café amargo

Açúcar ou adoçante?

Fernanda Pacheco

Tem 20 anos, é formada em história e aprecia certa miscelânea cultural

GITANES

Puxa um punhado de Gitanes ai e liga o som


Há um tempo saiu aqui no Brasil um filme biográfico sobre o nosso amigo Serge, intitulado "Gainsbourg - O Homem que amava as mulheres" e aqui entre nós, um título completamente diferente do original que é "Gainsbourg - Vie Héroïque" (ou vida heróica), mas que resume bem o que se passa no filme. Costumo dizer que o trailer é mil vezes melhor que o próprio filme que retrata mais o fato de que ele tinha uma sensibilidade bem aflorada, digamos assim, ao tratar as mulheres do que a sua vida heroica mesmo. Apesar disso, tem uma cena que muito me chamou a atenção que mostra ele ainda criança indo a escola pegar a estrela de David (simbolo que os nazistas usavam para distinguir quem era judeu). Ele faz de tudo pra ser o primeiro porque acreditava que aquele símbolo seria o equivalente a usar um distintivo de xerife. Ingenuidade na certa pra uma criança filha de judeus que vivia o auge da segunda Guerra Mundial na França (isso lembra a empolgante Anne Frank, não?)

serge.jpg

O filme tem lá sua mágica, claro, tanto que eu fui até ao cinema assisti-lo e não sei se vocês sabem, mas o cinema não me atrai. É bem raro. Os atores são ótimos, principalmente o Eric Elmosnino que interpreta o Serge, além da maquiagem e tudo mais. Quanto a isso o filme é incrível! Conta um pouco sobre a infância dele, mas o foca MUITO nas mulheres que ele conquistou ao longo da vida (Jane e Brigitte Bardot, por exemplo). Não sei se eu fiz errado de ler a biografia antes de ir ao cinema, mas quando o filme acabou, eu fiquei sentindo aquele vazio, sabe? Aquela sensação de "ué, cadê a vida do Serge?". Talvez eu possa ter criado expectativas demais, não sei. Outra curiosidade que eu fiquei sabendo é que a Lucy Gordon, atriz que interpreta a Jane diva Birkin, cometeu suicídio após gravar o filme. Rola até uma dedicatório do diretor a ela.

Senhores, eu recomendo que leiam o livro "Um Punhado de Gitanes". É bem simples e curto, mas traz mais novidades acerca da vida do Serge do que o filme que é muito vago. Ou façam o contrário - Assistam ao filme e depois leiam a biografia. Conheci o Serge através de um amigo, o Marcelo, que estava numa fase "gainsbourguiana". Se você, por algum motivo, acha que não o conhece fica aqui meu desafio! Duvido que você nunca ouviu je t'aime moi non plus! Depois que você resolve caçar as outras músicas do bendito, a paixão só aumenta mais ainda. Abaixo eu coloquei algumas músicas dele que eu gosto muito.


Fernanda Pacheco

Tem 20 anos, é formada em história e aprecia certa miscelânea cultural.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// //Fernanda Pacheco