caetanese

coração pra cima escrito embaixo: frágil.

Nara Gonçalves

Já toquei blog com nome de música dos Los Hermanos, pergunto o signo para puxar assunto e feminismo pra mim não é palavrão. Gosto do bom e velho Charlie Brown, literatura latina e assisto filmes de terror numa boa. Com a luz acesa, claro.

O segredo de Campanella

Mil passados e um futuro são apresentados ao espectador em quase duas horas de filme, com desfecho surpreendente. Todos intrigantes e apaixonantes, a marca da dupla formada por Darín e Campanella.


photo-Dans-ses-yeux-El-Secreto-de-sus-ojos-2009-1.jpg

A transição entre passado e presente é enlaçada por memórias ainda vivas das personagens que constroem o belíssimo enredo de “El Secreto de Sus Ojos”, dirigido pelo argentino Juan José Campanella e vencedor da estatueta de melhor filme estrangeiro na premiação do Oscar em 2012.

A película com ares de romance policial relata os caminhos pelos quais Benjamín Esposito (Ricardo Darín), funcionário aposentado do Tribunal Penal, se envereda ao iniciar a escrita de seu primeiro romance, acerca de um crime que marcou sua carreira como investigador.

Passados vinte e cinco anos, mesmo com o crime dado por encerrado pela polícia, o investigador continua com uma busca incansável pelas peças que explicariam o desfecho do assassinato de Liliana Moralez (Carla Quevedo), que teve diversas falhas durante a investigação. Naquela época, os acontecimentos políticos que rondavam Buenos Aires e a crescente violência colocaram em risco a vida e a investigação de Benjamin e ameaçavam também o romance não concretizado com sua superior, Irene Hastings (Soledad Villamil).

A investigação leva Benjamín a versões inimagináveis para o crime, envolvendo todos em sua órbita, e entre eles, o marido da vítima Ricardo Morales (Pablo Rago). Morales faz uso das memórias sublimes de Liliana para dar continuidade ao cotidiano, contudo com o passar dos anos, reconforta-se em sua dor, mistério que Esposíto tenta abarcar.

A envolvente história não permite ao espectador ter fôlego para acompanhá-la com calmaria. Darín e Campanella têm em sua parceria o segredo que guia o intrigante roteiro: paixão. Os dois já trabalharam juntos em sucessos do diretor, como “Luna de Avellaneda”, “El Hijo de La Novia” e “El Mismo Amor, la Misma Lluvia”. Surpreendentes em seus papéis de ator e diretor, esta dupla parece ter mil passados e mil futuros no cinema argentino.


Nara Gonçalves

Já toquei blog com nome de música dos Los Hermanos, pergunto o signo para puxar assunto e feminismo pra mim não é palavrão. Gosto do bom e velho Charlie Brown, literatura latina e assisto filmes de terror numa boa. Com a luz acesa, claro..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/cinema// @destaque, @obvious //Nara Gonçalves