culturiar

Culturiar é uma neologia, um verbo que exemplifica o nossa curiosidade sobre a cultura.

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo...

“Alô, Alô, W/Brasil”

Análise de um dos hits de maior sucesso de Jorge Ben Jor


Fundada por Washington Olivetto e demais sócios, a W/Brasil se tornaria um ícone do ramo de Publicidade e Propaganda. Comerciais como dos produtos Bom Brill, o ratinho da Folha de São Paulo e os 3 garotos DDD da Embratel, por exemplo, foram premiadíssimos.

!grande.gifWashington Olivetto

A empresa sempre teve como tradição, em suas festas de fim de ano, convocar um talento da Música Popular Brasileira para fazer um show. Em 1990 na Rock Drinks, em São Paulo, Jorge Ben Jor foi o responsável pelo espetáculo daquele ano. Durante alguns momentos Jorge cantava um simples refrão em alusão a agência “Alô, Alô W/Brasil”, depois do show ele e Olivetto foram comer alguma coisa e conversaram por algum tempo sobre a agência, o atual momento conturbado do Brasil e a gestão Collor e também sobre a possibilidade meio maluca de Tim Maia querer ser síndico do prédio onde morava.

Ben-Jor_divulgacao-2.jpgJorge Ben Jor

Depois desse papo, Jorge usando do refrão que cantou na festa da agência e dos assuntos que conversou com Olivetto fez a letra inteira da música, batizada de W/Brasil. Essa canção simplesmente tornou-se o principal hit do verão e fez parte do álbum “Ao Vivo no Rio”, sua primeira apresentação foi na casa People.

A seguir uma simples análise da letra:

Alô, Alô W/Brasil

Alô, Alô W/Brasil

Jacarezinho! Avião!

(Jacarezinho citada é uma comunidade do Rio de Janeiro, avião tem dupla interpretação; em entrevista para o programa Roda Viva da TV Cultura, em dezembro de 1995, Ben Jor disse que avião é como é chamado o ajudante de palco [roadie], o outro sentido para o termo avião pode ser uma referência ao tráfico de drogas no Rio)

Jacarezinho! Avião!

Cuidado com o disco voador

(O disco voador aqui se refere à Polícia)

Tira essa escada daí

Essa escada é pra ficar aqui fora

(Referência ao caso Escadinha, um preso que escapou do presídio de Ilha Grande resgatado de helicóptero. Há também uma outra versão citada na Biografia de Tim Maia, escrita por Nelson Motta em que o autor conta sobre a sensação de perseguição de Tim e de quando ele achou que alguém, numa escada, queria alcançar o apartamento dele para assalta-lo, mas eram só funcionários da Light, empresa de energia)

Eu vou chamar o síndico

Tim Maia! Tim Maia!

Tim Maia! Tim Maia!

O trem corre no trilho

Da Central do Brasil

O trem corre no trilho

Da Central do Brasil

Incluindo paixão antiga

E aquele beijo quente

Que eu ganhei da sua amiga

E o que é que deu?

Funk na cabeça

E o que é que deu?

Funk na cabeça...

Alô, Alô W/Brasil

Alô, Alô W/Brasil

Jacarezinho! Avião!

Jacarezinho! Avião!

Cuidado com o disco voador

Tira essa escada daí

Essa escada é pra ficar aqui fora

Eu vou chamar o síndico

Tim Maia! Tim Maia!

Tim Maia! Tim Maia!

E o que é que deu?

Funk na cabeça

E o que é que deu?

Funk na cabeça

Deu no New York Times

(Referência ao jornal norte-americano The New York Times, a expressão usada por Ben Jor foi criada por Henfil no antigo Pasquim e que chegou a virar filme em 1987)

Fernando, o Belo

(Citando o então presidente na época Fernando Collor de Mello e comparando-o com o Dom Fernando I de Portugal, conhecido pela beleza, imoralidade e vaidade)

Não sabe se vai participar

Do próximo campeonato

De surf ferroviário

Surfista de trem

Surfista de trem

Deu no New York Times

A Feira de Acari

É um sucesso

Tem de tudo

É um mistério

(A Feira de Acari, realizada na Zona Norte do Rio, é conhecida pela enorme variedade de produtos e também pelo preço baixo, sendo alguns com origem de roubos, furtos e assaltos)

4987915284_fb73d32f0d_b.jpgFeira de Acari

Deu no New York Times

Dizem que Cabral 1

Descobriu a filial

(Referência a Pedro Álvares Cabral, que descobriu o Brasil, a filial de Portugal)

Dizem que Cabral 2

Tentou e se deu mal

(Referência a Bernardo Cabral, ex-ministro da justiça do governo Collor. Na época que a música foi escrita, esse Cabral tinha recém renunciado ao cargo de ministro, devido a um escândalo. Ele era casado, descobriram que ele e a ministra Zélia eram amantes)

Dizem que Cabral 1

Descobriu a filial

Dizem que Cabral 2

Tentou e se deu mal

Amor! Dor! Dor!

Lá da rampa mandaram avisar

Que todo dinheiro será devolvido

Quando setembro chegar

(Refere-se ao confisco do Plano Collor I de março de 1990. Setembro seria o prazo prometido para a devolução corrigida dos ativos confiscados (18 meses), ou seja, setembro de 1991)

Num envelope azul índigo

Num envelope azul índigo

Chama o síndico,

Tim Maia! Tim Maia!

Tim Maia! Tim Maia!

Alô, Alô W/Brasil

Alô, Alô W/Brasil

Da Central passando

Pela Mangueira

Dando uma volta na Pavuna

E chegando em Madureira

É lá!

Que o samba rola de primeira

É lá!

Que o samba rola de primeira...

Alô, Alô tia Léia

Se tiver ventando muito

Não venha de helicóptero

Alô, Alô tia Léia

Se tiver ventando muito

Não venha de helicóptero

(Léa Gadelha Millon, foi empresária de grandes cantores da MPB, inclusive de Jorge Ben Jor, costumava viajar bastante de helicóptero)

10_MHG_cult_leamillon.jpgLéa Millon

Alô Alô, W/Brasil

Alô Alô, W/Brasil

-Alô telefonista

Me desperte às 7:15 por favor

Rádio táxi 9 e meia

Senão o bicho pega

Eu também quero graves

Médios e agudos

Eu vou chamar:

Jacarezinho! Avião!

Jacarezinho! Avião!

Cuidado com o disco voador

Tira essa escada daí

Essa escada é pra ficar aqui fora

Eu vou chamar o síndico

Tim Maia! Tim Maia!

Tim Maia! Tim Maia!

Tim Maia!


Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo....
Saiba como escrever na obvious.
version 13/s/musica// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Mário Lúcio