M. Domenes

Alguém que aprecia o lado B das artes

O estranho universo de Robert Morgan

Robert Morgan faz parte da linhagem de diretores e animadores que apreciam “O lado obscuro da lua”. Sua importância para o cinema fantástico e gótico é tão crucial quanto Tim Burton ao cinema hollywoodiano com seu estilo Edgar Allan Poe. Não é ao acaso que o curta-metragem mais sombrio de Morgan toca justamente no imaginário coletivo de todos os escritores e amantes do sobrenatural – gatos. No soturno curta “The Cat With Hands” podemos ver um pouco desse universo fantástico e soturno do diretor.


Robert Morgan 001.jpg

Sempre gostei de animais, principalmente gatos. Os felinos têm uma natureza singular, um temperamento próprio. Não basta apenas alimentá-los, deve-se conhecê-los e compreender o seu temperamento, respeitá-los. Só assim ganhará admiração e o carinho desses animais. Sei que muitos não têm tanto apreço devido às estórias que permeiam a sua natureza misteriosa. No entanto muitas dessas crendices têm origem no passado. Um bom exemplo é a veemente afirmação de que todos os “gatos pretos dão azar”. Esse boato surgiu na Inglaterra no século XVII quando um repentino aumento da população de felídeos desencadeou uma perseguição em massa aos animais. A loucura teve seu ápice de acefalia quando os animais foram associados à personificação do diabo. Sendo assim, todos que tivessem um gato preto em sua residência, por conseqüência, eram considerados bruxos ou aliados das forças do mal. A matança se espalhou por toda Europa e só diminuiu a partir de 1630 mediante o decreto do rei Luís 13 que proibiu tal prática.

Tanto na história, quanto na literatura, os gatos sempre nutriram uma certa imaginação sombria sobre as suas personificações. No entanto, de todos os contos que li, filmes que assisti e lendas que ouvi, nada chegou próximo a sombria criatura do curta-metragem “The Cat With Hands” de autoria do soturno Robert Morgan.

THE CAT WITH HANDS

Robert foi criado na cidade de Yateley, Hampshire. Dizem as lendas que na tenra idade, aos três anos, ele desenvolveu uma paixão pelo cinema quando seu tio lhe mostrou “Fiend Without A Face (1958)” em um projetor de 8mm. Desde então tornou-se uma criança estranha, obcecada com monstros, tubarões e insetos. Essa inspiração cultivou a sua vida durante muito tempo, levando-o na fase adulta a se formar em 1997 no Surrey Arte instituto de animação e design.

Na mesma época Robert já apresentava o seu primeiro filme, o sombrio "The man in the lower-left hand corner of the photograph". O trabalho lhe rendeu cinco prêmios internacionais e várias vendas baratos para as emissoras. Mas foi o curta-metragem “The Cat With Hands” produzido em 2001 que lhe trouxe mais repercussão nos festivais de cinema. O curta narra, ao estilo dos velhos contos, a estória de um gato muito estranho que vive dentro de um poço. Em uma entrevista o diretor disse que a estória foi inspirada em um pesadelo que sua irmã Eleanor teve quando criança.

Graças à internet temos acesso a essas coisas bacanas fora do senso-comum. Fiz contato com Robert antes de expor o seu trabalho, realmente o sujeito tem umas idéias criativamente insanas e já está produzindo novos trabalhos além do campo da animação.

Agora deixo vocês com o curta “The Cat With Hands”. Recomendo que entrem no site e vejam a animação “The Separation”, estória dantesca de dois irmãos gêmeos que são separados cirurgicamente.

Robert Morgan Website - www.robertmorganfilms.com


M. Domenes

Alguém que aprecia o lado B das artes.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Cinema// @destaque, @obvious //M. Domenes