da janela das eumênides

...cada amanhecer traz a razão para recomeçar...

Maria Brockerhoff

As Eumênides acreditam, piamente, na sorte do trevo de quatro folhas… regado com suor, garra, técnica e insônia!

Urtiga: o outro lado da folha

A origem latina do nome urtiga — urere — significa arder, queimar; vem daí a má fama da bela planta. Muitas vezes, apenas por causa da aparência, cor ou jeito, perdemos preciosidades!


Ur1.jpgFoto: brewbooks, Creative Commons Sinônimo de queimação, da pobre urtiga (Urtica dioica) brotam os dolorosos derivados urticar, urticação, pois contém ácido fórmico e suas enzimas são parecidas com o veneno de cobra… mas é rica em vitaminas A, B e C, clorofila, cálcio, ferro, manganês e magnésio. É diurética e antidiarréica, cura as infecções da boca e as aftas, sendo usada também para fertilizar o solo, coalhar o leite e como forragem para gado e coelhos.

A urtiga é uma erva ótima para a pele e os cabelos, combatendo eficazmente a caspa. Um chá bem forte na água do banho deixa a pele macia e estimula a circulação. A máscara de urtiga rejuvenesce e clareia a pele. Extratos podem ser usados para tratar artrite e anemia.

Claro, as suas folhas devem ser manipuladas com cuidado, pois podem irritar seriamente a pele; contudo, os soldados romanos as esfregavam na pele para se aquecer nas trincheiras geladas. Curiosamente, algumas tribos americanas usavam a planta como anestésico antes de cirurgias ou para aliviar a dor. Também colhiam as folhas que, cozidas como espinafre, os alimentavam, principalmente em época de escassez. Fervida numa sopa de legumes, as folhas da urtigas aumentam-lhe o valor nutritivo.

O cultivo desta planta é dos mais antigos em climas mais amenos. Nos países nórdicos e na Escócia era usada para fabricar linhas e redes de pesca; na Sibéria, para papel e óleo para tingimento. No Nepal e no norte da Índia ainda é muito popular na cozinha combinada com temperos indianos. Na Europa, o extrato de urtiga é um ingrediente em vários doces, xaropes e licores. Hans Christian Andersen, o dinamarquês, fala, em seus deliciosos contos de fada, dos mantos tecidos com urtiga.

Além de bonita, a urtiga é boa companheira para outras plantas, protegendo-as de predadores; o chá de urtiga regado em hortas torna-as mais resistentes às pragas. Atrai pássaros, abelhas e outros insetos úteis.

Ur2.jpgFoto: John Haslam, Creative Commons As borboletas apreciam a urtiga no cardápio. Talvez aí a origem da lenda: o noivo deve oferecer um ramalhete de urtiga com sementes à amada que, em cortejo, deverá espalhar as sementes em um canteiro ensolarado. Assim, a casa, o jardim, o quintal ficarão sempre enfeitados com borboletas!

Ainda no mundo mágico, as folhas atiradas ao fogo afastam os perigos e são poderosas como amuleto. Uma crença muito antiga diz que um ramo de urtiga debaixo da cama faz com que o paciente se recupere mais depressa.

Também as plantas nos ensinam: quem só enxerga espinhos não aproveita do coração!

Fontes: “As Plantas do Sítio” de Rosy Bornhausen (1995), Encyclopedia of Organic Gardening (2005), Dulce Rodrigues.


Maria Brockerhoff

As Eumênides acreditam, piamente, na sorte do trevo de quatro folhas… regado com suor, garra, técnica e insônia!.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Maria Brockerhoff