back to 71

crítica sem pedantismo

Erick Silva

Estudante de jornalismo, quadrinista, reprovado em testes psicotécnicos e atualmente dorme em uma garagem. Praticamente isso.

Osamu Tezuka – De artista mortal a deus do mangá

Breve biografia de um dos artistas japoneses mais influentes da história


Nascido em 3 de novembro de 1928 em Toyonaka, Japão, Osamu Tezuka foi o mangaká (desenhista de mangá) que revolucionou o estilo de fazer histórias em quadrinhos no oriente. Sua técnica foi um divisor de águas no modo de produzir mangás, aplicando novas características ao estilo como olhos grandes, anatomias estilizadas no formato cartoon, e a influência da linguagem cinematográfica das produções ocidentais.

osamu-tezuka.jpg

Durante os anos 40, Tezuka se dividia entre a faculdade de medicina e algumas publicações para jornais, e em 1946 ele publica seu grande primeiro sucesso “Shin Takarajima” (A Nova Ilha do Tesouro) que teve uma tiragem de 400.000 cópias na época, trazendo assim, um grande reconhecimento ao artista. Se mudando para Tokio em 1950, ele produz “Jungle Taitei” (que no Brasil teve o título de Kimba, o Leão Branco), obra que mais tarde serviu como base na criação de O Rei Leão, um grande sucesso da Disney de 1994.

tezuka.JPG O artista em um auto-retrato estilo mangá junto de suas criações

Com o sucesso de Kimba, em 1952 surgiu a oportunidade de produzir uma nova obra chamada de “Tetsuwan Atom” (conhecida no ocidente como Astro Boy). Sendo o seu trabalho mais famoso, este mangá foi o pioneiro do que no futuro seria uma febre mundial, sendo adaptado para a versão animada e se tornando a primeira animação japonesa produzida (os chamados animes).

tezuka_star_system.jpg Personagens de Kimba junto de outras criações do autor

Em 1951 se formou em Medicina, mas decidiu seguir com a carreira de mangaká, e em 1953 criou “Ribon No Kishi” (A Princesa e o Cavaleiro) definindo assim novas características aos personagens como olhos grandes e brilhantes que os tornavam mais expressivos, e influenciando muito no estilo shoujo mangá (mangás para garotas).

a-princesa-e-o-cavaleiro.jpg Ribon No Kishi - A Princesa e o Cavaleiro 1953

Dez anos depois e já consagrado no Japão, Tezuka decide criar o seu próprio estúdio de animação inspirado nos moldes americanos. Grande fã de Walt Disney, em 1961 funda a Tezuka Osamu Production, posteriormente chamado Mushi Production. Começou então a exportar suas produções para o resto do mundo, e rapidamente difundiu para o ocidente todo o conceito atual no que diz respeito à Mangás e Animes.

No ano de 1984, fez a sua primeira visita ao Brasil sob convite da ABRADEMI (Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações), no Museu de Arte em São Paulo. Ele avaliou vários trabalhos e deu várias dicas para os jovens que pretendiam seguir carreira no ramo de ilustração e quadrinhos. No mesmo ano, Tezuka também visitou a MSP (Mauricio de Sousa Produções) onde junto com o cartunista e criador da Turma da Mônica fora combinado um projeto onde haveria uma junção de seus personagens em um gibi. Este projeto acabou sendo engavetado após a morte de Tezuka em 1989 e só publicado no ano de 2012.

Mauricio-e-Tezuka-Osamu-nos-estúdios-MSP.jpgTezuka e Mauricio de Sousa em 1984

A obra de Tezuka é vasta, somando todos os trabalhos que foram publicados no Japão chegam a 400 volumes e mais de 80.000 páginas desenhadas. Grande parte dessas obras nunca foram traduzidas da sua língua original e continuam inacessíveis aos leitores do ocidente.

Um deus mortal de obras imortais

Diagnosticado com câncer no estômago por conta de sua péssima alimentação e cargas excessivas de trabalho, Osamu Tezuka morre aos 60 anos em 9 de fevereiro de 1989, deixando não só um legado de histórias em quadrinhos revolucionárias, mas também, grandes de lições de humanidade expressadas em seus trabalhos.


Erick Silva

Estudante de jornalismo, quadrinista, reprovado em testes psicotécnicos e atualmente dorme em uma garagem. Praticamente isso..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/artes e ideias// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Erick Silva