desmistificador de dálias

“inventar vida de onde [talvez] nunca saiu sequer um sopro de ar”

J. Douglas Alves

Escritor, cinéfilo, Pedagogo, Mestre em Educação e Desmistificador de Dálias.

CINCO FILMES QUE MERECEM NOSSA ATENÇÃO

Sabe aqueles filmes que geralmente têm um bom elenco, uma boa história, uma boa direção, mas passam “despercebidos” em época de muitos lançamentos, ou são desconsiderados pela crítica especializada, deixando até mesmo de estrear nas salas de cinema, sendo logo esquecido pelo grande público? Então, a lista a seguir refere-se a cinco desses filmes que você talvez não tenha dado a devida atenção.


00. cinema.jpg

Margin Call - O Dia Antes do Fim (Margin Call, 2011, de J. C. Chandor) 01. margin_call_new_poster4.jpg

Margin Call é um daqueles filmes que pode facilmente figurar na lista de grandes filmes que muitos cinéfilos gostam de fazer, mas que não teve uma grande atenção por parte do público. É um filme catástrofe, mas sem ondas gigantes, vulcões jorrando lava e bolas de fogo ou meteoros se aproximando de nosso planeta. O diretor estreante J. C. Chandor, que escreveu a história, apresenta como uma crise financeira pode afetar a vida das pessoas – desde os peões àqueles do alto escalão – e faz um drama com boas atuações. Apesar de todo o dialeto característico, que pode atrapalhar um pouco caso o espectador não esteja atento, é na consequência hierárquica dessa crise (sem precedentes e sem alternativa) que reside a força do longa. Sem contar que a cidade de Nova York é retratada de ângulos muito bem escolhidos, conferindo um atrativo a mais para a obra.

A Grande Virada (The Company Men, 2010, de John Weels) 02. The_Company_Men_3.jpg

Mais um filme a retratar uma crise financeira estadunidense (que, por diversos fatores, pode se tornar uma mundial, mesmo que o filme não retrate este caso). A história é comum: uma grande corporação entra em decadência e para continuar em alta no mercado decide fazer aquilo que dez em cada dez empresas costumam fazer: uma demissão em massa de seus funcionários. Logo, Bobby Walker (Ben Affleck), típico funcionário padrão dessas grandes empresas (tem uma bela esposa, um bom emprego e uma perspectiva linear de vida) é pego de surpresa quando recebe a notícia de sua demissão. Isso faz com que ele (e outros em situação semelhante, com destaque para os papéis de Chris Cooper e Tommy Lee Jones) tenha que redefinir as prioridades de sua vida. O filme foi dirigido e escrito por John Weels, e foi bem recebido pela crítica, no entanto teve um lançamento limitado, sendo lançado diretamente em DVD no Brasil.

Terra Prometida (Promised Land, 2012, de Gus Van Sant) 03. promised-land.jpg

Dirigido por Gus Van Sant (Gênio Indomável, Encontrando Forrester, Elefante, Paranoid Park, Milk - A Voz da Igualdade, Inquietos, entre outros) este é mais um daqueles filmes que a grande indústria do cinema prefere não investir e muito menos promover, em comparação a outras obras de qualidade duvidosa. Além de um diretor já reconhecido, o elenco também conta com três grandes nomes da sétima arte: Matt Damon (Gênio Indomável, O Resgate do Soldado Ryan, O Talentoso Ripley, Onze Homens e Um Segredo, Trilogia Bourne, Os Infiltrados, Bravura Indômita, Além da Vida, Os Agentes do Destino, Contágio, e por aí vai...), Frances McDormand (Mississipi em Chamas, Fargo, As Duas Faces de Um Crime, Quase Famosos, Terra Fria, Queime Depois de Ler, Aqui é o Meu Lugar, Moonrise Kingdom, etc.) e Hal Holbrook (Wall Street - Poder e Cobiça, Homens de Honra, Cine Majestic, Na Natureza Selvagem, Água para Elefantes, Lincoln e outros). A história é a seguinte: dois funcionários (Damon e McDormand) de uma empresa especializada em extração de gás viajam para mais uma de suas intervenções em pequenas cidades estadunidenses (seu objetivo é convencer os moradores a aceitarem a instalação de uma exploradora de gás natural na região). Com a argumentação e a promessa de fazerem os habitantes locais ricos, surge um pequeno foco de resistência que pode fazer o trabalho da dupla não ser tão simples como se imaginava. Com uma direção segura e um elenco confiável, Terra Prometida é um filme leve, que aborda um tema sério, a questão ambiental (através do ativismo), só que de um ângulo pouco conhecido.

Não Por Acaso (2007, de Philippe Barcinski) 04. nc3a3oporacaso.jpg

O cinema nacional tem essa preciosidade dirigida por Philippe Barcinski e estrelada por Rodrigo Santoro, Leonardo Medeiros, Letícia Sabatella, Branca Messina, Rita Batta e Cássia Kiss. A forma como a história acontece nos faz recordar de filmes como Crash - No Limite e 21 Gramas (uma breve recordação, apenas). Um evento inesperado faz com que a vida dos dois protagonistas (Leonardo Medeiros e Rodrigo Santoro) ganhe uma nova e inesperada trajetória. Tem muita gente que ainda considera o cinema nacional menos importante ou menos interessante que o cinema hollywoodiano. Esta é uma boa prova de que tal pensamento já está mais do que ultrapassado.

F (2010, de Johannes Roberts) 05. F 2D DVD packshot.jpg

Um suspense digno de estar na lista. Este filme britânico, escrito e dirigido por Johannes Roberts, mostra uma história com elementos que merecem ser destacados. Primeiramente somos apresentados a Robert (David Schofield), um professor que é agredido por um aluno durante uma de suas aulas. A direção da escola, ao invés de apoiar o professor e punir o aluno, teme a influência dos pais do garoto e resolve afastar o docente de seu trabalho por alguns meses. Sentindo-se humilhado diante da situação, ele passa a ter problemas com álcool e com sua família (a esposa o abandona e sua filha não lhe demonstra respeito). Outro elemento de destaque (além do professor desvalorizado em seu próprio ambiente de trabalho) é o que vem a seguir na obra. Numa noite, a escola é invadida por um grupo de jovens encapuzados, que passam a matar todos os presentes no local, sem nenhum motivo aparente. É o “estado violência” em seu contorno mais simbólico: toda violência psíquica que vem da escola volta à ela em sua forma física (uma metáfora da violência desproporcional e sem sentido, que se faz cada vez mais presente em nossa sociedade, mesmo em espaços outrora considerados seguros, como os colégios ou as nossas casas). Há sequências de sustos, uma boa trilha sonora e uma boa atuação do protagonista, além de uma direção segura. Muitos criticaram o filme por seu final, que não estabelece respostas às principais dúvidas do espectador: quem são aqueles jovens encapuzados? E por que atacaram as pessoas daquele colégio? Bom para distrair e também para pensar...

06. filmes r.jpg

Fica aqui a dica de cinco filmes pouco conhecidos entre o grande público e que não teve muito destaque da crítica especializada. Recomendo que assista, pois é possível que você se surpreenda com essas películas. Boas sessões!


J. Douglas Alves

Escritor, cinéfilo, Pedagogo, Mestre em Educação e Desmistificador de Dálias..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //J. Douglas Alves