doze

o nome de uma história comprida que não se explica em poucas palavras

mónica aresta

escrever simplesmente pelo prazer de juntar as palavras

da vida que se faz conjunta

...porque metade da minha já te pertence


photo.JPG

Queria sentir para sempre as borboletas.
Passar as mãos pelos lábios e sorrir, com a vergonha de quem quer seduzir e não sabe como.
Respirar rápido a cada palavra, esconder o nervosismo no estômago, dizer "pode ser" com a vontade de gritar "SIM".
Queria regressar ao jogo da mão que procura aquela que foge. Do olhar que se desvia e que regressa. Do engolir em seco, do morder o lábio para o deixar mais vermelho.
Do vestir como quem despe, do maquilhar como quem se entrega.

Queria que um minuto voltasse a ser uma vida inteira, e uma vida inteira se voltasse a resumir num minuto.
Quero sentir de novo as borboletas. Hoje e sempre, em cada dia.

(contigo)


mónica aresta

escrever simplesmente pelo prazer de juntar as palavras.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //mónica aresta