coffee is my boyfriend

Pegue um café e sente aqui. Vamos falar sobre a vida.

Cristina Souza

Escrevo porque respiro. Ou seria ao contrário? Vejo poesia em tudo, e tudo que eu faço coloco o coração no meio - e um gole de café, é claro.

Toda a intensidade de Qinho

Da brandura à voracidade: Assim é o compositor carioca Qinho, presente na cena independente da música brasileira desde 2004, com carreira solo iniciada em 2009. Em entrevista realizada por telefone, Qinho conta sobre o lançamento do clipe que inicia uma nova etapa em sua carreira.


QINHO_jorgebispo-9238_baixa.jpg

(Imagem: Jorge Bispo)

Sua suavidade em Canduras abrandou meu coração durantes as tardes amenas que passavam lá fora, do outro lado da janela. O Tempo que Soa soou em meus ouvidos como um groove bom, soul music que embala alma e nos deixa (mais) orgulhos da cena independente da música brasileira. Mas o tom que Qinho deu para a música o “Peso do meu Coração”, fruto da parceria entre ele e Castello Branco, me fez remexer na cadeira e perceber o quanto o amor pode mesmo ser intenso e brando, suave e agudo, lindo e difícil, e exatamente por isso tão espetacular.

Com o sotaque inconfundível do Rio de Janeiro, Marcos Coutinho, o Qinho, me alertava: Após três anos do lançamento de seu último álbum, o que está por vir é algo mais rascante, ousado, diferente não só na sonoridade, mas também na forma de falar sobre o amor – sentimento permeia suas composições. Nas primeiras batidas de O Peso do Meu Coração, faixa que marca a estreia dessa nova fase, já da para sentir que Ímpar será mesmo denso, profundo e intenso.

Para o compositor, essa mudança em seu trabalho reflete o rumo que tomou sua vida: Em 2009, quando iniciou sua carreira solo era também ele só, com sua visão cândida sobre os sentimentos. “Quando produzi o Canduras, estava em uma fase ainda de descoberta do amor, um amor onírico, empírico, embora não perfeito, mas com aquela visão ingênua, aquela ideia que temos que quando o amor acaba, tudo também acaba. Neste disco o amor vem como uma visão mais real do que é a vida a dois, o casamento, a convivência e todos os desafios que isso carrega”, ressalta.

Mas se é sobre par, por que chamar então de Ímpar? “Par é algo mais apaziguado, redondo, harmônico, já o ímpar tem algo a mais. O amor retratado nesse disco vai por esse caminho, consigo criar uma ligação com o outro, mas ao mesmo tempo é uma ligação intrincada, complexa, cheia de variáveis, ironias, de pontas, de coisas que não são só sobre o amor que conhecemos, o sentimento é muito mais que isso. Numa relação com o outro, quaisquer que seja essa relação de convivência, ela é complexa e confusa, mas não só no sentido de simples confusão mas na busca por uma identidade e na dificuldade de ser compreendido pelo outro, tolerar o outro como ele é, e se você não conseguir dialogar com isso, nunca terá um relacionamento, pois ninguém é perfeito”, explica Qinho.

Ímpar é algo que sobra, mas que ao mesmo tempo é único, não tem necessariamente um lugar. O ímpar é o não-lugar, é estar e não estar ao mesmo tempo, é embate. “ As pessoas sentem dificuldade para lidar com o diferente e o álbum está muito nesse existencialismo deste não lugar, no lugar do amor que é também ao mesmo tempo afastamento, nas dificuldades dele, nas questões dele, nesse campo que é um lugar e ao mesmo tempo não é”, conta o compositor.

Clipe de Lançamento

O dia de hoje não foi escolhido por acaso para o lançamento do clipe de O Peso do Meu Coração. Data dedicada à rainha do mar Iemanjá, detentora dessa energia intensa e branda que vem do mar, representa perfeitamente o sentimento retratado no vídeo, que tem como protagonista o próprio Qinho e sua esposa Clara Maria, com imagens de Vicente, filho do casal. Dirigido pelo compositor e cineasta carioca Rubel, o vídeo apresenta a força avassaladora do sentimento a dois. “A própria letra do Castello é um tapa na cara, fala sobre você não ter quem pensa que tem e não ser quem pensa que é, mas ao mesmo tempo reforça que a fé anda junto com o amor. O Rubel pegou a ideia da música e traduziu com um ar de romance, homem, mulher e família, abordando a união e também a separação dentro desse relacionamento. É um clipe com muita energia, com esse embate entre o casal, mas que ao mesmo tempo mostra o romance subentendido , apresenta Qinho.

O álbum está previsto para a primeira quinzena de março, e será disponibilizado para download no site do músico. Enquanto a data não chega, aperte o play e sinta um pouco do que está por vir.


Cristina Souza

Escrevo porque respiro. Ou seria ao contrário? Vejo poesia em tudo, e tudo que eu faço coloco o coração no meio - e um gole de café, é claro..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @destaque, @obvious //Cristina Souza
Site Meter