defasagem de sentidos

música, cinema e literatura com críticas desconexas e pontualíssimas (a meu ver)

Guilherme Ziggy

Estudante de Jornalismo, fotógrafo, poeta, exímio mentiroso e craque em cometer falcatruas - tais como convencer meus queridos parceiros de botequim a sempre (sempre) me pagarem mais uma gelada e a pedir emprestado o bilhete único de alguém dois pontos antes do meu. Moro em São Paulo.

a perda de clive burr

Clive Burr se tornou conhecido mundialmente por ser o baterista do Iron Maiden de 1979 até 1982. Ele foi substituído por Nicko McBrain um pouco antes do término da "The Beast On The Road", a primeira turnê extensiva da banda. Clive participou de inúmeros projetos nos anos oitenta, até ser surpreendido com o diagnóstico médico de que seria obrigado a desistir das baquetas em decorrência da esclerose múltipla. Nos vinte anos seguintes, Clive lutou arduamente contra a doença e infelizmente perdeu a batalha nesta última quarta-feira, causando grande comoção e sentimento de luto no meio do Heavy Metal e do Rock N Roll clássico.


O ano era 1979. Clive Burr era baterista de uma das mais aclamadas bandas londrinas de NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal) Samson - que também contava com Bruce Dickinson nos vocais. Foi nesse mesmo período que o Iron Maiden lançou seu primeiro EP, intitulado The Soundhouse Tapes, que contava com Paul Di'Anno nos vocais, Steve Harris no baixo, Dave Murray na guitarra e Doug Sampson na bateria. Antes mesmo do lançamento do aclamado EP, o Iron Maiden era o líder não-oficial do movimento NWOBHM na cidade de Londres, alcançando um status muito maior que as outras bandas contemporâneas do movimento. Situação que gerava uma certa disputa entre todos, principalmente entre o Iron Maiden e o Samson.

Após o lançamento do EP The Soundhouse Tapes, o então baterista Doug Sampson decide se retirar do posto, surpreendendo a todos. Doug usou do argumento que a vida que ele levava na estrada com a banda não era saudável, que ele estava se alimentando mal e estava profundamente preocupado com a situação. E então, no início da escalada ao topo do Iron Maiden, seu baterista se vai, deixando todos na mão. Provavelmente encontrar um baterista na cidade de Londres não era tarefa difícil, porém encontrar um baterista do nível musical e capacitado o suficiente para encarar a bronca do Iron Maiden e seus fãs, era. Foi assim que Steve Harris pensou o óbvio, que era conseguir alguma maneira de "roubar" o baterista do Samson e trazê-lo para o Maiden. A pergunta era: Como?

maiden 1.jpg

Como dito anteriormente, o Iron Maiden era a maior banda londrina da época. Então, ao contrário das expectativas negativas de Harris, Burr não hesitou em se unir ao Iron Maiden uma vez convidado. No mesmo embalo, a banda também contratou um segundo guitarrista, chamado Dennis Stratton, este, amigo de Burr. Ao contrário das bandas que lutam bastante para alcançar um contrato com uma gravadora, ao se juntar ao Iron Maiden, às coisa estavam indo de vento à popa. Não muito após isso, a banda assinou seu primeiro contrato com a gravadora EMI. Clive se uniu no momento mais pertinente possível, o momento em que o Iron Maiden estava a um passo do estrelato mundial. Não é surpresa a razão dele não haver hesitado quando convidado por Harris.

Em abril de 1980, o disco "Iron Maiden" é lançado pela gravadora EMI. Sucesso de vendas no Reino Unido e de críticas, a banda sai em excursão para sua primeira turnê Européia, realizando a maior parte das apresentações como banda de abertura do KISS, em sua turnê "Unmasked". Após certos desentendimentos com Dennis Stratton, a banda o demite e contrata o guitarrista Adrian Smith, realizando outra turnê inglesa para sua apresentação oficial. Registrando a apresentação "Live at the Rainbow" em dezembro daquele ano, que foi posteriormente lançada em VHS.

Seguindo o sucesso comercial do primeiro disco, a banda novamente entra em estúdio para gravar o disco "Killers", contanto com o veterano produtor Martin Birch - conhecido por seus trabalhos com o Black Sabbath e o Deep Purple - na liderança das gravações. Assim como o primeiro disco, "Killers" estoura nas paradas de Heavy Metal no Reino Unido e a banda novamente sai em outra extensiva turnê, realizando os primeiros shows nos EUA como banda de abertura do Judas Priest e do UFO, também passando pelo Japão, onde gravaram seu primeiro disco ao vivo, o "Maiden Japan". Não aguentando a pegada das turnês e visivelmente transtornado pelo vício em cocaína, o vocalista Paul Di'Anno é expulso da banda e rapidamente substituído pelo vocalista Bruce Dickinson, frontman do Samson. maiden1982.jpg

Após uma pequena turnê pela Itália para apresentar Bruce Dickinson, a banda novamente entra em estúdio. "The Number Of The Beast" é lançado em Maio de 1982 e alcança o topo das paradas, finalmente elevando o Iron Maiden ao status máximo de banda bem-sucedida. Pela primeira vez em uma turnê mundial sem estar com outras bandas (apenas em dois momentos, onde eles excursionaram com a banda Scorpions e a banda 38. Special), o Iron Maiden alcança todas as regalias e holofotes de banda "do momento", após estourar em #1 nos EUA. Inclusive gravando outra apresentação ao vivo no Hammersmith Odeon, em Londres.

É no momento de maior sucesso da banda, que Clive Burr é demitido e substituído por Nicko McBrain. Co-autor de três músicas do novo disco e autor das linhas de bateria dos três discos da banda, Clive é mandado embora sem explicações por parte da banda, como ele mesmo relatou posteriormente no documentário "The Early Days". Aparentemente sem motivo declarado, o autor das linhas de diversas músicas clássicas do início da carreira da banda, como Prowler, Phanton of The Opera, Wrathchild, Run To The Hills e The Number Of The Beast, foi convidado a se retirar pra nunca mais voltar.

Clive é demitido no momento em que o Iron Maiden estourou definitivamente nos EUA e estava prestes a iniciar uma das mais bem-sucedidas carreiras que perdura até os dias de hoje. Mesmo assim, não se deixando abater, Clive participou de várias outras bandas menores no decorrer dos anos oitenta, como a francesa Trust (originalmente a banda de Nicko McBrain) e Gogmagog, com o ex-parceiro de Iron Maiden, Paul Di'Anno.

Em 1991, Clive é surpreendido como sendo portador da Esclerose Múltipla, doença que causa problemas psiquiátricos e motores, variando de portador para portador. Ele permaneceu na ativa até 1996, gravando seu último disco de estúdio "Bloodied But Unbowed" com a banda Desperado. Após vários incidentes, Burr anunciou oficialmente sua aposentadoria no final do anos noventa, conforme seu quadro clínico foi se tornando irreversível, prendendo-o à uma cadeira de rodas no início nos anos 2000.

A Clive Burr MS Trust Fund foi fundada pelo baterista em 2002, para arrecadar recursos para os portadores da Esclerose Múltipla. Com a ajuda do Iron Maiden, que promoveu durante todos esses anos shows beneficentes para a arrecadação de fundos, a ONG conseguiu se manter e ajudou diversos portadores pelo mundo todo.

clive.jpg

Após 22 anos lutando contra a doença, Clive Burr faleceu tranquilamente nesta última quarta-feira durante o sono, de insuficiência cardíaca, aos 56 anos. Um dos maiores bateristas do Heavy Metal e do Rock N' Roll, influência de várias gerações de músicos, com uma enorme quantidade de fãs espalhados pelo mundo teve o fim que merecia após tantos anos de incontável sofrimento. Vários músicos e membros do Iron Maiden publicaram seus pêsames e sentimentos de perda, provando que Clive nunca foi esquecido. Só podemos desejar-lhe o bem onde quer que esteja e esperar que ele esteja fazendo longas jams sessions com Keith Moon e John Bonham. A falta de Clive será sempre sentida.


Guilherme Ziggy

Estudante de Jornalismo, fotógrafo, poeta, exímio mentiroso e craque em cometer falcatruas - tais como convencer meus queridos parceiros de botequim a sempre (sempre) me pagarem mais uma gelada e a pedir emprestado o bilhete único de alguém dois pontos antes do meu. Moro em São Paulo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @destaque, @obvious //Guilherme Ziggy