dadaísta

um blog sobre arte e desordem

Cátia Andressa da Silva

Fala muitos palavrões, os amigos dizem que é indecente, mas também a chamam de feminista, de nerd, dizem que é inteligente e essas coisas todas e tal… Estudou história e ciências sociais e já fez cursos de culinária e maquiagem de circo. Trabalha blogando e com o que chamam por aí de Social Media. Rouba canetas e coleciona afetos.

Dadaísmo: arte e desordem

Era 1916, nascia o Cabaret Voltaire na Suíça, nascia a arte em forma de manifesto, de revista, de teatro, de poesia, de música, de desordem e conflito, nascia o Dadaísmo. Nascia a arte sem regras. Talvez tenha sido a única vez na história da arte que dizer nada quebrava paradigmas. Talvez tenha sido a mais perfeita tradução de vanguarda.


Dadaísmo by Carol Lopes Dadaísmo por Carol Lopes

Receita para um poema dadaísta: (Tristan Tzara)

Pegue um jornal. Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema. Recorte o artigo. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedaço um após o outro. Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. O poema se parecerá com você. E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público.

Crítico, questionou a arte e ampliou seu olhar para a crítica dos modelos culturais vigentes. Ousado, permitiu que a experimentação entrasse em cena em plena guerra. Inspirou muito do que veio depois: o Surrealismo, o Expressionismo Abstrato e a Pop Art, em especial.

Desertores, irracionais e absurdos

Raoul Hausmann, ABCD, Self Portrait, 1921 Raoul Hausmann, ABCD, Self Portrait, 1921

Os criadores do movimento dadá acreditavam que as mazelas de tempos de guerra (1914 - 1918, Primeira Guerra Mundial) eram frutos da racionalidade, da lógica, do aprisionamento em que o sistema havia condicionado as pessoas. Provocaram e desafiaram a sociedade a uma ruptura social. E isso alastrou. Em pouco tempo, em Barcelona, Berlim, New York, Colônia e Paris, eclodiam movimentos inspirados nos dadaístas de Zurique, se respirava o desequilíbrio.

"Um dos objetivos do dadaísmo era conseguir fazer com que as pessoas refletissem sobre o cotidiano, olhassem as coisas de sempre com novos olhos. Por isso, objetos comumente utilizados no dia a dia são apresentados novamente ao expectador, mas sob uma nova perspectiva, mas sempre fazendo parte de um contexto artístico. A irreverência na arte era a forma de combater as velhas escolas artísticas européias, engessadas e pouco inovadoras." [Cultura Mix]

Ready Made, aka Marcel Duchamp

Objetos banais, escolhidos aleatoriamente, transformados em manifestações artísticas e alçados em um pedestal. Desprezo total pelo tradicional ou a estética da arte. Irônico, atingia tudo que desejasse contestar. Deu à Monalisa fogo no rabo (elle a chaud au cul). Levou o urinol para as galerias de arte.

Duchamp, Fonte Duchamp, Fonte

Duchamp, Roda da Bicicleta Duchamp, Roda da Bicicleta

Duchamp, L.H.O.O.Q Duchamp, L.H.O.O.Q

Poema Aleatório (ou Tristan Tzara)

Poesia sem significado transformada em manifesto político. Tzara redigiu manifestos paradoxais e contraditórios, intelectuais e antirracionais, inconformados. O próprio manifesto nega a si próprio, o próprio Tzara nega suas deliberadas provocações. Em Paris, foi um dos maiores responsáveis pela adesão massiva e o posterior nascimento do surrealismo.

Tristan Tzara, Man Ray, 1934 Tristan Tzara, Man Ray, 1934

André Breton e a escrita automática

Sob seu impulso, o surrealismo torna-se um movimento europeu que abrange todos os domínios da arte e coloca profundamente em questão o entendimento humano e o olhar dirigido às coisas ou acontecimentos. Sob influência real de Tzara, com quem mantinha uma relação tão contraditória quanto a poesia do mesmo, depositava sonhos sobre natureza e amor. Ironicamente, fazia referências a Engels para falar do mítico, em pura desconexão. Ou seria mais conexo do que poderíamos supor?

Breton Breton, Festival Dada, Paris (autor desconhecido, s.d.)

Breton, 1930 Breton por Man Ray, 1930

O pensamento se faz na boca. O Dadaísmo se faz na desordem.

Boa leitura: O Dadaísmo como inspiração estética Boas imagens: Dadaísmo


Cátia Andressa da Silva

Fala muitos palavrões, os amigos dizem que é indecente, mas também a chamam de feminista, de nerd, dizem que é inteligente e essas coisas todas e tal… Estudou história e ciências sociais e já fez cursos de culinária e maquiagem de circo. Trabalha blogando e com o que chamam por aí de Social Media. Rouba canetas e coleciona afetos..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/artes e ideias// @destaque, @obvious //Cátia Andressa da Silva