dois senhores

Jornalismo e Literatura, pois todo jornalista fere no peito o escritor

Cíntia Silva

Jornalista (com diploma), bisneta de revolucionário, apaixonada por: Jornalismo, Literatura, História e Coxinha (não exatamente nessa ordem)

Deixar cicatrizar

A cicatriz é o tecido novo que se forma durante o processo de cura de uma ferida. A natureza a utiliza como um meio para fechar as lesões do organismo quando não é possível a regeneração perfeita dos tecidos.
Mas e quando não se deixa a regeneração acontecer? O texto a seguir pode dar um pouco de aflição, e não ter o menor sentido, mas também pode fazer algum sentido.


Cicatrização é o nome dado ao processo de reparação tecidual que substitui o tecido lesado por um tecido novo. A reparação envolve a regeneração de células especializadas, a formação de tecido de granulação e a reconstrução do tecido. Esses eventos não acontecem isoladamente, e sim, sobrepondo e se completando.

A medicina tem uma forma muito exata e simples de te dizer “Olha queridinha, você se machucou, mas logo isso vai fechar e você não vai nem lembrar que estava ferida”. Queria eu, que fosse fácil assim.

tumblr_nw44g6XeNj1teb5p4o1_540.jpg

Certa vez tive o seguinte diálogo com um amigo:

“Cíntia, você já passou por alguma cirurgia?”

“Não, por...”

“Se um dia isso acontecer, avisa o médico que a sua cicatrização é lenta... apesar de que ele vai perceber isso rápido.”

Naquele momento a conversa não teve muito significado pra mim, mas voltei a pensar nisso um tempo depois. Eu não sei você, mas eu tenho a incontrolável mania de “tirar casquinhas de machucados”. Eu sei que isso causa aflição, eu também sinto, mas quando percebo, a casquinha já se encontra debaixo da minha unha. Eu sou uma pessoa com cicatrização lenta, e que não se deixa cicatrizar, em vários aspectos.

Algumas vezes já passei por momentos na vida que foram difíceis de serem superados, já magoei e fui magoada, já fiz burradas, já quis voltar atrás, apagar palavras ditas... e aposto que você também já passou por isso. Em muitas dessas situações eu simplesmente não me deixei esquecer, não me perdoei e fiquei lá, ruminando as minhas atitudes.

Tudo que eu fiz, tudo que poderia ter feito diferente, ou tudo que poderia ter dito antes que fosse tarde. Eu já recriei na minha cabeça longas sequencias de como uma coisa poderia ter sido se eu tivesse tomado outra atitude, ou agido antes, ou esperado....

Eu entendi que muitas vezes eu já tirei a “casquinha” de algumas situações me que feriram, só pra ver se poderia ter sido diferente, se eu poderia ter feito algo a mais. Muitas vezes eu não me deixei cicatrizar, nem por fora, e principalmente por dentro.

Algumas feridas deixam marcas na pele, que te fazem lembrar do machucado por um bom tempo, e essas marquinhas também podem se alojar dentro de nós.

Deixar cicatrizar as vezes é difícil. Não existem ataduras que tirem a vontade de remexer no tecido lesionado, só pela curiosidade de ver como a pele esta se recuperando. Mas uma coisa eu te digo, se você deixar o machucado quietinho, no momento certo a casquinha vai sair, e você vai perceber que a ferida sumiu, assim, simples e fácil como o médico te disse. No momento certo, se você deixar cicatrizar, tudo vai voltar ao normal.


Cíntia Silva

Jornalista (com diploma), bisneta de revolucionário, apaixonada por: Jornalismo, Literatura, História e Coxinha (não exatamente nessa ordem).
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious //Cíntia Silva