dadaísta

um blog sobre arte e desordem

Cátia Andressa da Silva

Fala muitos palavrões, os amigos dizem que é indecente, mas também a chamam de feminista, de nerd, dizem que é inteligente e essas coisas todas e tal… Estudou história e ciências sociais e já fez cursos de culinária e maquiagem de circo. Trabalha blogando e com o que chamam por aí de Social Media. Rouba canetas e coleciona afetos.

Os banheiros femininos de Maxi Cohen

Em 1978, para fugir do entediante jantar de premiação de um festival, onde lançava seu primeiro documentário, ela recorreu ao banheiro feminino. Ali, encantada com octogenárias ajustando espartilhos e cílios postiços, sacou sua câmera e começou a fotografar.


2.jpg

Quando era criança, os banheiros femininos eram o esconderijo preferido da fotógrafa Maxi Cohen. Naquele isolamento, ela se sentia segura. Segura para dar asas à sua imaginação, às suas fantasias e ao seu silêncio.

Em 1978, para fugir do entediante jantar de premiação de um festival, onde lançava seu primeiro documentário, ela recorreu ao banheiro feminino. Ali, encantada com octogenárias ajustando espartilhos e cílios postiços, sacou sua câmera e começou a fotografar tudo que acontecia naquele refúgio. Assim começou a jornada de Ladies Rooms Around The World - banheiros femininos através do mundo.

Explorando esse espaço tão singular, Maxi Cohen começou a levantar questões sobre nossa apreensão do mundo e o papel do silêncio e das palavras nesse contexto. O que se escondia nesse discurso? Foi esse desassossego que deu início às filmagens sobre a série fotográfica.

5.jpg

“"Nos anos 90 , entrei em um bar aborígene no interior da Austrália. Duas mulheres me chamaram para sentar com elas. Fugindo dos ouvidos masculinos, essas mulheres me arrastaram para o banheiro feminino para falar sobre incesto e estupro de meninas e meninos na comunidade. Esse foi o primeiro vídeo que eu fiz em um banheiro feminino", conta Maxi Cohen.

Entre 1978 e 2011, a artista seguiu documentando banheiros de diferentes lugares, línguas e estilos. Pelas suas lentes, passaram vulnerabilidades, confissões, intimidades, sexo, adultério, poder, moda e toda a infinidade de significados do banheiro feminino.

4.jpg

3.jpg

1.jpg

As fotografias estão em exibição na Galeria Lume, no Itaim Bibi, em São Paulo, até 25 de março. As fotos e essa história também estão no site da galeria.


Cátia Andressa da Silva

Fala muitos palavrões, os amigos dizem que é indecente, mas também a chamam de feminista, de nerd, dizem que é inteligente e essas coisas todas e tal… Estudou história e ciências sociais e já fez cursos de culinária e maquiagem de circo. Trabalha blogando e com o que chamam por aí de Social Media. Rouba canetas e coleciona afetos..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Cátia Andressa da Silva