coqueluche

muito para ser efêmero, pouco para ser eterno

Fabiane Pianowski

Curiosa e digitalmente hiperativa, acredita que toda informação deve ser compartilhada. Atraída pelo que não é canônico, busca arte e cultura nos interstícios do cotidiano

Arte Postal: comunicação e colaboração

Arte postal, uma rede de comunicação e intercâmbio artístico surgida na década de 60 e que antecipou muitos dos conceitos de conexão e rede social que vivemos hoje. No início do século XX, as vanguardas históricas já utilizavam o sistema postal para a criação de propostas artísticas, mas será com a criação da rede de mailart que esta prática iria se consolidar.


ed_varney_correspondence.JPG Correspondência do artista postal norte-americano Ed Varney

Na década de 60, na esteira das propostas conceituais e das ideias de desmaterialização e efemeridade da arte, surgiu a arte postal: uma rede de artistas cujo o enfoque não está centrado tanto no objeto artístico como na comunicação e na colaboração entre os seus membros.

flux post kit 7_1968.jpgFlux Post Kit 7, Robert Watts, Fluxus, EUA, 1968

Foram os integrantes do grupo Fluxus, os principais impulsores da criação da mailart. Sendo considerado o ano de 1962 o marco formal de seu surgimento, quando o americano Ray Johnson (1927-1995) criou a “New York Correspondance School of Art”.

RJ_mailing 66_1983.jpgMailing, Ray Johnson, EUA, 1984

No entanto, antes do estabelecimento desta networking, muitos vanguardistas do início do século XX já utilizavam ocasionalmente o sistema postal como suporte e meio de intercâmbio de propostas artísticas, de forma que dadaístas, futuristas e surrealistas figuram como antecedentes desta prática.

Ivo Pannagi_colage postalenderecada 16 out 1926 a Katherine Dreier.jpg Colage postal endereçada a Katherine Dreier, Ivo Pannagi, Itália, 1926

Os artistas postais ao apropriarem-se do sistema epistolar criaram um novo modo de circulação de arte, que rompeu com o circuito de galerias e museus e ampliou as possibilidades tanto de consumo como de produção de arte a nível internacional, em uma época na qual ainda não havia internet e o acesso a informação era muito mais restrito. rehfeldt_yourideashelpmyideas.jpg Tuas ideias ajudam as minhas, Robert Rehfeldt, postal, Alemanha, 1977

Tudo o que pode ser enviado por correio –que já foi muito mais permissivo que na atualidade– pode circular nesta rede e assim encontramos objetos que viram cartão postal, cartas com destinatários falsos ou sem destino, carimbos e selos inventados, entre diversas outras ações postais que se apropriam da burocracia postal.

solasapato.jpg Sola de sapato, envio postal, autor desconhecido, s.d.

Além disso, muitas propostas são colaborativas e/ou anônimas, dissolvendo-se nessa atitude conceitos como autoria e originalidade da obra de arte.

2005-10-31 Brain Cell Ryosuke Cohen # 593.jpg Brain Cell # 593, Ryosuke Cohen, projeto colaborativo internacional de adiciona e repassa, 2005

Apesar da maior produção em arte postal estar centrada nos Estados Unidos, as ditaduras da América Latina e os regimes totalitários do Leste Europeu foram terreno fértil para a sua expansão, uma vez que os artistas conseguiam através desse meio subverter o sistema e burlar a censura, criando redes nas quais sobressaíam a denúncia, o protesto e a solidariedade como temas.

diesler_americalatina.jpg Sem título, Guillerme Deisler, postal, Chile, 1977

Na atualidade, com o fenômeno da conexão digital, muito destas propostas passaram a circular na rede virtual, no entanto, ainda há muita coisa que circula pelo sistema tradicional de correios e que podem inclusive chegar na tua caixa postal, para isso só é necessário cair na rede!

acao sem destino_pb_1982_inglaterra.jpg Sem destino, Paulo Bruscky, ação postal, Inglaterra, 1982


Fabiane Pianowski

Curiosa e digitalmente hiperativa, acredita que toda informação deve ser compartilhada. Atraída pelo que não é canônico, busca arte e cultura nos interstícios do cotidiano.
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/Poéticas// @destaque, @obvious //Fabiane Pianowski
Site Meter