depositório

Arquivando o Infinito

Valdir Machado

Economista, funcionário público e professor do ensino superior, por formação. Por gosto, aspirante a "escrevedor" (escritor é título muito nobre pra quem se utiliza da escrita como passatempo). Entre em contato: [email protected]

A Arca Russa

Um dia no Hermitage foi tudo o que Aleksandr Sokúrov precisou para elevar a "Arca Russa" ao título de clássico do cinema mundial. Na verdade, não "só" isso: cerca de dois mil atores, orquestras, obras de arte, o talento desse cineasta e o fato de que o filme em foco (com duração de 97 minutos) foi gravado sem um único corte.


Arca_Russa_01_Boa.jpg

São Petersburgo, hoje com nome de santo, já fora, nos tempos da União Soviética, Leningrado, nome que lembra horror, guerra, cerco e bombardeio. Mas esse lugar que tão bem representa o continente europeu, tanto que é considerado a cidade mais européia da Rússia, não vive apenas das estórias do seu passado sangrento.

Vista do Hermitage

Lá, dentre outras maravilhas turísticas, o Palácio de Inverno, residência dos antigos czares, abriga parte do belo museu Hermitage, um dos maiores e mais imponentes do mundo. Pois em 2002, o cineasta Aleksandr Sokúrov teve à sua inteira disposição, por um dia inteiro, toda a opulência do Hermitage. Ali, suas enormes salas, extensos corredores e raras obras de arte tiveram a companhia de quase dois mil atores, de orquestras e de um roteiro que passeia pelo rico passado russo.

Sem um único corte, a história desse país, de seus czares e de outros importantes personagens, aliada aos figurinos que ilustram as robustas túnicas militares, as vestimentas medievais e os longos vestidos nobres do início do século passado ganham vida, nos dando a ilusão quase real de que fazemos, telespectadores, parte de todo aquele resgate.

A Arca Russa é narrada por uma figura que tudo sabe e que conta o que vê com a voz do próprio diretor Sokúrov. Em algumas cenas do filme - como no momento em que é mostrada a saída de dois atores por entre as construções do palácio, num jardim coberto de neve e árvores secas - as imagens são marcantes e lindas. O final, uma torrente de quase dois mil atores a deixar o Museu por meio das suas escadarias e corredores, nos faz ter a certeza de que estamos presenciando uma verdadeira obra cinematográfica.

Cenas de A Arca Russa

Cenas de A Arca Russa 2


Valdir Machado

Economista, funcionário público e professor do ensino superior, por formação. Por gosto, aspirante a "escrevedor" (escritor é título muito nobre pra quem se utiliza da escrita como passatempo). Entre em contato: [email protected]
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/Cinema// @destaque, @obvious //Valdir Machado