dona efêmera e dona perpétua

Um olhar sobre coisas que passam e que ficam.

Rosita Rose

No centro da noite, no meio de um sonho, num bate-papo. E não me bastam as palavras!

Querubim ou Cupido?

"Quando nasci veio um anjo safado, o chato dum querubim.
E decretou que eu tava predestinado a ser errado assim.
Já de saída a minha estrada entortou, mas vou até o fim."
("Até o fim", Chico Buarque)


Embora visualmente sejam tão parecidos, o querubim não é um cupido. Quando o assunto é Anjo, é impossível não lembrar, pelo menos, de um dos dois. Visualmente, não se pode distingui-los, mas suas simbologias, essas sim, se diferem: um, simboliza a espiritualidade; o outro, a sexualidade.

detalhe de A madona sistina, 1513, de Rafael.jpg

Detalhe de A Madona Sistina (Querubins)

Em poucas palavras, o cupido é o que os gregos chamam de Eros, o deus romano, o símbolo do amor sensual. Sua imagem é representada por um menino ou adolescente, com arco e flecha, símbolos do poder do amor.

cupido de William-Adolphe Bouguereau 1890.jpg

Cupido. 1890. Pintura de William-Adolphe Bouguereau

O cupido aparece também com os olhos vendados, representando a velha ideia "o amor é cego".

Piero-Della-Francesca-Cupid-Blindfolded-2-.JPG

"Cupido de olhos vendados". 1452. Piero Della Francesca.

Já os querubins ocupam o segundo lugar na hierarquia celestial, algo totalmente distante do que representam os cupidos. Os primeiros anjos mencionados na Bíblia - os querubins!, são geralmente representados, na arte Bizantina e na Europa Medieval, como meninos pequenos, com rostos mais arredondados e com asas, como os imagem que introduz este artigo.

Com o retorno às fontes clássicas, ou melhor dizendo, com o período conhecido como Renascimento ou Renascença, e com a sensualidade do Barroco, a imagens dos querubins foram evoluindo de maneira gradativa. Os putti, "garotinhos" na tradução portuguesa, são figuras pequenas, masculinas e gorduchas.

Afresco. Detalhe do teto da camera degli Sposi, feito por Andrea mantegna. em 1474.jpg

Detalhe do teto da Camara degli Sposi, de Andrea Mantegna. 1474. Nele, pequenos querubins gorduchinhos aparecem.

rafael_madona_sistina.jpg

"A Madona Sistina" 1513. Rafael. Os querubins adoradores costumam aparecer venerando o Menino Jesus, como nesta famosa pintura.

Em companhia de jovens mulheres, o querubim simboliza a inocência. Um tipo de representação do séc. XIX, como ilustra a pintura Inocência, de William Bouguereau.

innocence.jpeg


Rosita Rose

No centro da noite, no meio de um sonho, num bate-papo. E não me bastam as palavras! .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/artes e ideias// //Rosita Rose