culturiar

Culturiar é uma neologia, um verbo que exemplifica o nossa curiosidade sobre a cultura.

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo...

E se só nos restasse um dia?

Artigo sobre uma das questões mais comentadas nos últimos tempos, o fim do mundo.


”Você, o que faria

Se o mundo fosse acabar

E só lhe restasse este dia pra viver?

Ver tudo ruir, a terra tremer

O chão se abrindo aos seus pés

A profecia vai acontecer! ”

Esse é um trecho do belo samba enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel, que trouxe de forma irreverente o tema “fim do mundo”. Paulo Barros, carnavalesco criativo e Tricampeão do Carnaval do Rio à frente da Unidos da Tijuca, esse ano pela Padre Miguel continuou a inovar, com suas ideias mirabolantes sacudiu o público e atraiu a atenção da imprensa em geral.

16fev2015---fantasia-da-porta-bandeira-pega-fogo-gracas-a-efeitos-especiais-da-apresentacao-1424066540692_956x500.jpg

O tema da escola faz pensarmos mesmo, inspirado na música “O último dia” de Paulinho Moska, se nos restasse apenas um dia de nossas vidas? O que faríamos? O conceito de Carpem Dien seria obrigatório nesse caso, afinal não iria ter mais nada para aproveitar. E se pudéssemos listar as possibilidades do último dia de nossas vidas? A profecia Maia estava prevista para 2012, mas nunca se sabe o dia de amanhã.

Você manteria seus compromissos?

Todos nós temos nossas rotinas, seja de trabalho ou de estudo, compromissos inadiáveis, obrigatórios. Uma mãe, por exemplo, que leva seus filhos para escola antes de ir trabalhar, a rotina seria a mesma se só restasse um dia? Almoçaríamos no mesmo horário? Jantaríamos? Muito provável que a ansiedade inevitável provocada pelo fim de tudo nos deixaria desconcentrados, o trabalho não iria ser a mesma coisa e a produtividade seria quase zero.

Você Viajaria?

Não precisa ser Nostradamus para prever que os Aeroportos e Rodoviárias teriam superlotação, afinal, quem não gostaria de passar seu último dia de vida viajando? Existem tantos lugares inexplorados nesse mundo, tantas riquezas a serem vistas, tantas culturas a serem experimentadas. Quais seriam os destinos? Porto Seguro? Rio de Janeiro? Maceió? Paris? Roma? Nova York? Orlando?

Disney-World-in-Orlando-Florida.jpg

Você Transaria?

Se é para morrer, que morramos de prazer e desfrutando de todas as fantasias de nossas mentes. Todos os desejos proibidos seriam realizados? Virgens desesperadas para transar e não morrerem puras, Padres sairiam do celibato, as casas de swing estariam repletas, Motéis com filas intermináveis. Ia faltar camisinha para vender ou distribuir, mas será que as pessoas usariam? Se o mundo vai acabar qual a necessidade de prevenção? Orgias seriam feitas, traições aos borbotões, gente soltando a franga e saindo do armário, remédios de disfunção erétil inflacionados.

Você comeria tudo que pudesse?

Que se dane o regime! Assim pensariam milhares de pessoas, se vou morrer, então vou morrer comendo uma boa picanha, os melhores lanches das redes de fast food, pães, bolos, todos os doces que sempre teve vontade de comer.

tcap.jpg

Você iria para Academia?

Academia já tá paga, então “bora” se exercitar. O último dia será com muito suor e exercícios, afinal precisamos manter a forma para pelo menos morrermos saudáveis, terão aqueles que vão tentar perder a barriguinha de anos em um dia, aqueles que vão querer músculos instantâneos e pernas torneadas. As academias terão um dia cheio.

Você faria compras?

Já que o mundo vai acabar e não precisaremos esperar a fatura do cartão de crédito no próximo mês, então o jeito é gastar. Os shoppings entrariam em colapso, mulheres loucas para comprar todos os sapatos e bolsas possíveis, homens esvaziando lojas de esporte ou ao contrário? O consumo não tem gênero, vale apenas gastar tudo que tem, o que não tem e que nunca mais terá.

excited-women-shopping.jpg

Você aprenderia algo novo?

Numa vida comum e rotineira você nunca teve a oportunidade de se permitir, aí o fim do mundo veio te ajudar a sair da zona de conforto. Aprenderíamos coisas novas? Aulas de instrumentos musicais, oficinas de artesanato, surf, o mundo sedento de novas culturas, aprenderia Inglês? Espanhol? Iorubá?

Você andaria pelado?

Já que vamos morrer, para que as roupas? Se liberte, joguemos nossos arquétipos de respeitadores ao extremo, quem nunca teve vontade de andar pelado? Só no carnaval pode? Seria considerado atentado ao pudor? “Seu guarda é último dia de nossas vidas”, roupas jogadas nas calçadas, gente enlouquecida com a possibilidade de se permitir não ter vergonha do próprio corpo e encarar isso com naturalidade.

Você rezaria?

No fim do mundo as igrejas estariam repletas também, religiosos fervorosos em busca de um “perdão” de Deus, Alá, Buda, Gadu. Os ateus rezariam? Nos redimiríamos dos nossos pecados? As comunicações mediúnicas estariam em polvorosa, os terreiros lotados, igrejas com muitos fieis arrependidos e suplicando por mais um dia, um mês, um ano pelo menos.

1185757_490287661066185_1249018958_n.jpg

Você ficaria louco?

Muita gente iria surtar com a possibilidade de o mundo acabar, Como assim? E agora? Fodeu? Todo mundo pirado, ia faltar vaga no hospício, vamos abrir as portas da loucura geral, Diremos que somos Napoleões? Césares? Pelés? Remédios de uso controlado iriam faltar, injeções de sossega Leão nessa galera.

A contagem regressiva começou, quanto tempo irá levar? O que você faria se o mundo fosse acabar?


Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo....
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Mário Lúcio
Site Meter