Gregório Grisa

Doutor em Educação pela UFRGS e simpatiza com a ideia de que aquilo que muitos chamam inteligência pode ser, em grande medida, curiosidade

Panelaço do privilégio

A elite brasileira, guiada por princípios liberais, cernes do egoísmo, do individualismo, da ganância, e, em última instância, das desigualdades sociais, brada contra um governo que direcionou suas ações pautado exatamente nesses princípios.


20150308222936140027o.JPG

Penso que o governo federal merece críticas severas e não quero estigmatizar as pessoas que vaiaram e fizeram panelaço no pronunciamento de Dilma Rousseff no dia da mulher. Mas o curioso é que nas coberturas do Morumbi, Copacabana e Higienópolis não estão os cidadãos que não terão acesso ao seguro desemprego, não estão os terceirizados da limpeza e da segurança das universidades federais que estão sem receber, não estão os professores com bolsas atrasadas.

A elite mais privilegiada do país reclama da adoção de política econômica que tentou eleger com Aécio.

Além disso, se surpreende com os políticos tradicionais de vários partidos incluídos em escândalos de corrupção, a contradição estabelecida é a seguinte: se votamos em alguém por que esse candidato defende o livre mercado, o livre comércio, a monopolização da propriedade, logo a manutenção do status quo e a ampliação das desigualdades, não podemos cobrá-lo que, com tal crença, ele não abocanhe para benefício pessoal dividendos públicos e não se utilize de desvios para fazer suas campanhas eleitorais e se reproduzir no poder.

A direita brasileira, os partidos conservadores são tão responsáveis pela conjuntura de crise quanto o PT: 1 - porque esses setores estão organicamente ligados ao governo federal e; 2 - porque se pensarmos quem tem mais prefeitos no Brasil? Mais deputados estaduais e federais? Mais vereadores? Mais governadores? Mais ministros? O PMDB, partido símbolo da empobrecida política brasileira. Mesmo o PSDB tem governos estaduais estratégicos.

Com isso quero dizer que nenhuma saída passa pela oposição no congresso e nem pela vontade dos nobres batedores de panelas dos bairros ricos do país, pelo contrário, as alternativas passam pela ampliação da política nos setores desprivilegiados da sociedade, pelo desenvolvimento de ampla frente de esquerda que transcenda os estágio cumprido pelo PT e o supere.


Gregório Grisa

Doutor em Educação pela UFRGS e simpatiza com a ideia de que aquilo que muitos chamam inteligência pode ser, em grande medida, curiosidade.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @destaque, @obvious //Gregório Grisa