culturiar

Culturiar é uma neologia, um verbo que exemplifica o nossa curiosidade sobre a cultura.

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz afro descendente com um pouco de dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo.

“Carpe diem quam minimum credula postero”

Artigo que tenta mostrar possibilidades e questões inerentes às nossas vidas, um apanhado de coisas que nos remete a desejada felicidade.


epicuro.jpgEscultura do filósofo Epicuro

O título apresentado tem como tradução "Colha o dia, confie o mínimo no amanhã", é de autoria do poeta romano Horácio (65-8 a. C.), que numa de suas Odes aconselha a personagem Leuconoe a aproveitar o dia e mais do que isso, não se preocupar tanto com o que virá pela frente. Carpe Diem é simplesmente um dos termos mais usados no mundo todo, seja por escritores, artistas, filósofos, entusiastas de Epicuro e demais pessoas. O sentido de fazer com que a vida realmente valha a pena é mais do que uma simples frase, ou até mesmo um simples conselho, de uma maneira geral acaba se tornando uma filosofia, um sentido para que possamos seguir em frente sem qualquer desânimo, medo ou aflição.

Epicuro (341-270 a.C.) traz esse conceito muito antes de Horário, que remete a nos mostrar que a morte é o estágio final da consciência e das sensações, consequentemente indolor as nossas emoções e ao corpo físico, sendo assim não há o porquê temer a morte e se conseguirmos abster desse medo poderemos ser felizes de forma plena. O Epicurismo, abordagem filosófica correspondente a Epicuro deve ser seguida por todos nós, a limitação própria ao fato de um dia termos um fim faz com que a vida não seja aproveitada, como Horácio fez questão de lembrar. Se pararmos pra pensar um pouco e nesse momento analisarmos o que realmente foi feito de nossas vidas, várias interrogações surgirão de forma abrupta e infinita. Assim como o tempo é relativo e depende muito do seu referencial, a vida e a felicidade são duas coisas relativas e não necessariamente andam no mesmo trilho, só que com o perdão da neologia infame e até mesmo clichê, nós somos os maquinistas desse trem chamado existência. Os caminhos a serem traçados dependem única e exclusivamente a nós e ao livre arbítrio que é concedido para a tomada de decisões, sejam elas positivas ou negativas. A escritora australiana Rhonda Byrne (1951) por exemplo nos mostra através do livro “The Secret”, que o segredo para a felicidade está dentro de nós, que um pensamento pode ser decisivo em diversas situações, o que você mandar ao universo poderá acontecer, que para alguns pode ser chamado de fé, o acreditar em si.

Walter Mitty.jpgBen Stiller interpretando Walter Mitty em uma das cenas do filme "A vida secreta de Walter Mitty"

Por vezes também acabamos sonhando em demasia e não transformando esses sonhos em realidade, é preciso ter os pés no chão também e criar metas, objetivos de vida. Essa filosofia Walter Mitty de criar um mundo paralelo em nossas cabeças e esquecer o que acontece ao nosso redor acaba sendo ineficaz e um tanto preocupante, sonhar ou imaginar são coisas fantásticas que precisam ter uma base concreta pois poderão desaparecer e assim trazer um sentimento de angústia por algo não ocorrido. As nossas histórias vividas são importantíssimas para a formação de caráter, respeito ao próximo e conhecimento empírico, quanto mais acumularmos histórias, mais experientes nos tornamos e menos falastrões e fanfarrões, coisa que todo jovem acaba penando por não saber como funciona de verdade a vida. Não que a ingenuidade do jovem seja algo totalmente execrável, pelo contrário, essa ingenuidade faz com que na idade jovem arriscamos mais, quebrar a cara às vezes tem suas vantagens, pois o que seriam de nossas histórias se não fossem os obstáculos que tivemos que superar? Como diria o cantor e compositor Gonzaguinha (1945-1991), devemos viver e não ter a vergonha de ser feliz, conquistar cada coisa como se fosse a última de nossas vidas, rir e fazer os outros rirem, aproveitar de fato é dizer sim as oportunidades que trazem algo de benéfico, seja a nós ou outras pessoas. Fazer amizades sinceras e curtir adoidado cada momento, o personagem Ferris Bueller que o diga, simplesmente só mostrou o que Horácio já dizia, aproveite o dia.

Ferris.pngMatthew Broderick na famosa cena em que Ferris Bueller canta Twist and Shout dos Beatles


Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz afro descendente com um pouco de dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Mário Lúcio
Site Meter