culturiar

Culturiar é uma neologia, um verbo que exemplifica o nossa curiosidade sobre a cultura.

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo...

Drão

Análise sobre uma das belas canções do cantor e compositor Gilberto Gil


Drão!

O amor da gente é como um grão

Uma semente de ilusão

Tem que morrer pra germinar

Plantar nalgum lugar

Ressuscitar no chão

Nossa semeadura

Quem poderá fazer aquele amor morrer

Nossa caminhadura

Dura caminhada

Pela noite escura

Drão!

Não pense na separação

Não despedace o coração

O verdadeiro amor é vão

Estende-se infinito

Imenso monolito

Nossa arquitetura

Quem poderá fazer aquele amor morrer

Nossa caminhadura

Cama de tatame

Pela vida afora

Drão!

Os meninos são todos sãos

Os pecados são todos meus

Deus sabe a minha confissão

Não há o que perdoar

Por isso mesmo é que há de haver mais compaixão

Quem poderá fazer

Aquele amor morrer

Se o amor é como um grão

Morre, nasce trigo

Vive, morre pão

Drão!

Drão!

Essa música foi composta em 1981 por Gilberto Gil, a letra trata-se de uma confissão, uma busca por perdão dos erros cometidos e uma reflexão do então relacionamento que havia terminado. Gil foi casado durante 17 anos com Sandra Gadelha, com ela teve três filhos, Pedro, Preta e Maria. Sandra é irmã de Dedé, primeira mulher de Caetano Veloso, desde os 14 anos de idade que Sandra era chamada carinhosamente por Maria Bethânia e demais pessoas do seu círculo de amizades e familiares pela alcunha de Sandrão ou Drão, daí temos o significado do título da música e a interpretação do mesmo acaba tendo maior clareza.

musas_sandrão.jpgGilberto Gil, Sandra e Preta Gil no colo

Gilberto Gil tinha acabado de se separar de Sandra quando começou o processo de composição da letra, o próprio cantor afirmou que a letra foi pra ele muito difícil por se tratar de um tema denso, o amor e o desamor, a questão do rompimento em si e o final de um casamento de tanto tempo, ele mesmo se perguntava como iria conseguir transmitir numa letra tantas coisas. Nessa belíssima composição de Gil, uma letra autobiográfica e mais do que isso confessional e de eu lírico arrependido, ele consegue transmitir em cada verso seu sentimento naquele exato momento conturbado de separação. Na primeira estrofe Gil faz um paralelo e jogo de palavras fantástico entre Drão e grão, usando posteriormente para criar uma metáfora entre o amor sendo uma semente, que tem de morrer (ser enterrada) para germinar, termina ainda numa neologia “caminhadura” que trata-se de uma referência a caminhada dura e árdua de um longo relacionamento e também um belo arranjado de palavras para citar a cama de tatame que os dois dormiam no começo de namoro, a “caminha dura”. A segunda estrofe traz o autor mostrando à sua ex mulher que o verdadeiro amor estende-se ao infinito, que não haja a separação de almas propriamente dita, onde cita que arquitetura do amor deles é como se fosse um imenso monólito (estrutura geológica a partir de uma só rocha), cita novamente a palavra “caminhadura” e acompanhado de “pela vida afora”, Sandra era sua companheira na época do exílio em Londres pós o AI5 do período ditatorial brasileiro.

Fechando a música vem a terceira estrofe onde Gilberto Gil fala dos meninos sãos (bens de saúde), os três filhos que teve com Sandra, e num momento de arrependimento dos possíveis erros cometidos se auto julga culpado pelo fim do casamento e que realmente não há o que perdoar, que apenas ele espera dela compaixão pelos seus pecados. Ao final ele deixa uma mensagem que serviu não só para Sandra, mas para todas as pessoas que passam por um fim traumático, numa nova metáfora com grão e o amor, Gil coloca com simplicidade que o amor assim como uma semente de trigo, morre para assim germinar e ao viver pode ser transformado em pão, uma bela analogia da vida onde o sentimento amoroso é eterno e acaba se transformando com o passar dos anos.


Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo....
Saiba como escrever na obvious.
version 6/s/musica// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Mário Lúcio
Site Meter