culturiar

Culturiar é uma neologia, um verbo que exemplifica o nossa curiosidade sobre a cultura.

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo...

O muro de Trump

Uma breve explicação sobre a decisão polêmica do atual presidente dos EUA.


201608311743032865_RTS.jpgAperto de mãos entre Enrique Peña Nieto (Presidente Mexicano) e Donald Trump

O primeiro fato desse novo governo republicano de Donald Trump, independente da visão política que você leitor tenha dele, é que cumprir promessas, ele cumpre. Trump chama a atenção pelo seu estilo polêmico e em muitas oportunidades grosseiro com relação a diversas questões. Uma delas é a relação entre EUA e México. Com os acontecimentos dessa semana, em que na quarta-feira o presidente norte-americano assinou uma medida para construção de um muro físico no limite territorial entre os Estados Unidos da América e os Estados Unidos Mexicanos, as relações entre os dois países ficaram bem complicadas.

Fronteiras pelo mundo-México e EUA.jpgA fronteira entre Tijuana (México) e San Diego (EUA)

Leitores mais atentos e bem informados poderão dizer que esse muro já existe, e de fato estão certos. O muro começou a ser erguido ainda no governo de Bill Clinton. Atualmente ele ocupa 33% da fronteira EUA-MÉXICO e boa parte dele está situado na extensão entre Tijuana e San Diego. Outras partes são vistas nos limites dos estados do Arizona, Novo México e Texas. A promessa de Trump é de fazer com que 100% da fronteira seja murada.

A intenção do muro seria barrar a entrada de imigrantes ilegais pela fronteira, o acesso de potenciais criminosos e o aumento do Narcotráfico nos estados fronteiriços. Muitos dos que votaram em Trump, gritavam “Construa o muro” nos comícios do partido Republicano, ainda no período de campanha. Muitos defendem a tese de que o muro nada mais é do que uma medida de segurança, mais ou menos como se você erguesse uma barreira na sua casa para evitar, ou tentar, que seus vizinhos adentrem ao seu território. O mais irônico disso tudo, ainda na questão de território, é que todos os estados norte-americanos que se encontram nessa fronteira pertenciam ao México até 1848.

Na edição de quarta-feira do Jornal da Globo, o jornalista Jorge Pontual entrevistou o presidente do grupo Eurásia, Ian Bremmer. Ian foi enfático com relação ao muro de Trump:

“Ainda estamos muito longe da construção do muro. Será extraordinariamente caro. O dinheiro tem que ser autorizado pelo Congresso, ainda não foi e não me surpreenderia se no final houver só um pequeno trecho de muro para Trump tirar fotos. O governo mexicano está sob forte pressão. O governo Trump diz que o México vai pagar pelo muro e é inconcebível que o governo mexicano aceite isso. O mais importante é a questão do comércio. Será que o tratado de comércio entre os dois países, que tem que ser melhorado, acabará sendo descartado por causa do nacionalismo de Trump, dos problemas com imigração e por causa do muro? O que mais preocupa é o Narcisismo de Trump, a fragilidade do seu ego, a falta de experiência política, a extraordinária disposição de se vingar de ofensas e de inimigos. A política da América primeiro, se bem executada, poderia ser boa para os Estados Unidos, mas a questão é se Trump e seu governo conseguirão implementá-la. Até agora o que temos visto por esses primeiros dias no poder é que será muito problemática”.

5.jpgImagem emblemática da queda do Muro de Berlim

Inevitável também a comparação com outros muros “famosos” que esse planeta já presenciou, o maior (Não necessariamente em extensão, mas em significado) foi o muro de Berlim. Muro construído para separar a Alemanha Ocidental da Alemanha Oriental e consequentemente os EUA e seus aliados contra a União Soviética e seus aliados no período da Guerra Fria. Outro muro que também gera polêmica é o Muro da Cisjordânia, aquele que separa o estado de Israel dos palestinos. Se Donald Trump executará mesmo até o fim de seu mandato essas decisões, só o futuro dirá. Só que historicamente nenhum muro, grade, cerca ou barreira foi suficiente para que um lado não fosse para o outro lado. Para finalizar, deixo a vocês uma reflexão do Filósofo e professor da Unicamp, Leandro Karnal:

“Todos os muros são em si inúteis e simbólicos”

Mário Lúcio

Eu sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Grande São Paulo....
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/sociedade// @obvious //Mário Lúcio
Site Meter