Gregório Grisa

Doutor em Educação pela UFRGS e simpatiza com a ideia de que aquilo que muitos chamam inteligência pode ser, em grande medida, curiosidade

Ano novo com Art Nouveau

Na semana que se inicia, a Terra completa mais uma volta em torno do sol, nossa ocidental contagem do tempo indica que um novo ano começará. Hora de recarregar energias e projetar novos desafios e esse período é propício para falar de uma das filosofias estéticas mais inovadoras da história, o movimento Art Nouveau.


mucha.jpg de Alphonse Mucha

Aproveito a visita que fiz ao Museu de Arte Nova em Aveiro/Portugal (última foto) para tratar da significativa contribuição desse movimento modernista para as artes, a arquitetura e a vida em sociedade.

A ideia de dar maior funcionalidade à beleza, à arte, foi central no movimento da Arte Nova, o intuito era distribuir melhor os espaços aliando isso a incitação de produzir uma estética criativa.

A fotografia sequencial usada para estudar a motricidade humana e no pioneirismo do cinema científico foram ações inspiradas na Arte Nova. Assim como, o uso da geometria da espiral logarítmica (proporção áurea) revitalizaram os estudos evolucionistas da área da biologia.

tiffany_abajures.jpg Abajures de Louis Comfort Tiffany

Outra área em que esse estilo foi muito influente e teve grande impacto no modo de vida que levamos hoje foi a saúde. A criação de ambientes mais higienizados, que tenham cuidado com a precaução de doenças, pode ser relacionada ao movimento de Arte Nova.

Bem como, desenvolver condições de vida mais saudáveis, promover espaços de lazer distantes das indústrias e fábricas para os trabalhadores e a própria ideia da legitimidade das férias para a saúde mental das pessoas.

Barcelona2.jpg Curvas e cores de Gaudí

Fica evidente que a Arte Nova propõe uma fusão entre arte e ciência, seu apogeu foi no fim do século XIX e primeiras décadas do século XX. Suas interpretações são múltiplas em cada região, a Europa sem dúvida é onde sua influência é mais decisiva, mas o mundo experimentou princípios do Art Nouveau.

Em contrapartida a arte tradicional linear em que a beleza poderia se justificar por si só, esse estilo prioriza as cores, as curvas da natureza e valoriza a feminilidade das formas e sua utilidade/conforto.

642e97c9a2f54041ea6d28db37dd6477.JPG Metrô de Paris, imagem que remete a Art Nouveau

A Arte Nova era o estilo de nomes distintos como Gustav Klimt, Charles Rennie Mackintosh, Alphonse Mucha, René Lalique, Antoni Gaudi e Louis Comfort Tiffany, cada um dos quais interpretou a Arte Nova a sua própria maneira.

Sem dúvida o fecundo período conhecido como Belle Époque não existiria sem a Art Nouveau, hoje considerado como um estilo “total”, ou seja, abrange todas as escalas da estética.

Gustav Klimt.jpg A Árvore da Vida de Gustav Klimt

Um ano novo sempre remete a uma arte nova, a uma vida que se renova. Todo exercício criativo é o que diferencia o ser humano de outros seres vivos, se faz necessário nos desafiar, como fizeram aqueles que se inspiravam na Arte Nova, para apresentar outro modo de se expressar, usar os espaços e dar sentido a eles em uma nova forma de ver a vida.

gaudihouse.jpg Casa Batlló - de Antoni Gaudí en Barcelona

IMG_1959.jpg Museu de Arte Nova de Aveiro


Gregório Grisa

Doutor em Educação pela UFRGS e simpatiza com a ideia de que aquilo que muitos chamam inteligência pode ser, em grande medida, curiosidade.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/artes e ideias// @destaque, @obvious //Gregório Grisa