cadê o futuro

Não tenha pressa, logo, logo chega.

Valter Geronimo Camilo Junior

Co-fundador e idealizador do Puta Letra. Graduando em Direito. Redator freelancer. Sempre incisivo.

Poemas de amor que nunca foram lidos: a solidão dos poetas

Sobre poemas de amor escritos para uma menina e sobre uma menina que nunca gostou de poemas de amor.


1921897_all-this-time.jpg

Quem nunca escreveu uma carta de amor? Quantas delas ficaram ali, na gaveta, e nunca foram entregues. Algumas paixões permanecem no passado, guardadas na gaveta. Talvez em uma caixa de sapato. Um portal mágico para a nostalgia, para as lembranças mais doces, mais ingênuas e, ao mesmo tempo, mais tristes do mundo.

Lembranças daquela menina de fita rosa no cabelo. Clara, a mais inteligente da turma, a mais bonita, a mais desejada, a mais distante e inacessível. Apaixonou-se por ela, só ela importava a partir de então. Fez planos, sonhou alto. Escreveu cartas, declamou poemas.

Mas acabou. Com o tempo aquela menina de fita rosa no cabelo deixou de ser a sua musa inspiradora. Agora era Ana, crescidinha, experiente, provocante. Mais cartas e poemas de amor para guardar na caixa de sapato. O nosso poeta ainda levará um bom tempo para entender o amor. Talvez nunca entenda.

Com o tempo a sua caixinha ficará repleta de cartas e papéis amassados. Alguns com pequenas manchas de lágrimas. Chorou por mulheres, chorou por amores não correspondidos. Chorou enquanto escrevia um poema de despedida. Poema que só ele leu. Poema que agora lhe trás tantas recordações. Lembranças daquela menina...

Felizes daqueles que guardam uma caixinha com todos os poemas e cartas de amor, recebidos ou nunca entregues. Tristes daqueles que nunca escreveram cartas e poemas de amor.


Valter Geronimo Camilo Junior

Co-fundador e idealizador do Puta Letra. Graduando em Direito. Redator freelancer. Sempre incisivo..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// //Valter Geronimo Camilo Junior