borboleta carnívora

Quando o inesperado surpreende

Kauana Maria Neves

20 anos, canhota, discente de Antropologia.

Um Cinema de Combate

A guerra fria foi pautada em uma mudança de comportamento e valores
culturais de uma grande massa da população, com isso, a transformação da industria cinematográfica ainda rende o que falar, o que ver.


Poucos sabem que estivemos a um passo do ''fim do mundo'', que a guerra que se chamava fria por não ter confronto direto, planejava sim um ataque soviético instalado em Cuba em formas de mísseis capazes de atingir o território dos EUA. Mas por outro prisma, o que a maioria curiosa sabe é que tínhamos, de um lado, os EUA em defesa da individualidade, do livre comércio, da composição do capitalismo, de outro, a URSS defendendo um estado dono das terras, bancos, fábricas, o socialismo.

Nesta mudança de mundos pós segunda guerra mundial, o que se buscava era a reconstrução dos países afetados, e de que maneira seria feita esta reconstrução.

Era notório que as pessoas quisessem algo definitivo, e que as agradassem, foi quando ambos os lados decidiram investir pesado na propaganda para mostrar suas versões pós guerra bélica, até quem sabe, acidentalmente seguindo uma das ''dicas'' de Schopenhauer, da ridicularização do inimigo quando não se possuí mais argumentos.

Junto da propaganda em suas diversas formas, Não há como negar que o governo dos EUA financiou a indústria do entretenimento, incluindo filmes de Hollywood que transmitiram os valores americanos, dentre eles a Doutrina Truman. Através da CIA, foi feito o financiamento do governo dos EUA para associações culturais, como The National Committee for a Free Europe (Comitê Nacional para Europa Livre), Federação Popular para a Paz e a Liberdade, Rádio Europa Livre... Os Estados Unidos reconheceram cedo a arma de propaganda no conflito da Guerra Fria, e contou até com a criação de uma agência norte-americana responsável pela propaganda, o que mais tarde ficou explicito nos seguintes filmes:

Guilty of Treason (1949) A história do Cardeal Josef Mindzhenty, um cardeal católico da Hungria que se pronunciou contra a ocupação nazista tanto de seu país durante a Segunda Guerra Mundial e do regime comunista que o substituiu após a guerra. Mindzhenty foi preso, torturado efinalmente libertado, mas foi perseguido na medida em que ele acabou se refugiando na embaixada dos EUA em Budapeste, durante muitos anos, ainda atuando como um porta-voz para os húngaros, que queriam as forças de ocupação russas e seus colaboradores húngaros fora do país.

Big Jim McLain – Aventura Perigosa, 1952, EUA Sinopse: Tentando acabar com um grupo de arruaceiros do Partido Comunista no Havaí, os investigadores da Câmara dos EUA Mal Baxter (James Arness) e Jim McLain (John Wayne) ignoram o fato de que a filiação ao Partido Comunista era legal na época. Os ''diabos vermelhos'', comunismo, URSS, a possível decadência dos EUA diante a Guerra Fria eram vistos com maus olhos. Desta maneira, era normal usar a palavra comunista para terrorista, e é isto que o diretor Edward Ludwing faz de maneira aberta, vale a pena assistir e tirar suas próprias conclusões.

bigmc.jpg

Moscou Contra 007 - From Russia With Love, 1963 Sinopse: James Bond tem como missão ajudar uma agente soviética a sair de seu país, e após, tentar resgatar uma leitora de códigos na embaixada russa de Londres. Mas James se vê em uma armadilha da criminosa organização Spectre, com a intenção de executá-lo.

Temos também a produção britânica, com destaque a comédia Dr. Fantástico de Stanley Kubrick, 1964.

Sinopse: Anticomunista, pragmático e insano general americano, Jack Ripper, tem a ideia em uma reunião entre países, de acabar com a URSS em um conflito bélico, o que transformaria a ideia de Guerra Fria. Com genialismo e humor, roteiristas e o diretor Kubrick, intervem toda essa questão com o ator Peter Sellers, que figura três pessoas que podem impedir o possível holocausto, o presidente americano Merkin Muffley, o alemão alcoolizado Dr. Fantástico e o capitão britânico Mandrake.

dr-strangelove.jpg

E as produções mais populares e recentes:

Boa noite, boa sorte, EUA, 2005

Em 1953, um jornalista chamado Edward Murrow publica as estratégias e mentiras que um senador chamado Joseph McCarthy usava para caçar possíveis comunistas norteamericanos, em um período que foi chamado de macarthismo. Como resposta a publicação, o senador pressiona o jornalista. Neste longa, pode-se observar uma questão bem atual, como a liberdade de expressão e de que maneira a ferramenta das comunicações estão ao verdadeiro e transparente dispor para a nação.

Jogos de Poder, EUA, 2007 No ano de 79 a União Soviética decide ocupar o Afeganistão. Para impedir os vermelhos na região, os EUA decide intervir. Então, surge o deputado Charlie Wilson, ele é convocado por Joanne, uma senhorita cristã a arrecadar fundos para dar armamento as milicias islâmicas do país invadido. Todos ficam perplexos de como um ''simples'' deputado consegue transformar a situação dos países.

jogos do poder.jpg

Esses filmes sempre tiveram uma influência sobre o inconsciente coletivo, sobretudo através da construção de uma fantasia do "inimigo", que antes mesmo do plano cinematográfico e da propaganda como arma, nos quadrinhos já eram explícitos, mas isso é assunto para mais uma xícara de chá.


Kauana Maria Neves

20 anos, canhota, discente de Antropologia..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/// @destaque, @obvious //Kauana Maria Neves