descortinada

Os olhos do moço bonito me avistaram daqui

Maria Gabriela Verediano

Libriana com ascendente em sagitário, Maria é das Letras. Ora Maria bonita, ora Maria Madalena. Dramática e cinematográfica, às vezes, acredita que o enredo da sua vida saiu de uma novela mexicana.

Hipotermia

hi·po·ter·mi·a substantivo feminino. [Medicina] Diminuição da temperatura normal do corpo.
"A hipotermia ocorre quando a temperatura corporal do organismo cai abaixo do normal (35°C), de modo não intencional, sendo seu metabolismo prejudicado."


sangue-frio-27-10-normal.jpg

Eis que depois de tanta serpentina, depois de tanto carnaval, depois de tanta história para contar, me vejo enclausurada com você numa eterna quarta-feira de cinzas. Nosso conto virou pó, meu bem. A emoção acabou, o choro não veio, o riso também faltou. Eu que me via inebriada, que dançava para você, ando ressabiada, com a cara dormente e não sinto mais nada. É como se eu estivesse presa em um estado de congelamento. Duas caras: uma que não ri e a outra que não chora. É pior que AVC. Antes tivesse com os sentimentos todos tortos dentro de mim. Mas não, eles estão lineares, íntegros e sóbrios como nunca estiveram na vida. Você não me bagunça mais. Nem você, nem mais ninguém.

Compreendi que essa gente toda que eu chamava de covarde, já tinha tido na vida alguma coragem. Já tinha colocado a cara para bater. Esse alguém covarde, a quem eu tanto julgava, já tinha levantado a minha bandeira. ''Amar sem limites, ao infinito e além''. Agora estou aqui, sem graça, pálida, congelada preferindo assistir série de TV a me aventurar no bar da esquina. Acabou o confete. Acabou o comercial de margarina. Seu marketing não me convence mais. Quando o produto é ruim, não há propaganda que salva, amor.

Eu que também já não sei em qual porta entrei ou saí, estacionei nessa zona de incerteza. Como duas gotas de adoçante, eu me tornei a miss-artificial. O deus que não rejeita o frio nem o quente, mas vomita os mornos, teve ânsia quando me viu. Eu estou debaixo da língua de deus, pronta para ser cuspida. Quem sabe se a boca do deus me projetar para fora, eu não viro uma espécie de milagre? Um prodígio. Um arranha-céu. Mas eu já fui dessas quenturas de queimar a língua alheia. Já fui, sim, moço. Você lembra bem. E eu lembro do seu inverno. Do seu grau abaixo de zero. Abaixo do mínimo de lealdade.

Eis que da tempestade, da noite regada de vodka e Paloma Negra fez-se o silêncio. E o espírito do deus pairou sobre as águas... Sobre meus poços... e ele disse: Haja luz. E houve.


Maria Gabriela Verediano

Libriana com ascendente em sagitário, Maria é das Letras. Ora Maria bonita, ora Maria Madalena. Dramática e cinematográfica, às vezes, acredita que o enredo da sua vida saiu de uma novela mexicana..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @destaque, @obvious //Maria Gabriela Verediano