caetanese

coração pra cima escrito embaixo: frágil.

Nara Gonçalves

Já toquei blog com nome de música dos Los Hermanos, pergunto o signo para puxar assunto e feminismo pra mim não é palavrão. Gosto do bom e velho Charlie Brown, literatura latina e assisto filmes de terror numa boa. Com a luz acesa, claro.

fez-se fé


IMG_0552.JPG foto do instagram: @apaixonara

Quando era pequetita e as estrelas mal cabiam nas pontas rosadas dos dedos, me levavam as missas de costume, domingueiras. Os sotaques do padre misturavam-se aos sotaques de ‘s’ dos mineiros. Os santos de gesso de cores desbotadas tinham nomes de tios e avôs espalhados pelo salão improvisado. O inchaço dos dedos de enxada, o avermelhado da pele de sol, os calendários que contavam semanas de calor apaziguavam-se nos folhetos de oração, nos bancos de madeira emprestados. Morriam na crença, entre o cântico e o canto.

Quando era ontem, meus dedos rosados passaram pelos vitrais de mil cores de um templo, peguei um panfleto com as regras para ser amado por deus. Absurdos coletados e registrados, a liberdade se perde no caminho trilhado pela religião. Minha crença é o ser, o saber em si. Pertencer a própria linguagem, apperfeiçoar suas verdades. As vozes batiam ecos de desespero nas paredes concretadas, pareciam atadas, vilipendiadas pelo costume. Aquele jogo de procura se interrompia ali, no questionamento calado, acima dos bancos de madeira, por trás do corpo engravatado, a mente engavetada. Fez-se fé. A rua, o nome, a reza, o costume. Na tradição, na busca. É resposta, na ressaca. No riso. É forte. É cura. É morte.


Nara Gonçalves

Já toquei blog com nome de música dos Los Hermanos, pergunto o signo para puxar assunto e feminismo pra mim não é palavrão. Gosto do bom e velho Charlie Brown, literatura latina e assisto filmes de terror numa boa. Com a luz acesa, claro..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Nara Gonçalves