Midori Hamada

Divide o tempo entre estudos aleatórios,garimpagem em sebos e brechós,e picolé com os amigos.

City of Shadows e os fantasmas de Alexey Titarenko

Com suas fotografias perturbadoras e fantasmagóricas, Alexey Titarenko abstrai-se dos rostos e fisionomias,focando-se numa das mais palpáveis expressões, a expressão do sofrimento.


city_pict3a.jpg

Em 1992, enquanto caminhava pelas ruas de Saint Petersburg fotografando sua série “Nomenclatura dos Sinais”, sua critica ao regime totalitário, Alexey Titarenko se viu diante da entrada do metrô numa região de comércio. As pessoas que saiam e percorriam as ruas indo de loja em loja encarando as prateleiras vazias e as enormes filas por alimento carregavam, além dos tickets para aquisição da comida, o sofrimento e desespero que Titarenko havia visto nos tempos de guerra. O movimento ao redor da estação se sobrepôs ao sentimento que era provocado nele quando escutava certa composição, a 13ª sinfonia de Shostakovich, em particular o movimento chamado “In the Store”.

t_pict11a.jpg

Para A.Titarenko, qualquer artista, principalmente um fotógrafo, esta cheio de ideias que carrega consigo sem saber ao certo como elas se parecem, e o ato de tornar essas ideias visíveis é a criação artística. Assim, quando viu aquela massa disforme e fantasmagórica que fluía diante de seus olhos como uma grande neblina, a mesma neblina que tomava conta da cidade e de todo o país, a técnica da longa exposição fotográfica surgiu como recurso da expressão e conseguiu capturar exatamente a dissolução de uma população que sofria e se desmanchava até se tornar reflexo efêmero de suas atividades.

city_pict4a.jpg

Os prédios, as ruas, as escadarias estáticas se caracterizam como figuras sólidas e imponentes, detentores de uma existência mais real que a dos próprios habitantes, estes reduzidos a um vulto humano. Essa metáfora visual tão bem representada agarra o observador que, mesmo desconhecendo o estado politico e social do império pós-soviético, é capaz de sentir quase instantaneamente a assombrosa redução quimérica da vida humana.

city_pict5a.jpg

Com a sensibilidade de ver sua cidade parar no tempo e ser varrida pelas catástrofes, o fotógrafo que desde os oito anos de idade se dedica a retratar Saint Petersburg como a imagem russa vista por uma lente de aumento, se apega às suas raízes, sua técnica e principalmente à sua concepção empática tão verdadeiramente realizada.

city_pict14a.jpg

city_pict8a.jpg

city_pict20a.jpg

bw_pict20a.jpg

city_pict12a.jpg display: block; margin: 0 auto 20px;" />

Em 2005,o canal TV Channel Arte produziu um documentário de 30 minutos sobre Alexey Titarenko.

Alexey Titarenko Photography


Midori Hamada

Divide o tempo entre estudos aleatórios,garimpagem em sebos e brechós,e picolé com os amigos..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/Fotografia// @destaque, @obvious //Midori Hamada
Site Meter