descortinada

Os olhos do moço bonito me avistaram daqui

Maria Gabriela Verediano

Libriana com ascendente em sagitário, Maria é das Letras. Ora Maria bonita, ora Maria Madalena. Dramática e cinematográfica, às vezes, acredita que o enredo da sua vida saiu de uma novela mexicana.

Sinto muito, Terezinha

Sinto muito por Eduardo ser mais um. Sinto muito por cada 2 de abril que virá. Eu sei que se tivesse tido a chance, você teria dado a sua vida para poupar a dele.


11133708_449062768586065_7779847335880123424_n.jpg (Arte de Matheus Ribeiro - Ribs)

Sinto muito, pela morte do seu filho Eduardo, Terezinha. Queria que você pudesse dividir um pouco da sua dor com cada brasileiro que assistiu àquela cena de horror. Eu quis gritar com você quando vi Eduardo abatido como um animal no chão. Eu quis pegar um avião para o Rio de Janeiro e abraçar você. Eu quis velar sua noite em claro, eu queria estar lá secando suas lágrimas. Sinto muito, Terezinha, pela mídia fazer da sua dor, manchete de jornal. Lamento que o governador do Rio faça da sua tragédia, politicagem e frases de efeito. Sinto muito, pelo policial que te ameaçou, mesmo depois de ter tirado a vida do seu filho. Sinto muito, por você não ter tido a chance de vê-lo trabalhando como um grande bombeiro. Sinto muito por essa lacuna de vazio que deve estar cravada no seu peito. Sinto muito pelas manipulações de imagem que um pessoa infeliz teve coragem de fazer para justificar a ação da polícia. Sinto muito por Eduardo não ter sido o primeiro nem o último. Sinto muito pelo morro estar escorrendo sangue para todos os lados. Sinto muito por parte dessa água vermelha ser do corpo do seu filho. Sinto muito pela voz do povo pedindo justiça e a resposta ser gás lacrimogênio e truculência. Eu lamento muito que daqui uma semana ninguém mais vai se lembrar do nome de Eduardo. Você não vai ter escolha. Vai lembrar dele todos os dias. Sinto muito, por você não conseguir entrar na própria casa depois que ele se foi. Sinto muito por essa violência naturalizada. Sinto muito por Eduardo ser mais um. Sinto muito por cada 2 de abril que virá. Eu sei que se tivesse tido a chance, você teria dado a sua vida para poupar a dele. Sinto muito pelos sonhos roubados. Sinto muito por cada pessoa que acredita que é esse mesmo o papel da polícia. Sinto muito por cada ignorante que diz que bandido bom é bandido morto. Sinto muito por terem abaixado a maioridade penal em um dia e no outro os policiais decidirem por conta própria que a maior idade seria a do seu filho. Sinto muito, Terezinha. Nada que eu diga, trará Eduardo de volta. Nenhum ombro será grande o suficiente para caber sua dor. Espero que em algum dia, a esperança encontre espaço para entrar e que você consiga perdoar tanta violência. Espero que você encontre um jeito novo de encarar a vida e que essa perda trágica não te faça desistir de viver. Sinto muito, Terezinha.


Maria Gabriela Verediano

Libriana com ascendente em sagitário, Maria é das Letras. Ora Maria bonita, ora Maria Madalena. Dramática e cinematográfica, às vezes, acredita que o enredo da sua vida saiu de uma novela mexicana..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// //Maria Gabriela Verediano