Gregório Grisa

Doutor em Educação pela UFRGS e simpatiza com a ideia de que aquilo que muitos chamam inteligência pode ser, em grande medida, curiosidade

Estatuto da família?

Sobre a aprovação em comissão especial da Câmara de um Estatuto da Família que exclui casais homoafetivos.


charge-estatuto-familia.jpg

Definir o que é família por lei já é uma vã tentativa de enquadrar o real ao imaginário, mas definir por lei divina beira a insanidade, é um desrespeito à inteligência e ao Estado laico.

Ter como objetivo de vida aprovar uma lei que retira direitos da população homossexual é algo obsessivo-compulsivo, se trata de uma doença. O preconceito se reveste de dogma e produz o fundamentalismo, no Brasil, essa doença elege representantes e esses produzem leis.

A bancada evangélica é uma das que mais levanta o argumento de que o Estado intervêm em demasia na economia, controla a população por via dos impostos e pela burocracia.

bancada-evangelica-e-a-cura-gay.gif

Curioso que quando se trata de temas morais, em geral de fórum íntimo, os fundamentalistas querem a intervenção do Estado, por exemplo, em casamentos de pessoas com o mesmo sexo, aborto e agora na definição de família.

O intento desse Estatuto da Família é simplesmente cercear um direito humano, qual seja: estabelecer relações afetivas e poder ser reconhecido e respeitado como família.

Quando a ignorância, o preconceito, a intolerância e o fanatismo ególatra se encontram com a vaidade, o poder e a crença de realmente estarem defendendo "a moral e os bons costumes" temos o que representa a bancada evangélica do ponto de vista cultural e político.

bancada-evangelica-homofobia.gif

Não garantir e reconhecer os plenos direitos da população LGBT, cuja proporção entre os seres humanos sempre foi e é significativa (o óbvio tem de ser dito), é um retorno vergonhoso ao período medieval da inquisição.

Na contramão do resto do mundo, da ciência, dos valores positivos da democracia e da cidadania o Brasil nos presenteia com esse fiasco civilizatório.

Indico um lindo artigo intitulado "Homo-afetividade e direitos humanos" de Luis Mott e um vídeo bem didático, simples e engraçado.

As charges da postagem são do Latuff, conheça mais do seu trabalho aqui.


Gregório Grisa

Doutor em Educação pela UFRGS e simpatiza com a ideia de que aquilo que muitos chamam inteligência pode ser, em grande medida, curiosidade.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Gregório Grisa