da ponte para o miradouro

Para além do visível... desassossego!

Ana Mendes Pinto

As performances dramáticas de Marina Abramovic

Marina Abramovic (Sérvia, 1946) iniciou-se no mundo artístico no inicio dos anos 70. Actualmente é considerada a mais importante artista no âmbito de arte-performance. Nos seus trabalhos usa o seu próprio corpo como meio, técnica e tema expondo-o a limites físicos e mentais.


As performances sempre com temáticas chocantes e dramáticas conduzem o espectador a uma reflexão sobre a vida e a morte, a relação entre corpo e espaço, a relação entre público e artista e a arte.

Em 1974, com o trabalho Rhythm 2, Abramovic explorou a relação entre corpo e mente dividindo a performance em dois momentos: Numa primeira fase, Marina Abramovic, ingere um medicamento que deixa o seu corpo imobilizado até entrar em convulsão. Embora não possui-se qualquer controlo sobre a movimentação do seu corpo, a sua mente estava lúcida e a artista tinha consciência de tudo o que se estava a passar consigo e à sua volta. Posteriormente Abramovic ingere outro medicamento, um calmante, que coloca a sua mente num sono profundo. Na primeira fase apenas sua mente estava presente enquanto que na segunda era apenas o seu corpo.

Ainda no mesmo ano Marina Abramovic realiza Rhythm 0, onde trabalhou sobre a relação entre o público e o artista. Utilizou o seu próprio corpo como médium entre o artista e o público eliminando qualquer distancia entre os dois sujeitos. Marina Abramovic permanecia sentada numa cadeira e, ao seu lado, sobre uma mesa haviam sido dispostos um total de 72 objectos: desde rosas e escovas a tesouras, facas, e armas, que poderiam ser usados pelos espectadores como estes quisessem. Com o passar do tempo, e como a artista permanecia sempre quieta e serena, o público foi-se tornando cada vez mais agressivo: Cortaram-lhe as roupas, picaram-na com os picos das rosas, apontaram-lhe uma arma à cabeça...Após 6 horas Marina levantou-se da cadeira para se dirigir à porta de saída. O publico com receio de retaliação começou a fugir. Esta veio a ser a mais conhecida performance da artista.

Recentemente esteve no MoMA onde apresentou algumas recreações de antigas performances e exibiu o seu novo trabalho "The artist is present": Marina Abramovic permaneceu sentada em silêncio em frente a uma mesa com uma cadeira vazia para ser ocupada pelos visitantes da exposição.

Marina Abramovic tem sido e continuará a ser uma grande influência para a obra de muitos artistas. "Marina Abramovic Institute for Preservation of Performance Art" situado em Hudson, Nova Iorque, irá ser inaugurado ainda este ano, 2012. Com a criação desta instituição Abramovic pretende não só assegurar o seu legado artístico mas garantir a preservação,ensino e apoio à arte-performance.

Marina_e_Ulay_-_Imponderabilia_1977.JPG

tumblr_lpydknvXCe1ql8dj8o1_500.jpg


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 7/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp //Ana Mendes Pinto