doze

o nome de uma história comprida que não se explica em poucas palavras

mónica aresta

escrever simplesmente pelo prazer de juntar as palavras

Há em mim

Há em mim um não-sei-quê de medo e fogo,
de vontade guardada a ferros de coisas que não ouso dizer.
Há em mim calor. Nervo. Sonho e algo mais.
Há em mim um desejo de ti.


sunset-hair.jpg

Cerro os lábios, olho em frente, inspiro-expiro.
Gesticulo, rio alto, faço festa.
Olho a medo: sorris? estás zangado? cansado de todo este tanto?
Sereno. Acalmo. Encolho os ombros. Disfarço.

Fujo e choro.
Nó na garganta, punho cerrado, lábios mordidos, coração na pele.
E se...?

Lembro e acalmo. Recordo e sorrio.

Levanto a cabeça, enxugo o rosto, sigo em frente.

Sempre,
e mais uma vez,
em direção a ti.


mónica aresta

escrever simplesmente pelo prazer de juntar as palavras.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //mónica aresta