cotidiano enfeitado

...apenas o que couber no bolso e no coração

Flavia Vargas

Jornalista por amor e formação. Carioca da gema, apaixonada por samba e cervejas especiais. Tem medo de palhaço mas uma coragem imensa pra ser feliz

A arte de Pablo Vallejos: espalhando felicidade

Jornalista carioca cria série para promover a felicidade: “Quero que o espectador reflita: será que eu estou, de fato, vivendo uma paixão como a desse entrevistado? Será que sou a pessoa que sempre sonhei?"


Felicidade.jpg

Sabe aqueles projetos que te enchem de esperança em um mundo melhor? Sabe quando, no meio da correria do dia a dia, você se depara com algo especial, capaz de te fazer pensar e repensar o que você está fazendo da sua vida? Assim foi meu primeiro contato com o trabalho de Pablo Vallejos.

Naquela timeline bagunçada de rede social, onde pouca coisa se aproveita, conheci o projeto de Pablo através de uma amiga. O título do link me atraiu: “Artista cria websérie sobre pessoas apaixonadas pelo que fazem”. Cliquei.

Depois de assistir a alguns episódios, decidi que gostaria de escrever sobre aquilo. Gostaria de passar à frente todos aqueles sonhos relatados em vídeo, no olhar sensível do jornalista e fotógrafo carioca, a quem, então, pedi uma entrevista.

Aí percebi o quanto se pareciam criatura e criador. Pablo é exatamente aquilo que registra nos vídeos: um descobridor de si mesmo, com brilho no olhar, paixão pela vida e verdadeira adoração pelas coisas mais simples. Jovem, aos 25 anos fala de seu projeto como se já tivesse encontrado seu lugar no mundo.

Foi justamente desse brilho no olhar que nasceu o Falar Sem Parar. “A ideia surgiu quando pedi demissão de um emprego, em junho de 2013. Percebi que eu passava pouquíssimo tempo em função das coisas pelas quais eu realmente era apaixonado - cinema, fotografia e histórias de pessoas que conhecia pelas ruas do Rio. Sempre que eu começava a conversar sobre isso, ficava hiperativo, motivado e, consequentemente, amigos me falavam que surgia um brilho no olhar. Daí pensei que seria a hora de viver por essas paixões e levar uma rotina mais simples e baseada nos detalhes”, ele conta.

A filosofia de vida adotada por Pablo é a raiz do Falar Sem Parar. “A felicidade que conquisto diariamente vem desse meu novo estilo de vida e a cada dia encontro novos motivos para continuar buscando coisas sobre as quais eu poderia falar sem parar”, diz.

O projeto fotográfico foi iniciado ainda em junho de 2013, logo após a saída do emprego. Desde agosto deste ano, ele mantém a página homônima à série no Facebook. E em setembro, entrava no ar o primeiro episódio, no canal do YouTube.

O objetivo, segundo ele, é promover felicidade e conhecimento. “Pense comigo: estou catalogando momentos específicos na vida dessas pessoas, desses entrevistados. Em algum momento, elas poderão revisitar esses episódios e se avaliar. Assim como outros poderão encontrar os vídeos e estabelecer uma conexão”, explica.

O nome veio da paixão desenfreada com que vemos falarem as pessoas apaixonadas pelo que fazem. Como explica o fotógrafo, o FALAR representa o diálogo travado entre a pessoa e as coisas que a cercam, e SEM PARAR refere-se à ideia de estar sempre em movimento, na eterna busca pela felicidade.

O episódio #5, com André Kano, é o que mais emocionou Pablo, levando-o às lágrimas. A mim, idem.

A autenticidade dos depoimentos é nitidamente sentida nos vídeos. “Todos os personagens que participaram realmente poderiam falar sem parar sobre aquelas específicas paixões. Ou seja, considero essencial o tal brilho no olhar, o amor por um item objetivo ou subjetivo. Se você carrega uma paixão, dissemine-a. Alguém há de ser despertado por tamanha latência”, idealiza.

O que torna o projeto ainda mais autêntico é que Pablo faz tudo sozinho. Desde o contato com os possíveis personagens e a escolha da técnica de gravação, até a pós-produção, divulgação nas mídias sociais e monitoramento. É o que ele chama de “atmosfera intimista”: ele, sozinho, tocando seu projeto, num diálogo constante e íntimo entre autor e obra.

Os episódios não têm roteiros. Pablo tem uma conversa prévia com o personagem apenas para identificar se ele carrega o que o fotógrafo chama de “paixão latente”. Mas a técnica de gravação é totalmente calculada, desde o quanto a luz vai invadir o plano, passando pelo enquadramento, até a trilha sonora. “Esses elementos falam por meio de linguagens diferentes da verbal e complementam, sempre, o discurso do entrevistado.” A partir daí, a gravação flui como um bate-papo descontraído.

Foi assim com Daniela Pereira, protagonista do episódio #9. Também jornalista, ela conta no Falar Sem Parar sobre sua memória construída pelas oito moradias que teve nos últimos vinte e poucos anos. É um relato sobre como isso mudou toda a sua concepção de família, gratidão e amor.

Daniela lembra que foi amor à primeira vista. “Conheci o projeto através do Facebook. Vi um post do Pablo sobre um entrevistado e cliquei no canal. Achei tão lindo! Virei uma fã instantânea. O que me motivou a participar foi a possibilidade de compartilhar e documentar momentos importantes da minha vida.”

Depois de a jornalista enviar uma mensagem a Pablo parabenizando-o pelo projeto, a resposta dele foi, segundo ela, um convite irrecusável. Para o episódio #9, Daniela abriu não só as portas de seu apartamento, mas também as de seu coração. Falou sobre suas filhas, seus pais, seu primeiro 'apezinho', resgatou fotos antigas, se emocionou. Uma profunda e gostosa viagem no tempo.

Quando perguntei o que sentiu ao assistir ao episódio pronto, ela adotou uma expressão muito usada por Pablo: “sou só gratidão”. “Chorei umas cinco vezes. Demorei 24 horas para processar tudo o que senti. Nem sei se o Pablo tem noção do bem que me fez.”

DanielaEMuchacho.jpg Daniela e seu cãozinho Muchacho, no dia da gravação do Falar Sem Parar

E essa troca parece ser benéfica para os dois lados: autor e personagem. “Fico revigorado depois de cada gravação, depois de cada lançamento de episódio, depois da recepção dos fãs e, claro, depois de perceber que fiz isso tudo com muito prazer. Fico muito feliz quando recebo sinais de que o projeto está realmente entrando na vida das pessoas. Resumidamente? Tempos de intensa felicidade”, comemora Pablo.

Os episódios são lançados toda segunda-feira de manhã no canal do YouTube, e divulgados no perfil do artista e na página do projeto. Devido ao sucesso dessa primeira temporada, com 15 entrevistados, Pablo já planeja uma segunda, maior, com 30. A ideia é lançar o novo ciclo ainda no primeiro semestre de 2015. ”Acredito demais no potencial do Falar Sem Parar e repito isso com o maior sorriso no rosto”, orgulha-se o fotógrafo.

E aí, tem um projeto legal do qual você consegue falar sem parar cheio de brilho nos olhos? Então, participa! Compartilha essa felicidade! É só mandar uma mensagem no Facebook do Pablo Vallejos ou na página do Falar Sem Parar, ou ainda pelo [email protected]

Curioso nato, o jovem cursa uma pós-graduação em Comunicação e Imagem, e pretende fazer mestrado em 2015. Fica aqui o meu desejo de que Pablo, além de ensinar a teoria, motive seus alunos a verem o mundo de forma tão especial quanto ele. Mais do que isso, que Pablo inspire cada vez mais pessoas a criarem projetos que promovam a felicidade. Bonito de ver!

PabloVallejos.jpg Pablo Vallejos, 25 anos, jornalista, fotógrafo e criador do Falar Sem Parar


Flavia Vargas

Jornalista por amor e formação. Carioca da gema, apaixonada por samba e cervejas especiais. Tem medo de palhaço mas uma coragem imensa pra ser feliz.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/artes e ideias// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Flavia Vargas