dadaísta

um blog sobre arte e desordem

Cátia Andressa da Silva

Fala muitos palavrões, os amigos dizem que é indecente, mas também a chamam de feminista, de nerd, dizem que é inteligente e essas coisas todas e tal… Estudou história e ciências sociais e já fez cursos de culinária e maquiagem de circo. Trabalha blogando e com o que chamam por aí de Social Media. Rouba canetas e coleciona afetos.

Bowie, Explícito!

Quando David Bowie morrer, tenho a impressão que ele vai se revelar Lestat de Lioncourt. A mistura de carisma e assombramento típica do vampiro, o chamado camaleão do Rock tem a cântaros. A origem miserável é comum a ambos. A incomum profundidade também. Eu juro não me surpreender se um dia souber da amizade entre Bowie e Marius. A cada dia mais explícita.


David-Bowie-Photo-by-Jimmy-King.jpg

Há dez anos não éramos saudados com um disco do Bowie, desde Reality. Pois 2013 se tornou o seu ano. Ele já voou pelo espaço, lançou disco e se fez mais explícito, à carne nua. Bowie está fértil. The Next Day brindou essa emersão. Das 22 canções do disco, lançado em março, as quatro que já tiveram seus videoclipes lançados tomaram nossos sentimentos de assalto.

A primeira música, Where Are We Now?, é uma balada tão romântica e solitária que foi impossível não se emocionar. Ele parecia saber o que fazia, ele parecia querer que o sentimento de Wild is the Wind viesse amadurecido. E veio, né?

As long as there's you

The Stars (Are Out Tonight), a segunda, é uma perturbadora (e quase divertida) história sobre a nossa primitiva relação com o externo a nós, com o tempo e a sexualidade. Bowie aqui tem Tilda Swinton ao lado, lutando com ele contra o prenúncio de uma enérgica juventude que desafia sua vida e sua sanidade. Eu adoro esse clipe. Eu quero sempre dançar com ele.

Em The Next Day, ele vem impiedoso e traz consigo todo seu calabouço. A música ganhou um clipe polêmico, expurgo e com a estética mais foda que poderia ter sido pensada pra si. Esse Bowie provocou a Igreja, negando a sensação cristã de vida eterna (ao passo que também se colocava nela, como Lestat, da analogia no início desse texto), e colocando o homem no seu devido lugar: da insignificância, da infelicidade e da certeza de apodrecer. Esse clipe é incrível! Desde a capa de She's So Unusual, da Cindy Lauper, um clipe não era essa aula de semiótica. Bowie, te amo!

Valentine's Day foi lançado anteontem, limpo, terno e simples. Frio, surpreendeu a quem esperava por mais psicodelia e matizes do videoclipe anterior. É bem bonito. É maduro. Mas quero entendê-lo mais.

Produtivo, tornando esse o seu ano, aos 66 anos, David Bowie é um arquivo. Explícito!


Cátia Andressa da Silva

Fala muitos palavrões, os amigos dizem que é indecente, mas também a chamam de feminista, de nerd, dizem que é inteligente e essas coisas todas e tal… Estudou história e ciências sociais e já fez cursos de culinária e maquiagem de circo. Trabalha blogando e com o que chamam por aí de Social Media. Rouba canetas e coleciona afetos..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/música// @destaque, @obvious //Cátia Andressa da Silva