atualidades

Pensamentos críticos diante daquilo que acompanha o momento presente.

Anna Claudia Rodrigues

Uma pisciana que de tanto amar, morreu. Estudante de filosofia. Atriz que vive da dor, e sonha em ser uma folhinha de grama no alto de uma montanha inexplorada.

Necessidade de não estar sozinho

Se for realizar uma pesquisa as pessoas vão dizer que é muito difícil ficar sem celular, sem internet, sem está conectado. Tudo isso não produz verdade alguma, e sim demasiadas opiniões.


o-simbolo-de-wi-fi-fraco-esta-entre-as-imagens-que-irritam-e-ate-assustam-os-usuarios-de-tecnologia-1368099057368_956x500.jpg

Há muito tempo atrás, numa época remota, onde o único meio de comunicação era um sinal de fumaça, e ainda assim se confundia com névoa, eu nasci! (não literalmente, obvio). O mundo tecnológico é um grande “mainstream” pra mim, não odeio nem o idolatro. O que me faz ficar pasma é a grande capacidade de adaptação do ser humano com essa “coisinha” chamada “tecnocapacidade simultânea de várias coisas” (certo, acabei de inventar essa designação), mas vendo por esse lado, o absurdo é querer ter e fazer parte do mundo moderno de qualquer forma. Refiro-me as redes sociais, não serei hipócrita de dizer que não faço parte dessa babaquice toda, e sim faço! O vicio tomou conta do meu ser (preciso de terapia G-ZUIS).

Mas não necessito de possuir conta em todos os sistemas que existem. É uma opção de interação e não de subordinação. Passo dias sem atualizar status ou algo do tipo. E nesses dias em que estou off, trato de assuntos que alimenta a minha alma com os prazer mundanos, com as faculdades das paixões, com vivências que me faz descobrir o real motivo pelo qual estou a existir. Tento me apaixonar pelo mundo todos os dias, mesmo ele sendo uma merda.

tecno.jpg

É linda a evolução da maquina, é doloroso ver que as pessoas estão ficando submissas á elas. Ninguém mais ver o pôr do sol, ou comenta sobre as fases da lua. Ninguém mais escreve poema, apenas colam frases feitas dos meus poetas favoritos, e ainda põem um oito no fim da frase que até hoje eu não sei pra que serve. Isso é solidão. Se nos transformamos em pessoas capazes de NÃO produzir mais nada, é só partir para: o adeus virtude, adeus desejo, adeus vida! A prudência existe, mas o bom senso também.

crianca-tv.jpg

Só queria que reacendesse (mesmo sem ter tocado no assunto anteriormente) a minha indignação por conta de uma mulher que apareceu num canal de rádio outro dia, dizendo que perdeu tudo numa tempestade, principalmente a tevê (TV), e agora não tinha mais o que fazer da vida (um minuto de silêncio pra ela, porque é digno). A imaginação é realmente a louca da razão. Talvez um dia eu apresente um livro pra ela, Ou sei lá, ela me ensina a como manusear um controle de televisão de não sei quantas mil polegadas....

images (1).jpg

A facilidade que nos é beneficiada por esses seres inanimados, nos deixa nociva por tamanho excesso de informação e alienação. Por fim, ao meu ver o que nos falta é ter capacidade de criar ideias imaginativas, para só depois termos capacidade de nos deleitar com as ideias adquiridas.

images.jpg


Anna Claudia Rodrigues

Uma pisciana que de tanto amar, morreu. Estudante de filosofia. Atriz que vive da dor, e sonha em ser uma folhinha de grama no alto de uma montanha inexplorada. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// //Anna Claudia Rodrigues