de repente dá certo

Este é um mapa de onde minha imaginação foi. Agora, o caminho é de vocês.

Marcela Picanço

Autora do site De Repente dá Certo, atriz e jornalista. É fissurada por arte e futurismo e acredita que o presente é sempre a melhor época para se estar vivo.

Por que o conselho 'apenas faça o que você ama' pode ser tão ingrato?

Dá pra fazer o que ama e ter um emprego fixo pra segurar as contas no final do mês. Não é todo mundo que pode desistir de tudo e viajar o mundo. Por isso eu acho que esse conselho que diz “nada importa, só faça o que você gosta” é muito ingrato e tem pessoas ficando muito frustradas por aí por causa disso.


Foto (3).jpg

É insensível e talvez até ignorante (no sentido de ignorar) afirmar que nossa geração é mimada, perdida e vive no mundo da ilusão. A verdade é que tem muita gente fazendo e criando muita coisa foda por aí. E digo mais, aqui no Brasil mesmo. Hoje, como eu já falei mil vezes em outros textos, temos a Internet, essa maravilhosa rede que nos conecta com qualquer pessoa do mundo. E hoje tudo que a gente precisa pra começar qualquer coisa é de uma rede wifi e uma ideia.

Vou dar alguns exemplos próximos de mim, de pessoas que eu conheço e abriram seus negócios não para apenas ganhar dinheiro, mas por acreditarem em uma ideia. Nem sempre esse seu negócio vai trazer dinheiro de imediato ou sucesso instantâneo, mas vai trazer motivação pra continuar criando e existindo e não sofrendo para chegar logo o fim de semana. Minha melhor amiga é urbanista e criou junto com outras amigas um coletivo chamado MOB, Movimente e Ocupe seu Bairro, e a ideia é deixar os espaços mais agradáveis para se habitar.

Outra amiga minha abriu esse ano o Bêco, um restaurante que funciona só aos domingos e na casa dela, simplesmente porque ela gosta de cozinhar e conectar pessoas. Outra amiga e o namorado abriram uma barbearia chamada Fio Maravilha, que tem todo um toque especial e personalizado. E tem também a abeLLha, uma encubadora de projetos sociais que eu contei tudo aqui no blog. Ou até mesmo a Startup PEBmed (onde eu trabalho hoje em dia), que foi criada por médicos jovens apaixonados por tecnologia que resolveram fazer um aplicativo com conteúdo de medicina para ajuda na tomada de decisão do médico.

Esses são só alguns exemplos de pessoas que eu conheço e colocaram a mão na massa. Existem mil outros exemplos e eu poderia ficar umas 10 páginas só falando sobre jovens que fizeram o seu negócio. Não estou falando de empreendedorismo. Não precisa ser uma empresa, não precisa ter um milhão de lucro a cada ano, não precisa sair na capa Forbes, não precisa ser seu ganha pão, mas são negócios criados por jovens com uma vontade enorme de não deixar a vida passar em branco.

A gente vê os casos de pessoas que deixam tudo pra abrir uma empresa e hoje são milionários como casos de exemplo, mas eles não são exemplos, eles são apenas outras pessoas que ralaram pra caramba pra chegar lá. Isso não quer dizer que você precisa seguir o caminho delas pra abrir o seu negócio. Esse negócio de empreender não é pra todo mundo, mas fazer o que você ama e acredita não precisa ter a ver com empreender, tem simplesmente a ver com fazer.

Uma das dicas mais valiosas que li no livro “Roube como um artista”, do autor Austin Kleon é: tenha um emprego fixo ou sei lá, freelas que te deem grana pra segurar as contas no final do mês. Não é todo mundo que pode desistir de tudo e viajar o mundo. Por isso eu acho que esse conselho que diz "nada importa, só faça o que você gosta" é muito ingrato e tem pessoas ficando muito frustradas por aí por causa disso. Tenha um emprego que te dê um mínimo de estabilidade, não te dê vontade de morrer e não ocupe todo seu tempo. Faça alguma coisa que você goste minimamente, que te faça aprender, crescer e ao mesmo tempo te dê gás pra focar naquilo que você realmente quer. Trabalhar sempre te dá um know how importante, vai te conectar com pessoas, vai fazer você aprender a trabalhar em parceria. E isso você vai precisar em qualquer negócio.

Mais do que coragem pra começar a fazer o que gosta, é preciso ter disposição e você vai encontrar motivação em outras coisas que não sejam dinheiro. Meu blog, por exemplo, até hoje eu não me sustento com ele. Ele pode me dar uns trocados, mas eu tenho um trabalho fixo pra conseguir me segurar. E mesmo assim esse blog é o que eu tenho de mais valioso na vida. Minha motivação é a troca que eu tenho com meus leitores, o frio na barriga que eu tenho toda vez que eu clico no botão publicar.

Toda vez que eu aperto esse botão eu não tenho mais controle nenhum das minhas palavras. Elas são de vocês e o que a imaginação de vocês fizerem delas. Por isso eu falo que ele é um mapa pra sua imaginação. Meu texto é um atalho de pra onde você pode ir. E sinceramente, dinheiro nenhum compra isso.

Às vezes eu fico até aliviada por não precisar ganhar nada com ele porque eu posso fazer o que eu quiser. E isso é muito libertador pra qualquer trabalho criativo. “Quando não tem dinheiro envolvido, eles não podem te dizer como fazer”. Eu posso inventar moda, recriar o blog a hora que eu quiser e, o melhor, posso dizer não pra tudo aquilo que eu acredito que não tenha a ver com a vibe do De Repente dá Certo.

Criar alguma coisa do zero sempre requer coragem e como diz o Matheus de Souza em um texto brilhante que eu li agora “requer confiança em você mesmo”. Não importa se você não quer fazer isso pro resto da vida. Faz o que você tiver vontade de fazer agora. Vai tocar numa banda, entra numa aula de teatro, vai fazer natação, gastronomia... Qualquer coisa que faça seus olhos brilharem. Se sentir que dá pé pra criar alguma coisa a partir dessa vontade, vai lá e faz, como disse o maravilhoso Tiago Matos, um dos jovens que eu mais admiro hoje em dia (ele é futurista e criador da escola Perestroika).

Não precisa esperar o momento certo de fazer, não precisa ser popular, não precisa ter uma grana guardada. Felizmente é gratuito colocar sua ideia na internet e se conectar com pessoas. Cara, se conecte com pessoas.

Se alguém me perguntasse qual é o segredo pra conseguir qualquer coisa hoje em dia eu diria que é ter confiança em você mesmo e se conectar com as pessoas certas. Talvez elas tenham a peça que faltava pra sua ideia. E pra isso você só precisa ser cara de pau e se infiltrar onde você quer ser visto. O resto é tudo conversa fiada e empreendedorismo de palco. Afinal, sucesso pra mim sempre foi sinônimo de felicidade e felicidade é melhor quando compartilhada.


Marcela Picanço

Autora do site De Repente dá Certo, atriz e jornalista. É fissurada por arte e futurismo e acredita que o presente é sempre a melhor época para se estar vivo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Marcela Picanço