bibliotela

Estante de livros e filmes

Lorena Sant`Ana

Viciada em livros, cinéfila, entusiasta na fotografia, apaixonada por gatos, pensadora constante, e por fim uma escritora aspirante de palavras.
Bibliotela é um espaço para falar sobre filmes, livros e pensamentos. "A arte é eterna, a vida é breve".

Qual o 1º livro brasileiro adaptado ao cinema?


200px-Oguarani.jpg

O cinema chegou ao Brasil em 1896, pouco depois da sua invenção na França e até 1909 os filmes “cantados” eram a bola da vez. Esse tipo de filme fez muito sucesso, nele os atores dublavam-se ao vivo atrás da tela, resultando posteriormente na filmagem de revistas musicais contendo por exemplo trechos de óperas, como O Guarany (Il Guarany) em 1911. Isso mesmo! Podemos dizer que o primeiro livro brasileiro adaptado ao cinema, foi uma espécie de filme musical. O Guarany é uma das óperas mais famosas do compositor brasileiro Antônio Carlos Gomes, é baseada no romance homônimo de José de Alencar e estreou em 1871 na Itália.

acgguac2.jpg

O cinema chegou ao Brasil em 1896, pouco depois da sua invenção na França e até 1909 os filmes “cantados” eram a bola da vez. Esse tipo de filme fez muito sucesso, nele os atores dublavam-se ao vivo atrás da tela, resultando posteriormente na filmagem de revistas musicais contendo por exemplo trechos de óperas, como O Guarany (Il Guarany) em 1911. Isso mesmo! Podemos dizer que o primeiro livro brasileiro adaptado ao cinema, foi uma espécie de filme musical. O Guarany é uma das óperas mais famosas do compositor brasileiro Antônio Carlos Gomes, é baseada no romance homônimo de José de Alencar e estreou em 1871 na Itália.

Como seu maior destaque é a abertura, ouça no vídeo acima esse trecho da ópera.


Lorena Sant`Ana

Viciada em livros, cinéfila, entusiasta na fotografia, apaixonada por gatos, pensadora constante, e por fim uma escritora aspirante de palavras. Bibliotela é um espaço para falar sobre filmes, livros e pensamentos. "A arte é eterna, a vida é breve"..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// @destaque, @obvious //Lorena Sant`Ana