Ana Carolina Garcia

Vivo entre a ponta da caneta e o papel, entre o clique no teclado e a história que desabrocha na tela. Apaixonada incondicionalmente por séries, Los Hermanos e filmes do Woody Allen. Acredito que tudo fica melhor ao som de uma música e com um bom livro a tiracolo. Escrevo para o blog A razão de toda pressa e o site Engramas.

Não olhe pra trás ou olhe de novo?

'Não Olhe pra Trás' é um filme estreado pelo grande Al Pacino baseado em uma história real que nos convida a reflexão quando acompanhamos Danny Collins passar por uma crise existencial e reavaliar seu papel não só como músico, mas como ser humano. Sempre estamos em tempo de viver a vida que queremos viver?


diarioweb_filme_NaoOlheParaTras1.jpg

Vi um filme incrível essa semana com o Al Pacino, que dispensa apresentações. "Não olhe pra trás" conta a história de um cantor que tem como ídolo John Lennon. Ele escreve uma carta pra ele, mas ele nunca a recebeu. Trinta anos depois, ela finalmente chega ao seu destinatário de origem, mas e agora?

Poderá mudar alguma coisa? Se ele a recebesse quando deveria, sua vida teria sido diferente? Essa é a premissa do filme e é isso que ele nos leva a pensar, será que poderíamos ter mudado a nossa rota? Ou sempre é tempo de mudar?

Me deparei esses dias, sem querer, com uma mensagem não lida que chegou por inbox pra mim. Tem exatamente um ano que ela foi enviada pra mim e foi escrita pra me trazer um conforto em um momento difícil.

Mas não chegou até mim como deveria, pois há algum tempo atrás, sem que eu consiga tatear quando, essa pessoa que um dia foi um grande amigo, saiu da minha vida sem pedir licença ou dizer porquê. Quando me dei conta, muito tempo já tinha passado e muita água já tinha rolado e passado por debaixo da ponte.

Li de uma vez só vez e nem precisei ver duas vezes. Não pisquei, não hesitei, apenas percebi que a decisão já tinha sido tomada a muito tempo e não por mim, mas de uma forma unilateral, sem chance para uma explicação, bate-papo ou um diálogo.

E agora que eu tinha recebido a prerrogativa de escolher, me senti em paz por optar pela não-ação como saída e me dei conta que se a tivesse recebido quando foi escrita, teria tomado a mesma decisão, teria escolhido o mesmo caminho.

Mas o Danny Collins, personagem do Al Pacino, aliás, que é baseado em uma história real, acredita piamente que se tivesse colocado as mãos na carta quando jovem, a sua vida, a sua carreira, o curso da sua história teria sido completamente diferente.

E quando ele finalmente a recebe, decide colocar em ação, tudo o que ele deveria ter feito com as próprias pernas, mas resolveu não fazê-lo, escolheu talvez o rumo mais simples, o menos trabalhoso, a porta que estava escancarada diante dos seus olhos.

Danny nos instiga, nos questiona, é tarde para podermos mudar e viver a vida que sempre quisemos viver? Não sei vocês, mas eu acredito de verdade em segundas chances, acredito que as pessoas podem mudar se assim elas quiserem e se comprometerem com o novo.

Acredito na mudança e no poder transformador que ela pode trazer e acredito sim que sempre é tempo de mudar, de poder construir a nossa própria história.


Ana Carolina Garcia

Vivo entre a ponta da caneta e o papel, entre o clique no teclado e a história que desabrocha na tela. Apaixonada incondicionalmente por séries, Los Hermanos e filmes do Woody Allen. Acredito que tudo fica melhor ao som de uma música e com um bom livro a tiracolo. Escrevo para o blog A razão de toda pressa e o site Engramas..
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Ana Carolina Garcia
Site Meter