais sejam justos e merecidos... GAIA é uma UTOPIA, assim como seus AVATARES, DUENDES e FADAS... o mundo é CRUEL porque o SER HUMANO é desprezível...


João Carlos Figueiredo

Um escritor, uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: Arte e Foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte....
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/Sociedade// @obvious, @obvioushp //João Carlos Figueiredo