doze

o nome de uma história comprida que não se explica em poucas palavras

mónica aresta

escrever simplesmente pelo prazer de juntar as palavras

tela em branco

quando as palavras que guardamos soam mais alto que aquelas que acabámos por dizer


tela.jpg

Há dias em que a palavras são maiores do que nos dias comuns.
São grandes, ocupam espaço;
dias em que sinto que podia escrever tanta e tanta coisa
que hesito,
e não escrevo,
por me sentir esmagada pela imensidão daquilo que queria dizer.

É olhar para a pedra grande e ver a obra que lá está escondida,
e ficar parada com o cinzel na mão.
É amar a tela em branco, perfeita, porque nela está escondidamente contida
toda a beleza que o meu pensamento consegue compreender.

Nestes dias não escrevo, apenas junto letras,
desenhando palavras que não trazem conceito algum.
Escrever é mais do que encher linhas, é tornar visível

o ar
a vida!
o sentimento



escrever é materializar
- e por isso mesmo definir e limitar -
aquilo que, por ser imaterial, é infinitamente belo.

Gosto de escrever.
Mas, hoje - porque me sinto esmagada e enamorada
por aquilo que não me atrevo a dizer -
prefiro deixar a folha em branco.


mónica aresta

escrever simplesmente pelo prazer de juntar as palavras.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //mónica aresta