artefacto artefoto

O olhar perplexo de um Poeta diante da Vida

João Carlos Figueiredo

Um escritor, uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: Arte e Foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte...

“Crescei e multiplicai-vos!”

Quando os humanos colocaram essa “ordem divina” em suas bíblias sagradas, estavam profundamente enganados... essa, na verdade, é a lei da Natureza! Infelizmente, o ser humano entendeu mal essa ordem natural e começou a exterminar todas as outras espécies, sem saber que delas dependia para continuar seu ciclo de vida e morte neste planeta...


A transformação da Terra é um fenômeno espetacular! Tudo se transmuda o tempo todo... o planeta levou bilhões de anos para esfriar o suficiente para surgir a vida... no começo eram apenas criaturas muito simples, que habitavam os lugares mais inóspitos, no mar imenso que se formava... a água era ácida e quente, a temperaturas próximas à fervura, mas ali estava a vida!

Milhões de anos se passaram para que as espécies se multiplicassem, saíssem do mar e povoassem a Terra antes mesmo que vidas inteligentes surgissem em sua superfície ainda instável e perigosa. Foram várias extinções em massa até que aparecessem os mamíferos... somente há cerca de um milhão de anos apareceram os hominídeos... o Homo sapiens somente surgiu há 300.000 anos!

Outros milhares de anos foram necessários para que a nova espécie evoluísse até o ser humano que somos hoje. Mais precisamente, há 12.000 anos! Nossos antepassados se organizaram em sociedades para enfrentar os animais selvagens... e apenas no início da era cristã surgiu a Bíblia Sagrada... em seus escritos, ainda no “Antigo Testamento”, está a fatídica frase: “Crescei e multiplicais-vos”!

Esse foi o início do fim... tornamo-nos o mais cruel inimigo da Natureza e dos outros seres vivos! Havia começado a matança! Mas nossos antepassados não se contentaram em matar animais e devastar as florestas... queria dominar as outras sociedades, criar impérios, montar exércitos, escravizar outros seres humanos!... e foi assim que chegamos ao que somos hoje!...

Enquanto os animais selvagens se organizam para caçar outras espécies, nós, humanos, nos organizamos para matar nossos semelhantes, em guerras, em lutas intestinas, em disputas políticas dentro de nossa própria sociedade... estamos nos diferenciando pelo ódio contra nossa própria espécie, matando nossos iguais, segregando-nos para criar verdadeiros impérios financeiros dentro dessa sociedade!

CRESCEI E MULTIPLICAIS-VOS!

Qual o sentido da vida quando não há espaço para todos os seres vivos? Como será o mundo daqui a cem anos, quando já não pudermos manter os quase vinte bilhões de humanos neste planeta? Será que buscaremos novos mundos para povoar e destruir também? Até onde irá a raça humana e sua deformidade intelectual? Será que uma nova extinção em massa daria nova oportunidade para que uma nova civilização se formasse na Terra?

Talvez a vida seja apenas uma ilusão... um sonho criado pelo Universo para se divertir com a criação dos planetas, uma experiência fracassada dos deuses...


João Carlos Figueiredo

Um escritor, uma câmera: palavras ilustradas pela vivência cotidiana, cenários explicados pela expressão da alma... Artefacto servindo ao poeta: Arte e Foto num sincretismo que se entrelaça nas relações deste escritor com o mundo que o rodeia e perverte....
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Sociedade// //João Carlos Figueiredo