culturiar

Culturiar é uma neologia, um verbo que exemplifica o nossa curiosidade sobre a cultura.

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo...

Não é apenas futebol

Crônica sobre a tragédia com o voo da Chapecoense.


A televisão estava ligada, conforme os olhos foram abrindo e despertei do sono fui me dando conta do que estava sendo exibido. Claramente se tratava de um acidente, mas ainda não estava conseguindo assimilar muito bem de quem estavam falando. De repente a Monalisa Perrone, com aquele jeito doce e calmo dela de dar notícias, informa que foi um acidente com o avião que levava o time inteiro da Chapecoense.

Para quem não é muito ligado em futebol vou explicar o básico sobre esse time, a Chapecoense é do estado de Santa Catarina, especificamente da cidade de Chapecó. Foi ascendendo de série em série até chegar na série A, a marca desse time era a garra, a vontade e jogo bonito, a Arena Condá é realmente uma Arena, jogar lá nunca foi fácil e muitos adversários saíram de lá até goleados vexatoriamente. A Chapecoense esse ano foi campeã do campeonato Catarinense, estava muito bem no Campeonato Brasileiro e conseguiu, pela primeira vez em sua história, chegar a uma final de competição internacional, a Copa Sul Americana. Eliminou adversários fortíssimos com atuações heroicas, principalmente do goleiro titular Danilo.

danilo_lorenzo.jpgGoleiro Danilo com seu filho Lorenzo

Conforme fui entendendo o que estava sendo noticiado, a ficha parecia não cair, confesso que fiquei meio atônito por alguns minutos e torcendo para que aquilo tudo fosse um verdadeiro engano. Se quem não gosta de futebol já ficou triste pela situação, imaginem quem gosta e de certa forma vive o futebol intensamente. Não é apenas futebol meus amigos, esse esporte provoca emoções indescritíveis em quem gosta de acompanhar, o entretenimento que faz fugirmos de nossos problemas, uma fuga boa e que nos dá prazer em assistir, seja em casa ou no estádio.

Nos primeiros instantes da cobertura, os jornalistas iam informando dos sobreviventes à tragédia. Parecia que havia uma ponta de esperança. Eis que chega o prefeito de Medellin e joga um balde de água fria. Ele revela por nota oficial que existiam pelo menos 25 mortos nesse acidente. Aí você fica pensando, poxa 25 mortos é muita coisa, quem será? E os outros estão vivos então? Desaparecidos? Creio que muitos desses questionamentos também foram feitos por vocês.

Foi difícil ver cada notícia sobre o caso, cada explicação e cada nova informação referente a isso. Para quem gosta de futebol a empatia com essa situação foi ainda maior, foi como perder um parente. Quantas e Quantas vezes esses jogadores deixaram os torcedores alegres com suas conquistas e até mesmo quem não torce diretamente pra eles, mas escalava-os no Cartola FC, saudosas mitadas de Bruno Rangel, Thiego, Kempes.

No Bom Dia Brasil veio o golpe final, a notícia que os mortos passavam de 70. Ali não teve como não ficar realmente triste, consternado com tudo aquilo. O time estava indo conquistar seu maior sonho, os jornalistas que estavam no voo também estavam indo cobrir uma grande festa, o jornalista Guilherme Marques chegou a dizer em rede social que estava feliz por ter sido escalado para essa cobertura. E com toda razão, ele e o time iriam fazer história.

Esse foi o maior acidente aéreo com times de futebol da história, superando graves acidentes que já ocorreram, como o do time Torino da Itália em 1949. O Torino era a base da seleção Italiana daquela época, estava há quatro rodadas de conseguir pela quinta vez o escudeto de campeão italiano. Morreu o time inteiro num acidente aéreo. A seleção italiana teve que vir de navio para a Copa de 50 no Brasil, com medo de encarar esse invento mais pesado que o ar.

Torino.jpgTime do Torino

Saber que um time inteiro que você tinha simpatia morreu é horrível, conversando com amigos que também adoram futebol, eles me relataram que não conseguiam trabalhar direito ou se concentrar. A tristeza era demais. Morreu gente muito querida como Mário Sérgio Pontes de Paiva, eu não cheguei a vê-lo jogar futebol, lembro apenas da época como técnico e atualmente como comentarista, mas sempre gostei do estilo dele de comentar e de mostrar sua opinião sobre os lances, mesa redonda com ele era muito melhor. Sempre achei o repórter Victorino Chermont muito eficiente também, sempre atento às notícias sobre os clubes cariocas e também da seleção brasileira.

Mário Sérgio.jpgMário Sérgio Pontes de Paiva

Hoje, um dia após essa tragédia, o sentimento ainda é estranho. Hoje seria o primeiro jogo da final. Não será mais. Fica apenas o sentimento de agradecimento por tudo que esses profissionais nos proporcionaram e que as famílias nesse momento possam seguir em frente, poderem se reestruturar psicologicamente depois dessa tragédia. Eu sempre tive a concepção de que o futebol não é apenas um jogo, depois de ter visto toda a comoção de todos os times do Brasil e vários no mundo todo, gente famosa e gente anônima, gente que gosta de futebol e gente que odeia, percebi que o mundo ainda tem esperança, nós ainda temos sentimentos, nós ainda conseguimos ter empatia pela tristeza das pessoas, nem tudo está perdido na humanidade meus amigos. O futebol não é e nunca será apenas um jogo de futebol.


Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo....
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Mário Lúcio
Site Meter